Pular para o conteúdo principal

Dana quer Weidman e Belfort no Brasil, mas com uma condição

Presidente do UFC exige que brasileiro seja aprovado no exame antidoping pela Comissão Atlética de Nevada, nos EUA

Depois de vencer Lyoto Machida no UFC 175, em julho, Chris Weidman deve mesmo enfrentar o brasileiro Vitor Belfort. Quem confirmou a notícia foi o presidente Dana White, que ainda revelou que o confronto tem tudo para acontecer no Brasil, mas com uma condição: Belfort precisa ser aprovado no exame antidoping pela Comissão Atlética de Nevada.

“Esse confronto seria muito grande no Brasil. Se a Comissão o liberar, faríamos no país”, disse Dana. O presidente do UFC também revelou que pode ser a oportunidade para realizar um sonho antigo da companhia. “Essa luta seria em um grande estádio. Com certeza esgotaríamos os ingressos por lá”.

Antes das declarações de Dana White, o campeão Chris Weidman já havia dito que espera enfrentar Vitor Belfort em seu próximo desafio. “Cresci vendo o Belfort lutando e o admirando como esportista. Ele precisa resolver seus problemas com os testes de doping, mas espero que consiga a licença para lutar”.

Desde fevereiro deste ano a terapia de reposição de testosterona (TRT) é banida pela Comissão. A proibição já afetou Belfort que, por esse motivo, não pode enfrentar Weidman no UFC 173, em Las Vegas. Para  testar ‘limpo’ e disputar o cinturão o brasileiro abriu mão do tratamento.