Pular para o conteúdo principal
Alex Pereira of Brazil poses for a portrait after winning the light heavyweight championship during the UFC 303 event at T-Mobile Arena on June 29, 2024 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Todd Lussier/Zuffa LLC)
Listas

Os destaques brasileiros do UFC no 1º semestre de 2024

Alex "Poatan" Pereira, Diego Lopes, Michel Pereira e outros brilharam nos primeiros seis meses da temporada no Octógono

O primeiro semestre de 2024 foi para a conta com 22 eventos do UFC realizados entre 13 de janeiro e 29 de junho. Ao todo, 98 atletas brasileiros pisaram no Octógono até aqui neste ano, realizando um total de 106 lutas envolvendo pelo menos um lutador do país. Abaixo, relembro alguns nomes que se destacaram nesta primeira parte da temporada.

Alex "Poatan" Pereira é introduzido no Octógono antes da luta com Jiri Prochazka no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Chris Unger/Zuffa LLC)
Alex "Poatan" Pereira é introduzido no Octógono antes da luta com Jiri Prochazka no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Chris Unger/Zuffa LLC)

É impossível fazer qualquer lista de "destaques do ano" sem começar mencionando o campeão dos meio-pesados Alex "Poatan" Pereira. O brasileiro simplesmente liderou os dois maiores cards do ano até o momento - o histórico UFC 300 e o UFC 303, na International Fight Week - e defendeu duas vezes seu cinturão, com nocautes acachapantes sobre os ex-campeões Jamahal Hill e Jiri Prochazka.

Poatan ainda vai completar três anos desde sua estreia no Octógono em novembro, mas já tem um currículo que pode colocá-lo no Hall da Fama ao fim da carreira. Ele agora tem mais lutas com cinturão em disputa do que sem (cinco a quatro), sendo sete contra ex-campeões - e pode-se argumentar que suas duas performances em 2024 foram as mais impressionantes até aqui.

 

Diego Lopes

Diego Lopes aguarda no Octógono o início da luta com Dan Ige no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Diego Lopes aguarda no Octógono o início da luta com Dan Ige no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Quem também vive um grande ano é o manauara Diego Lopes, que, inclusive, se apresentou nos dois mesmos eventos que Poatan.

No UFC 300, ele despachou o então Top 15 do peso-pena Sodiq Yusuff em menos de 90 segundos, entrando para o ranking da categoria até 65,7 Kg com sua terceira vitória consecutiva no 1º round. Em seguida, foi escalado de última hora para enfrentar o ex-desafiante ao título Brian Ortega na luta co-principal do UFC 303.

Devido a problemas de saúde, Ortega foi retirado do card com o evento já em andamento, sendo substituído pelo experiente Dan Ige. Diego não só topou a mudança, mesmo contra um adversário de estilo bastante diferente do original, como deu conta do recado, vencendo por decisão unânime e se consolidando entre os melhores pesos-pena do mundo.

 

Michel Pereira

Michel Pereira reage no Octógono após a vitória sobre Ihor Potieira no UFC 301, no Rio de Janeiro, em maio de 2024. (Alexandre Loureiro/Zuffa LLC)
Michel Pereira reage no Octógono após a vitória sobre Ihor Potieira no UFC 301, no Rio de Janeiro, em maio de 2024. (Alexandre Loureiro/Zuffa LLC)

A última vez que Michel Pereira sofreu uma derrota no Octógono foi em 2020, então é possível dizer que os últimos anos do "Paraense Voador" já foram muito bons. Mas 2024 talvez esteja sendo seu mais impressionante na organização até aqui.

Nos primeiros seis meses da temporada, ele fez duas lutas (contra Michal Oleksiejczyk e Ihor Potieria), venceu ambas por finalização no 1º round (uma em 61 segundos, outra em 54) e levou para casa dois bônus de Performance da Noite. 

Com isso, Michel agora tem três duelos desde a subida para o peso-médio, tendo despachado todos os adversários em menos de 1m06s - sequência que o colocou, com toda justiça, no Top 15 da categoria.

 

Renato Moicano

Renato Moicano reage no Octógono após a vitória sobre Jalin Turner no UFC 300, em Las Vegas, em abril de 2024. (Cooper Neill/Zuffa LLC)
Renato Moicano reage no Octógono após a vitória sobre Jalin Turner no UFC 300, em Las Vegas, em abril de 2024. (Cooper Neill/Zuffa LLC)

Como ele gosta de dizer, "Moicano quer dinheiro" e tem feito por onde conquistá-lo.

Atual 10º colocado no absolutamente competitivo ranking do peso-leve, o brasiliense começou a temporada vencendo o sempre cascudo Drew Dober em fevereiro, e pouco mais de dois meses depois encarou uma pedreira em Jalin Turner no UFC 300, superando um round inicial difícil para levar a melhor por nocaute técnico no segundo assalto.

Aos 35 anos, Renato parece estar vivendo sua melhor fase no Octógono - e ainda deu tempo de brilhar no tatame do UFC Fight Pass Invitational 7 em maio, colocando seu grappling para jogo na vitória sobre Cristian Guzman.

 

Carlos Prates

Carlos Prates comemora no Octógono após a vitória sobre Charles Radtke no UFC Louisville, nos Estados Unidos, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Carlos Prates comemora no Octógono após a vitória sobre Charles Radtke no UFC Louisville, nos Estados Unidos, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Apelidado de "Pesadelo", Carlos Prates estreou no Octógono em 2024 atrapalhando o sono de alguns dos seus concorrentes na divisão dos meio-médios.

Em suas duas primeiras apresentações no Octógono, o atleta da "Fighting Nerds" mostrou altíssimo nível na trocação, nocauteou Trevin Giles e Charlie Radtke e levou dois bônus de Performance da Noite para casa. Dá para pedir algo mais?

 

Brunno Ferreira

Brunno Ferreira comemora no Octógono após a vitória sobre Dustin Stoltzfus no UFC Louisville, nos Estados Unidos, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Brunno Ferreira comemora no Octógono após a vitória sobre Dustin Stoltzfus no UFC Louisville, nos Estados Unidos, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Após conhecer a primeira derrota na carreira em julho de 2023, Brunno Ferreira, o "Hulk" parece ter entrado em 2024 para sanar qualquer dúvida de que pertence ao plantel do Ultimate, e tem conseguido.

Em duas lutas até aqui neste ano, o paranaense da Brazilian TKO somou dois nocautes no 1º round ao seu cartel, superando Phil Hawes e Dustin Stoltzfus e, assim como o compatriota Carlos Prates, levando dois bônus de Performance da Noite.

 

Alexandre Pantoja

O campeão peso-mosca do UFC Alexandre Pantoja posa segurando o cinturão ao lado de sua esposa e seus treinadores após a vitória sobre Steve Erceg no UFC 301, no Rio de Janeiro, em maio de 2024. (Mike Roach/Zuffa LLC)
O campeão peso-mosca do UFC Alexandre Pantoja posa segurando o cinturão ao lado de sua esposa e seus treinadores após a vitória sobre Steve Erceg no UFC 301, no Rio de Janeiro, em maio de 2024. (Mike Roach/Zuffa LLC)

Até aqui, listei apenas atletas que já conquistaram duas vitórias no Ultimate este ano, mas no caso do campeão peso-mosca Alexandre Pantoja, seu único triunfo na temporada praticamente vale por dois.

Em maio, Pantoja foi escalado para lutar em seu estado natal do Rio de Janeiro, liderando o UFC 301 contra um então pouco conhecido Steve Erceg, australiano que fazia apenas sua quarta apresentação no Octógono.

Com toda a pressão em suas costas, Alexandre entregou mais uma performance técnica, inteligente e aguerrida, como tem sido marca em seu reinado nos 56,7 Kg, e defendeu seu título em casa, fazendo a alegria da torcida brasileira.

 

Vinicius Oliveira

Vinicius Oliveira golpeia Ricky Simon em duelo pelo peso-galo no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Vinicius Oliveira golpeia Ricky Simon em duelo pelo peso-galo no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Outro estreante que tem rapidamente encontrado seu espaço no UFC é o gaúcho Vinicius Oliveira, o "LokDog".

Contratado via Dana White's Contender Series em 2023, ele estreou em março aplicando um nocaute brutal sobre Bernardo Sopaj, que lhe rendeu dois bônus de uma só vez: de Performance e Luta da Noite.

Em seguida, a organização lhe deu um grande salto de competitividade colocando-o frente a frente com o ex-Top 15 do peso-galo Ricky Simon no UFC 303, e o brasileiro se mostrou à altura do desafio, vencendo por decisão unânime.

 

Jean Silva

Jean Silva é apresentado no Octógono antes de sua luta com Charles Jourdain no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Jean Silva é apresentado no Octógono antes de sua luta com Charles Jourdain no UFC 303, em Las Vegas, em junho de 2024. (Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Segundo estreante da "Fighting Nerds" na lista, o catarinense Jean Silva, assim como seu parceiro de equipe Carlos Prates, foi contratado no Dana White's Contender Series em 2023 e já conquistou duas vitórias pela via rápida no Octógono em 2024.

Primeiro, o "Lord", seu alter ego, que assume o controle quando entra em ação, despachou Westin Wilson no primeiro evento do ano; em seguida, em um grande salto de competitividade, passou pelo habilidoso Charles Jourdain no UFC 303 com um nocaute limpo.

Listas são frequentemente injustas, e não foi fácil escolher apenas oito entre os 98 lutadores brasileiros que já competiram em 2024. De quais nomes vocês sentiram falta? E quais outros acham que estarão por aqui daqui a seis meses, quando elegermos os melhores do ano?