Pular para o conteúdo principal
Entrevistas

Frankie Edgar relembra vida como campeão

Antigo dono do cinturão peso-leve, Edgar lembra seus dias de reinado nos 70 Kg e a noite em que derrotou BJ Penn

Frankie Edgar sabia onde estava se metendo quando foi selecionado para enfrentar BJ Penn pelo título peso- leve no UFC 112, dez anos atrás.

“BJ era uma lenda na época”, disse Edgar. “Ele era o campeão, o cara que não podia ser derrotado e, antes da luta, ele passava por todo mundo. Lambendo o sangue da luva quando lutou com (Sean) Sherk, atropelando Diego (Sanchez), derrotando (Kenny) Florian. Eu era apenas a próxima vítima”.

Essa era a opinião dos apostadores, fãs e mídia. Não era a opinião do homem de 28 anos de Toms River, Nova Jersey.

"Eu simplesmente não ouvi esse barulho e não sabia se poderia ganhar, mas definitivamente acreditava que poderia."

Penn certamente estava no auge, mas Edgar também. Ele entrou na luta em Abu Dhabi com um cartel 6-1 no UFC, incluindo uma sequência de três vitórias sobre nomes como Sean Sherk e Tyson Griffin. e Spencer Fisher. Ele estava pronto. Mas estaria ele pronto para assumir as responsabilidades que vêm com ser campeão? Ele tinha dois anos de casamento, era um pai relativamente novo com outro bebê a caminho, e estava apenas se estabelecendo na vida, assim como no UFC.

Edgar ri quando lembra que seu pai continuava pagando suas taxas como encanador do sindicato, um emprego que ele deixou antes da luta contra Fisher em 2007, para o caso de a carreira de lutador não dar resultado.

"Ele pagou por algum tempo apenas para ter certeza de que conseguiríamos", disse Edgar. “Agora que penso em tudo, tudo era tão novo. Eu estava no UFC por pouco mais de três anos na época (da luta com Penn), então ainda estava meio verde. Foi selvagem”.

ABU DHABI, UNITED ARAB EMIRATES - APRIL 10: Frankie Edgar (white/green shorts) def. BJ Penn (white shorts) - Unanimous decision during UFC 112 at Yas Island on April 10, 2010 in Abu Dhabi, United Arab Emirates. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images)
ABU DHABI, UNITED ARAB EMIRATES - APRIL 10: Frankie Edgar (white/green shorts) def. BJ Penn (white shorts) - Unanimous decision during UFC 112 at Yas Island on April 10, 2010 in Abu Dhabi, United Arab Emirates. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Im

Isso foi fora do Octógono. Dentro, diziam que ele não teria chance de perturbar Penn. Mas é por isso que eles lutam, e Edgar e sua equipe não deixaram pedra sobre pedra no treinamento. E quando a luta começou, Edgar imediatamente deixou claro que não apareceu apenas para receber um salário. Round após round, ele confundiu "The Prodigy" com seu striking, movimentação e wrestling. No final de cinco rodadas, foi uma luta acirrada, mas Edgar estava confiante de que havia feito o suficiente para vencer. Não foi a primeira vez que ele esteve nessa situação e, anteriormente, ele ficou aquém. Ele não precisava de outra decepção.

"Na minha carreira, eu fui vencido tantas vezes em lutas parelhas", disse Edgar. “E você realmente não merece nada; você consegue o que recebe, mas eu merecia, creio, ganhar esses títulos quando me preparei da maneira correta e coloquei meu coração e alma, e me senti da mesma forma na luta e ainda hoje, mas quase achei que não iria acontecer”.

Então Bruce Buffer pegou o microfone.

“Quando soube que o primeiro placar era de cinco rounds para nenhum, fiquei tipo: 'Esse sou eu. Eu não perdi todos os rounds, tem que ser eu.'”

Edgar ri, e era ele. As pontuações finais foram 50-45, 48-47 e 49-46. "The Answer" era um campeão mundial.

“Caí de joelhos e fiquei bastante emocionado”, disse Edgar, que, naquele momento, sabia exatamente pelo o que vinha trabalhando por toda a vida. “Eu sempre disse também no wrestling, o wrestling é uma porcaria, o corte de peso é uma porcaria. Na luta, levar um soco é uma porcaria, mas aquela multidão enlouquecendo e sua mão sendo erguida, faz com que tudo valha a pena. Quando isso acontece, não é por nada. Não desperdicei minha vida fazendo algo em que não atingi a meta que estava buscando. Então, finalmente, alcancei o objetivo.”

Consequentemente, a vida mudou para o jovem que se tornou um dos melhores lutadores de sua época. Mas Edgar não mudou. Isso é raro, mas é uma prova de seu caráter.

ABU DHABI, UNITED ARAB EMIRATES - APRIL 10: Frankie Edgar (white/green shorts) def. BJ Penn (white shorts) - Unanimous decision during UFC 112 at Yas Island on April 10, 2010 in Abu Dhabi, United Arab Emirates. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images)
ABU DHABI, UNITED ARAB EMIRATES - APRIL 10: Frankie Edgar (white/green shorts) def. BJ Penn (white shorts) - Unanimous decision during UFC 112 at Yas Island on April 10, 2010 in Abu Dhabi, United Arab Emirates. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Im

“Acho que ninguém está pronto”, disse ele sobre a vida como campeão. “A vida muda, e um dia você é um cara, no dia seguinte, você é o outro cara. Na minha cabeça, isso não mudou. Eu era o mesmo cara. Eu ainda tenho as mesmas pessoas ao meu redor, ainda tenho os mesmos amigos ao meu redor, então não mudei muito. Eu acho que a percepção das pessoas mudou, e é sempre um pouco diferente para se acostumar.”

Pouco tempo depois, Edgar repetiria sua vitória sobre Penn e participaria de duas batalhas épicas com Gray Maynard, que igualou sua série em 1-1-1, antes de perder o cinturão para Benson Henderson em 2012. Ao longo do caminho, ele se tornou a versão do MMA de Arturo Gatti para as pessoas em seu estado natal, Nova Jersey, um título não oficial que ele recebeu com honras.

"Eu não acho que senti a responsabilidade, é apenas quem eu era", disse Edgar. “Esses filmes do Rocky definitivamente deixaram uma impressão em mim. (Risos) Mas eu sempre pensei que sangue e coragem eram o tipo de pessoa que eu sou, e Gatti era assim.”

Tudo começou longe da costa de Jersey, em Abu Dhabi. Alguma coisa que aconteceu nos últimos dez anos ou nos próximos dez pode ser melhor do que isso?

"É difícil", disse Edgar. “Todo mundo se lembra da primeira vez. Eu tenho algumas boas primeiras vezes, e boas lembranças. A terceira luta contra o Maynard, a luta do Chad Mendes e a luta do Yair (Rodriguez) sempre se destacaram para mim. As performances e os momentos que tive depois ficaram sempre comigo. Mas ir ao deserto e lutar no primeiro evento do UFC em Abu Dhabi contra o BJ, uma lenda na época, não sei se poderia superar isso.” 

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube