Pular para o conteúdo principal

Machida faz frente, mas Weidman mantém cinturão no UFC 175 em luta eletrizante

Lyoto Machida e Chris Weidman fizeram o evento principal da noite no UFC 175, ontem. Em jogo estava o cinturão dos médios, em posse do norte-americano desde as duas vitórias históricas sobre Anderson Silva, no ano passado. 

O brasileiro mostrou novamente grande evolução técnica - sobretudo no quesito 'ofensividade' e teve grandes momentos, quase alcançando o nocaute.

Mas o padrão mais calculista e focado no wrestling - com quedas pontuais executadas em momentos cruciais dos rounds - do campeão prevaleceu. Após decisão unânime dos árbitros, o cinturão permanece nos Estados Unidos. 

Na terceira atuação pelos médios, Machida começou cadenciando a luta bem ao seu estilo. Dinâmico e cauteloso, usou o jogo de pernas evasivo nos minutos iniciais, para escanear qualquer tentativa de aproximação de Weidman.

O primeiro momento de ação mais severo veio com dois chutes do norte-americano, que passaram no vazio graças às esquivas do brasileiro. O campeão ainda tentou uma queda, mas Machida se defendeu e colocou bom direto de esquerda em contragolpe.

Veio a segunda etapa e com ela um Weidman mais incisivo, ainda apostando nos chutes variados para se manter ofensivo.

O brasileiro seguiu com o padrão de 'entra e sai' e trocou diversas vezes de base para confundir o oponente, acertando um bom chute médio que explodiu nas costelas. Weidman insistiu em um double leg no fim do round e levou Machida ao tablado.

No terceiro assalto, a tática de Weidman mudou. Ele passou a usar mais fintas de golpes para desenhar quedas. Machida defendeu duas, mas acabou derrubado na terceira.

Na guarda, o campeão esboçou alguns ataques, mas o brasileiro as deteve. Ao voltar em pé, o carateca recebeu duro golpe na testa, acabou quedado mais duas vezes e terminou o assalto com o rosto sangrando.

As trocas de golpes mais fluidas voltaram no começo do quarto assalto. Machida teve o melhor momento quando acertou boa sequência de socos no queixo, seguidos de dois chutes médios que abalaram para valer o campeão. Weidman parecia entregue, mas se recuperou até o fim da etapa.

Quinto assalto. O último de uma grande luta. O brasileiro acertou e foi acertado diversas vezes em momentos francos de pancadaria. Mas Weidman cravou queda importante quando faltava pouco mais de um minuto e meio para o fim. Machida voltou em pé, encurralou o campeão contra as grades e soltou nova avalanche de socos e joelhadas certeiras. Campeão novamente 'balançado'.

Veredicto: Chris Weidman manteve o cinturão dos médios na decisão unânime.

"O plano era manter a luta em pé, mas Weidman é um grande adversário e um grande campeão. Pretendo retornar logo mais ao octógono, obrigado para todos que vieram ver nosso combate aqui em Las Vegas", disse Machida, ainda no octógono.

O que vocês acharam? Usem e abusem do espaço aí embaixo.