Pular para o conteúdo principal
Notícias

Diaz e Masvidal colocam tudo em jogo para decidir quem é o BMF

Não há nenhum título mundial vinculado ao combate principal do UFC 244, que acontece em 2 de novembro no Madison Square Garden, em Nova York. Mas isso não parece incomodar os protagonistas do evento, principalmente Nate Diaz.

"Estamos lutando pelo cinturão do Filho da P*** Mais Durão do jogo", disse o atleta de Stockton, que encontrou a mídia e seu oponente do 500º evento do UFC, Jorge Masvidal, e o presidente do UFC Dana White na noite de quinta-feira (19) no Pier 17, no centro de Manhattan.

Então, talvez exista um título - ainda que não oficial - associado a essa aguardada luta, que começou a ser pensada em 17 de agosto quando Diaz educadamente desafiou Masvidal no Octógono depois de derrotar Anthony Pettis.

Social Post

"A razão para eu ficar afastado é porque todo mundo era péssimo e não havia ninguém para lutar", disse Diaz a Joe Rogan após sua vitória no UFC 241. “Com este cinturão, quero defendê-lo contra… Jorge Masvidal… (ele) teve uma boa última luta. Todo respeito ao homem, mas não há mais gângsteres neste jogo, ninguém que fez isso direito, exceto eu e ele".

Fãs e mídia imediatamente entraram em cena para a possibilidade de um confronto entre dois dos mais autênticos atletas do esporte. O UFC logo estava a bordo, tanto que White propôs a criação do cinturão de BMF (“Baddest Mother**ker”, em inglês) para o evento. Sua equipe concordou e haverá um em Nova York na semana da luta em novembro.

"Essa é uma daquelas lutas que construíram uma vida própria", disse White, que revelou que mais de 10 mil ingressos já foram vendidos para o evento. "Esta luta é importante para a divisão e para quem é o próximo na fila pelo cinturão".

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube

Masvidal, de 34 anos, que ressuscitou sua carreira com nocautes em 2019 sobre Darren Till e Ben Askren, mostrando sua melhor forma até hoje, quer um lugar nessa fila.

"Quero levar a cabeça de todos que estão presos a um cinturão", disse "Gamebred", de Miami, cujo respeito por Diaz é claro. "Estou indo lutar com tudo o que tenho. Ele é de um calibre diferente. Mas eu tenho o que for preciso. Seja o que for, eu estou aqui para isso. "

Quanto a Diaz, também com 34 anos, você pode presumir que uma disputa de título não seria recusada, mas ele pode apenas se contentar em defender seu próprio título.

"Você pode lutar por cinturões falsos, ou lutar para ser o Filho da P*** Mais Durão do jogo", sorriu Diaz, que tinha uma previsão simples para 2 de novembro.

"Estou indo para ganhar."