Pular para o conteúdo principal
Lifestyle

Hoje é dia de doar. Que tal ajudar uma instituição de artes marciais?

No mundo todo, o #GivingTuesday, ou terça-feira da doação, pretende conscientizar as pessoas que doar faz bem para elas também

“O mineiro só é solidário no câncer.”

A frase é atribuída ao cronista mineiro Otto Lara Resende por seu amigo Nelson Rodrigues, escritor, jornalista e dramaturgo. Otto sempre negou sua autoria, mas o que importa, no entanto, é a ideia da irônica sentença: para Nelson (ou para Otto?), a bondade no ser humano é apenas uma exceção.

Pois o dia de hoje serve para levarmos essa ideia à nocaute. O Dia de Doar é um grande movimento para promover a cultura da doação. “É uma mobilização que promove um país mais generoso e solidário, por meio da conexão de pessoas com causas. E faz isso celebrando o prazer que é doar, e o hábito de doar o tempo todo”, atesta o site do movimento (não conhece? Entra lá!).

Embora a frase de Otto/Nelson possa ser apenas uma piada do genial escritor, tem lá seu fundo de verdade. Nós, brasileiros, mostramos que somos bastante solidários na dor – e nem tanto assim no dia a dia. Tragédias como as de Mariana e de Brumadinho, com barragens estouradas, ou enchentes e deslizamentos provocam nossa comoção e logo surgem campanhas, geralmente muito bem sucedidas.

Mas, rotineiramente, nos falta cultura de doação. O World Giving Index, um índice que avalia como anda o voluntariado em 144 países, nos coloca numa vergonhosa 122ª posição – para efeito de comparação, os Estados Unidos estão em quarto lugar. Lembrando que voluntariado não é só doar tempo trabalhando em uma ONG ou instituição. É considerado uma ação voluntária ajudar alguém que você não conhece e precisa daquela ajuda ou doar dinheiro para alguma instituição.

O Dia de Doar pretende mudar isso mostrando que a coisa mais bacana de ser voluntário – seja doando nosso tempo ou nosso dinheiro – é que, ao fim ao cabo, não estamos fazendo bem apenas às pessoas ou entidades, mas a nós mesmos.

No Brasil, o movimento começou em 2013, seguindo os passos dos Estados Unidos, onde a primeira edição teve início um ano antes. Hoje, conta com 55 países que participam oficialmente (ações independentes acontecem em mais de 190). No exterior, o nome é #GivingTuesday, ou “terça-feira da doação”, e ele acontece na primeira terça depois do dia de Ação de Graças, vindo na sequência de datas comerciais como Black Friday e Cyber Monday.

A campanha Dia de Doar espera que hoje milhões de brasileiros doem e tornem pública sua doação usando a hashtag #diadedoar nas mídias sociais.

Você já descobriu sua causa? Às vezes é apenas isso que falta para introduzir o hábito em sua vida.

Vários lutadores ou pessoas que amam esportes têm projetos sociais voltados a artes marciais (veja aqui a matéria). O objetivo da maior parte deles é tirar crianças e jovens das ruas, empoderá-los e torná-los protagonistas das próprias vidas, oferecendo uma oportunidade e dignidade. Apenas alguns exemplos:

Segundo José Aldo, as doações são essenciais para manter não só o projeto social dele, mas todos os demais que acontecem país afora. “Temos até atletas que estão competindo já”, ele conta.

“Pensamos no social para dar início ao projeto, mas tem também o lado profissional”, diz Aldo, sobre garotos que agora podem sonhar inclusive com uma profissão e uma forma de ganhar dinheiro. “As doações engrandecem os projetos. Quanto mais gente doar, mais crianças e jovens vão poder se desenvolver e ter um futuro melhor.”

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube