Pular para o conteúdo principal

Nikolas Motta, humildade para aprender e ser tornar campeão

 

Nikolas Motta trocou sua cidade Governador Valadares, em Minas Gerais, pelo Rio de Janeiro quando tinha apenas 18 anos em busca de realizar seu sonho: ser um lutador profissional. "Não foi fácil fazer essa escolha, mas sabia que Deus iria me iluminar".

E iluminou mesmo. Um dos primeiros locais que ele morou quando chegou no Rio de Janeiro foi em cima de uma igreja. A família, que ficou em Minas, até tinha boas condições financeiras, mas não ajudavam tanto quanto podiam, pois esperavam que ele desistisse da carreira de lutador. "Eles queriam que eu fizesse faculdade".

Especialista em trocação, Nikolas precisou driblar o pai para treinar muay-thai. "Já tinha feito judô e ainda tinha o quimono. Ia para academia dizendo que era aula de judô, mas estava aprendendo jiu-jitsu". Os pais foram vendo que era aquilo que Nikolas queria fazer profissionalmente, perceberam seu lado e resolveram apoiá-lo.

"Meu pai disse para eu não pensar só em porrada, porque eu passava o dia assistindo as lutas na televisão", lembra ele, que quando não estava estudando artes marciais ficava na frente do espelho repetindo as poses que faria quando virasse lutador e os discursos depois que vencesse a primeira luta.

Já no Rio de Janeiro, Nikolas foi treinar na equipe Nova União, ao lado de José Aldo e Renan Barão. Alguns anos depois, ele acredita que aprendeu o segredo para ser campeão: escutar os mais treinadores. "Os campeões têm humildade para aprender e perguntar sobre tudo, eles escutam o que os treinadores falam e vão aprendendo".