Pular para o conteúdo principal

Cormier relembra knockdown contra Gustafsson: "Nunca fiquei tão machucado"

Campeão meio-pesado manteve cinturão após luta emocionante


Dias depois da épica batalha do UFC 192, Daniel Cormier ainda ostenta as marcas da guerra contra Alexander Gustafsson. Mas, aos poucos, os hematomas e machucados vão sarando.

"Estou a cada dia melhor. Até consegui colocar um sapato hoje, porque meu pé de elefante está desinchando um pouco", comemorou um castigado 'DC' em entrevista ao programa da TV norte-americana UFC Tonight.

Assine o Canal Combate | Igressos à venda para o UFC SP

Cormier x Gustafsson já entra para a história do UFC como uma das melhores lutas de 2015. Os meio-pesados batalharam durante cinco rounds, e não faltou emoção, seja pela pressão aplicada por 'DC', seja pelas surpreendentes quedas que o sueco impôs sobre o campeão.

Mas, de todos os momentos, dois se destacam: a derrubada incrível que Cormier conquistou no primeiro round, e o knockdown que Gustafsson deu no terceiro, ao acertar uma forte joelhada seguida de uma saraivada de socos no norte-americano.

Mais do UFC 192Jones elogia vitória de Cormier | Cormier sonha com trilogia | Bader mira lutas contra Glover e Cormier

"A joelhada doeu, mas acho que eu teria conseguido ficar de pé. Foi o gancho de esquerda logo em seguida que realmente me derrubou", relembrou Daniel. "Eu achava que estava dominando naquele terceiro round, e sinto que dei a ele o round com o knockdown. Aquele é, facilmente, o momento em que eu mais fiquei machucado durante toda a minha carreira, e olha que o Anthony Johnson me derrubou com um grande soco, e o Josh Barnett me acertou com uma joelhada. Eu entrei em modo automático, e quando o Alex veio para cima eu consegui agarrar a perna e me levantar. Só queria ter sido mais esperto, porque em vez de ir para o clinche, eu o empurrei para voltar a trocar, e isso foi ridículo", avaliou.

Visite a UFC Store
Baixe o aplicativo do UFC