Pular para o conteúdo principal
Blog do Marcelo Alonso

Conseguirá Henry Cejudo "salvar" a divisão dos moscas pela 2ª vez ?

Na sexta passada, ainda sob impacto da péssima notícia da falha na balança por Deiveson Figueiredo, comentei aqui no blog que uma vitória por nocaute ou finalização do brasileiro poderia selar a extinção da divisão. Apesar de ter apostado em um nocaute no 2º round do paraense no palpitão do Combate, deixei claro que, levando em conta a “tempestade perfeita” para a extinção da categoria, o resultado ideal naquele momento seria uma luta histórica de 5 rounds que deixasse os fãs extasiados e loucos para ver uma revanche.

O brasileiro Deiveson Figueiredo deu show e nocauteou Joseph Benavidez na luta principal do UFC Norfolk, no último sábado (29).


Obviamente, Deiveson não podia se preocupar com isso e fez o que se propôs. Após um primeiro round parelho, nocauteou Benavidez confirmando que não é só o melhor do mundo na divisão, como merece figurar entre os atletas mais agressivos e dinâmicos de todo o plantel do UFC na atualidade. Mesclando excelentes defesas de queda com um jogo em pé extremamente agressivo e um poder de nocaute superior a qualquer lutador da divisão, o paraense deixou claro, nas oito lutas que fez no UFC, que pode ser competitivo tanto na divisão dos moscas (até 56,7 Kg) como na dos galos (até 61,2 Kg).

Formiga x Deiveson II pelo cinturão?

É aí que mora o perigo. Se o melhor atleta de uma categoria cujo cinturão está vago pode ser muito bem aproveitado na de cima, então por que diabos manter 19 lutadores sob contrato numa divisão que não é interessante para a empresa? Certamente este deve ter sido o raciocínio de Dana White e Mick Maynard ao final do UFC Norfolk, no último sábado.

Por outro lado, há de se levar em conta o fato de que o Brasil continua sendo o segundo mercado para o UFC no mundo e que o evento está carente de novos ídolos e, principalmente, campeões para alavancar as vendas de pay per view por aqui. Se o Nº 2 da divisão dos moscas, Jussier Formiga, é o único algoz da carreira de Deiveson e existe a necessidade de rechear nosso card numerado do ano, por que não fazer uma disputa de cinturão nacional? Diante de uma possibilidade tão interessante, talvez valesse até retirar Formiga da luta com Bradon Moreno no dia 16 de Março em Brasília.

Pensando pelo mercado nacional não há dúvidas de que este seria um excelente caminho para a divisão, mas será que Dana White concorda?

Não podemos esquecer que o UFC é uma empresa, cujo objetivo é gerar receita. Se a organização já aventava “cancelar” uma divisão que não tinha apelo junto aos fãs quando o campeão era o maior peso mosca da história (Demetrious Johnson), que apesar de bater todos os recordes de defesas não conseguia alavancar vendas de pay per view, será que valeria mantê-la hoje sob o reinado de um brasileiro que não fala inglês, já tem um histórico de não bater o peso e que tem um enorme potencial de abrilhantar a divisão dos galos ? 

Narrativas vendem lutas: Cejudo x Gêmeos do Açaí

A extinção da divisão parecia favas contadas até que entrou em cena novamente Henry Cejudo, postando em seu instagram, no domingo, uma foto com os dois cinturões e um sugestivo "#AndStill". O post gerou mais de 930 comentários, muitos deles respondidos pelo triplo C. “Terei o maior prazer em bater nos gêmeos Açaí e trazer de volta os dois cinturões para os EUA”, disse Cejudo em um dos posts se referindo as origens e a semelhança física entre Aldo (Amazonas) e Deiveson (Pará).

Mais uma jogada de mestre do campeão olímpico, que certamente deve estar sendo considerada por Dana White. Afinal de contas ninguém melhor que ele para entender a importância das narrativas nas boas vendas de pay per view. Obviamente existem milhares de fãs americanos mordidos com o nocaute do compatriota Benavidez que adorariam ver seu herói olímpico dando uma lição ao “trapaceiro brasileiro”.

Façam sentido ou não, o fato é que os fãs adoram estas novelas. De sua parte, Deiveson também sabe muito bem botar fogo no parquinho. Na Resenha que fizemos a 10 dias de sua luta com Benavidez, o paraense já havia dito que adoraria lutar com Cejudo. “Se for confirmada esta luta com o Aldo e ele vencer, eu subo. Mas se este falastrão preferir eu terei o maior prazer em recepcionar ele aqui embaixo nos moscas”.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube 

Se o patrão morder a isca esta poderá ser a segunda vez que Cejudo ajuda a salvar a divisão dos moscas. Para quem não lembra, se não tivesse vencido Demetrius Johnson e, na sequência, nocauteado o campeão dos galos TJ Dillashaw haveria grande chance de a divisão já ter sido extinta.

Obviamente todas estas possibilidades são elucubrações de um jornalista ansioso. Até porque esta é a única possibilidade que nos resta no momento. Além de torcer, rezar, cruzar os dedos e aguardar Dana White revelar seu veredicto final.