Pular para o conteúdo principal

Em busca de sonho, Deiveson revela ajuda de app para se comunicar nos EUA

Peso-mosca brasileiro agora é representante da Team Alpha Male


Pela primeira vez na carreira, Deiveson Figueiredo vai lutar fora do Brasil. O paraense, que atuou em três edições do UFC no país natal, estreia nos Estados Unidos neste sábado (25), quando encara John Moraga no UFC Lincoln.

Mas fazer uma batalha importante em outro país não é problema para o peso-mosca. Isso porque já faz mais de um mês que o "Deus da Guerra" está na Califórnia treinando na Team Alpha Male, equipe fundada por Urijah Faber e casa de nomes como o ex-campeão peso-galo Cody Garbrandt.

"Esta é a minha primeira luta fora do Brasil, mas é como se fosse no Brasil. Eu viajei para fora muito antes justamente para que pudesse estar adaptado. Represento a Alpha Male agora. É melhor para mim, tem mais conhecimento", disse em conversa com a reportagem do UFC Brasil, ressaltando a felicidade de estar em contato com grandes nomes do esporte.

"É um sonho realizado! Antes de viajar para cá eu treinei com o Urijah Faber. Sempre tive esses caras como espelho na minha vida, então me sinto muito feliz com isso que tem acontecido na minha vida". 

Mais UFC Lincoln: Marajó promete finalização inéditaMotivos para ver Seis brasileiros em açãoCard completo

Em nova equipe, Deiveson ainda não pensa em se mudar definitivamente para os EUA, mas já está fazendo todos os ajustes necessários para se adaptar ao país, contando até com a ajuda da tecnologia para romper a barreira de idiomas. 

"Estou em 10% ainda no meu inglês. O que ajuda é um aplicativo no celular, onde eu consigo fazer pedidos, conversar um pouco com os amigos. Mas já estou entendendo algumas coisas que eles falam", disse com bom humor. 

O oponente da vez é Moraga, veterano que atualmente ocupa a sexta posição no ranking da categoria. Sem dúvidas é o maior desafio de Deiveson no UFC até agora, e o brasileiro se mostrou bastante animado com o aumento no nível de competição - sinal de que tem feito um bom trabalho em pouco mais de um ano na organização. 

"Eu venho em uma tremenda evolução. Graças a Deus, em três lutas eu cheguei ao número 14 no ranking, e agora estou preparado para tomar a posição do Moraga", sentenciou. 

"Como amante do MMA e do UFC, sempre vejo as lutas dele. É um excelente striker, defende bastante queda. É wrestler, mas não vejo ele lutar wrestling. Acho que ele não é bom de jíu-jitsu, e me sinto um cara muito melhor e mais preparado que ele, então pode ter certeza de que vai ser um lutão", disse. 

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube