Pular para o conteúdo principal
Notícias

Jéssica Andrade diz que pode surpreender Weili Zhang: “Tenho treinado novas quedas”

Campeã garante que o seu famoso Bate-Estaca não é o único golpe a ser temido pela desafiante no UFC Shenzhen

Que o Bate-Estaca de Jéssica Andrade é uma arma a ser temida por suas adversárias isso não é novidade para ninguém. Que o diga Rose Namajunas, nocauteada justamente por esse golpe na luta que rendeu o cinturão do peso-palha para a brasileira. Agora, engana-se quem pensa que essa é o único artifício da campeã. Prestes a defender o seu título pela primeira vez diante da chinesa Weili Zhang no UFC Shenzhen, Jéssica garante que está pronta para mostrar um repertório de quedas ainda mais vasto.

A brasileira Jéssica Andrade fez jus ao apelido quando aplicou um bate-estaca para nocautear Rose Namajunas no #UFC 237 e conquistar o cinturão. Selecionamos outros momentos em que a campeã usou o mesmo golpe no Octógono. Ela enfrenta Weili Zhang neste sábado (31).

Brasil

“A minha estratégia é tentar terminar a luta antes dos cinco rounds, por nocaute ou finalização. Eu venho treinando muitas quedas diferentes, que são golpes que as minhas adversárias não esperam. E são quedas que não têm como você treinar a defesa. A defesa é você evitar juntar a mão com a mão. E se você não conseguir, você vai voar. Então, é possível, sim, que venha um nocaute bem bonito por aí”, declarou. 

Após ter a oportunidade de conquistar o título dentro de casa no UFC 237, no Rio de Janeiro, em maio desde ano, Jéssica viu a sua primeira defesa de título ser marcada para o outro lado do mundo, na China, país de origem de sua adversária. Mas o fato de ir tão longe para fazer essa disputa de cinturão é algo que a brasileira vê com naturalidade.

 “Eu acredito que essa defesa de cinturão fora de casa já iria acontecer de qualquer forma. Eu tenho sido muito bem tratada (na China) e não acho que será diferente no dia da luta. Nós somos duas campeãs, pois toda essa trajetória para chegar até aqui é muito sacrificante. Então, espero que nós duas possamos entrar e sair do octógono aplaudidas”, explicou a campeã. 

O anúncio do duelo contra a número seis do ranking do peso-palha feminino pegou a muitos de surpresa. Inclusive a brasileira, que no início aguardava por outras adversárias melhores ranqueadas. Mas uma conversa com o Presidente do UFC foi suficiente para esclarecer a situação e fazer com que Jéssica abraçasse o desafio. 

“No início eu não entendi o motivo por enfrentar a Weili Zhang. Eles me ofereceram a luta, eu disse que seria uma campeã ativa, então logo topei. Eu só entendi quando cheguei na China para fazer a promoção da luta. Foi quando o Dana White explicou que a Tatiana (Suarez) estava machucada, e a Michelle Waterson enfrentaria a Joanna. Então não teria outra adversária que não fosse a Zhang, e eu estou pronta para isso”, finalizou.