Pular para o conteúdo principal

Dillashaw espera um Barão ainda melhor em Chicago

Lutadores fazem revanche válida pelo título dos galos neste sábado 


Na primeira vez, TJ Dillashaw fez a luta perfeita. 
Ele tinha a estratégia perfeita, a execução perfeita, e até mesmo a preparação perfeita. Será que ele poderia ter feito algo melhor? Possivelmente, mas não há como questionar o resultado. A questão é: será que ele consegue de novo?
Catorze meses depois de tirar o cinturão peso-galo de Renan Barão em uma das maiores zebras da história do UFC, Dillashaw está louco por uma revanche. Mas vencer Barão como fez na primeira vez - com um desempenho dominante e um nocaute impressionante no quinto round - pode ser sonhar alto demais. Ou talvez não. 
"Deve ser outra noite fácil", disse Duane 'Bang' Ludwig, principal treinador do campeão. 
Logo mais descobriremos. 
Dilashaw (12-2) defenderá seu cinturão no sábado, quando encara Barão (35-2) no UFC Fight Night Chicago. A aguardada luta de cinco rounds acontecerá depois de dois adiamentos. No primeiro, o brasileiro não conseguiu bater o peso. No segundo, o norte-americano fraturou uma costela durante os treinos.
Dillashaw se estabeleceu como um campeão digno em seu primeiro encontro, vencendo enfaticamente um lutador que tinha uma sequência de 22 vitórias, não perdia há nove anos e era considerado um dos melhores lutadores peso por peso do UFC. O norte-americano derrubou Barão com uma potente mão direita no primeiro round, e o dominou durante os quatro assaltos seguintes com sua movimentação, chutes e socos. A execução foi perfeita. 
"Não houve queixas. A estratégia funcionou perfeitamente, e normalmente isso não acontece. Eu acho que minha performance foi ótima", disse o atleta. "É difícil dizer que foi perfeita, porque você sempre é o seu pior crítico. Você sempre mira ser melhor", declarou.
A preparação para a revanche contra Barão fez com que Dillashaw alternasse treinamentos entre sua academia, a Team Alpha Male, em Sacramento, e a academia que Ludwig abriu em Westminster, Colorado, no ano passado, depois de romper com a equipe localizada na Califórnia. O atleta passava duas semanas na alta elevação com Ludwig, e então voltava para casa e trabalhava com seus companheiros da Team Alpha Male, como Urijah Faber, Chad Mendes e Joseph Benavidez
Até agora, as viagens contínuas não foram um problema. 
"Em time que está ganhando não se mexe. Eu queria continuar a trabalhar com o Duane porque o considero o melhor treinador no mundo, mas também tenho a melhor equipe do mundo, que é a Team Alpha Male. Eu sei que preciso de ambos", afirmou.
Dillashaw, de 29 anos, já fez uma defesa de título bem sucedida, nocauteando o não-ranqueado Joe Soto em agosto, depois que os problemas de Barão com o peso o forçaram a abandonar o combate. O desafiante também lutou uma vez, vencendo Mitch Gagnon em dezembro com uma finalização no terceiro round.
O treinador Ludwig, no entanto, não ficou impressionado com a performance mais recente do brasileiro, e notou uma ausência de evolução desde que ele perdeu seu cinturão. Ao mesmo tempo, Dillashaw tem trabalhado em seu timing e suas combinações.
"O TJ está melhor em todos os aspectos. O Barão está em apuros. Ele disse em algumas entrevistas que está treinando para encarar alguém que se movimenta como o TJ, mas eu não vi nada disso em sua última luta", disse Ludwig. "Acho que eles não entendem o que é preciso para evoluir nessas áreas, mas veremos o que acontece. Estou esperando basicamente a mesma coisa do Barão, porque ele não mudou muito nos últimos 10 anos". 
Dillashaw, por outro lado, disse que pode fazer alguns ajustes em seu estilo, mas uma transformação é improvável. 
"Eu não preciso ser um lutador completamente diferente, mas preciso esperar que o Barão esteja mudado. Eu preciso me preparar para o que ele vai mudar no jogo dele. Obviamente, vou adicionar algumas coisas ao meu jogo. Quero surpreendê-lo. Não me importaria em usar minha base no wrestling para mostrar que sou melhor do que ele no chão, e vencê-lo em todos os aspectos do MMA". 
A parceria Dillashaw-Ludwig funcionou especialmente bem na primeira luta contra Barão, e pode fazer a diferença de novo. Nos intervalos entre rounds, Ludwig lembrava o que Dillashaw precisava fazer, e o lutador seguia as instruções diligentemente. Como estudante, o técnico diz que Dillashaw só tira nota 10. 
"Ele é um estudante excelente. É um exemplo raro, e essa é uma das razões pelas quais ele está usando o cinturão. Ele evolui. Ele tem a humildade de aprender, ouvir e fazer perguntas, e é isso que o faz ser campeão. Muitas pessoas que eu treinei não evoluíram em nada porque não queriam aprender. Eles não querem melhorar. O TJ quer". 
Dillashaw usufrui das recompensas financeiras de sua carreira de lutador, mas até agora não se mimou demais. Ele se casou três semanas depois da luta, e só recentemente comprou um carro novo. Fora isso, ele investiu em si mesmo, absorvendo a experiência de viajar entre a Califórnia e o Colorado, e treinando com novos parceiros de sparring. 
"Gosto de me manter humilde com meu dinheiro e meu estilo de vida. Eu vivo da mesma maneira que sempre vivi".
Os lutadores fazem revanche válida pelo título dos galos neste sábado.