Pular para o conteúdo principal

“Não me interessa o que o Miocic vai tentar, ele será nocauteado”, afirma Hunt

Neozelandês e norte-americano se enfrentam na luta principal do UFC Adelaide, neste sábado (9)

Prestes a voltar ao octógono, quando encara o norte-americano de ascendência croata Stipe Miocic na luta principal do UFC Adelaide, neste sábado (9), o peso-pesado Mark Hunt tem motivos de sobra para comemorar a quinta colocação no ranking dos pesados. Aos 41 anos, o neozelandês acredita que, apesar da idade avançada, está entre os melhores atletas do mundo, e que foi preciso ter muita perseverança para chegar aonde está.

- Assine o Canal Combate e não perca nenhum detalhe do UFC Adelaide

“Eu venho lutando por 25 anos e é preciso muita força mental para se manter no nível que estou. Você precisa se ver como o melhor lutador do mundo e é assim que eu entro em meus combates. Lutar foi um presente que Deus me deu e após todo esse tempo de estrada eu posso afirmar que estou no topo, junto com grandes nomes. Isso é muito satisfatório para mim”, afirmou o atleta ao jornal The Sidney Morning Herald.

- Visite a UFC Store

Com sete vitórias por nocaute na carreira, o neozelandês sabe que o fato de ter uma das mãos mais pesadas no Ultimate é um motivo preocupante para seu adversário, pois ela já derrubou nomes como Roy Nelson, Stefan Struve e Cheick Kongo. “Eu realmente não sei com qual estilo ele virá para a luta, tudo o que sei que é irei nocauteá-lo. Não me interessa o que o Miocic vai tentar, só estou focado em fazer o meu melhor. Se ele quiser trocar em pé, faremos isso. Se ele preferir me levar pro chão, por mim tudo bem. De qualquer maneira, ele será nocauteado”.

- Mark Hunt 'atropela' Cheick Kongo

Vindo de derrota para Fabrício Werdum em sua última apresentação, quando disputou o cinturão interino dos pesados no UFC 180, Hunt acredita que tem todas as ferramentas para se recuperar na organização e vencer Miocic, especialmente por ter se preparado em um tempo maior do que quando lutou com o brasileiro – na época, ele aceitou substituir Cain Velasquez com apenas três semanas para o evento. “Minha preparação desta vez foi muito melhor e me sinto totalmente apto a vencer qualquer um. Quero conseguir uma nova chance pelo cinturão e vencer esse combate será fundamental para isso”.