Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Pontos de discussão do UFC 205: McGregor dominante, Woodley e mais

 

Enquanto o resto do mundo do MMA estava quebrando a cabeça para imaginar como Conor McGregor poderia vencer Eddie Alvarez, o irlandês já sabia o que ia acontecer.
“Eddie está dizendo que vai ser uma luta mais fácil”, disse McGregor uma semana antes do UFC 205, “Eu estou ansioso para ver seus olhos rolando e choques passando por todo seu corpo. E o pânico vai tomar conta do seu rosto”.
Mais UFC 205: Fatos que entraram para a história | Atletas comentam aposentadoria de Miesha | As reações à vitória de McGregor | Os prêmios da noite
O novo campeão de duas divisões não estava brincando. McGregor cumpriu mais uma vez sua promessa, nocauteando Alvarez de forma devastadora em três minutos no segundo round, e conquistando seu segundo cinturão no UFC.
Na noite mais histórica da história do UFC, McGregor - possivelmente a maior estrela da história da organização - completou uma missão que ele traçou três anos atrás quando pisou no octógono pela primeira vez. McGregor é agora campeão em duas divisões, e, sendo o primeiro a conseguir fazer isso de forma simultânea, ele está, em suas próprias palavras, imortalizado.
“A sensação é ótima, é familiar”, disse, “Eu via isso de forma tão clara e consistente, e agora é realidade. Sou muito confiante nas minhas habilidades e no que eu prevejo que vou fazer. Eu cumpro minhas promessas com muito trabalho e estou muito satisfeito, mas não estou surpreso”.
Estes são os pontos de discussão do UFC 205

McGregor domina Alvarez em todos os aspectos da luta
Quando Alvarez colocou McGregor contra a grade, com os dois braços ao seu redor, buscando a queda, “O Notório” se manteve calmo. Foi como se McGregor soubesse que Alvarez não conseguiria derrubá-lo.
Anthony Pettis esteve na mesma posição contra Alvarez no terceiro round do duelo entre ambos, e o resultado foi diferente, com Alvarez usando o ground and pound para conquistar a vitória por decisão.
Na distância, McGregor parecia estar em um videogame, contra-atacando de forma precisa, como se tivesse um código para trapacear, e Alvarez estivesse jogando pela primeira vez. No primeiro round, McGregor acertou Alvarez com uma forte esquerda enquanto ia para trás, quase exatamente como ele acertou José Aldo quando conquistou seu primeiro título.
McGregor disse que lesionou sua mão direita e seu pé na luta contra Nate Diaz, e que foi por isso que desenvolveu a técnica com as mãos para trás que usou em certo momento contra Alvarez.
“Fico confortável contra esse tipo de oponente”, disse McGregor, “Me sinto bem. Sinto que estou apenas chegando ao meu auge. Tenho apenas 28 anos e não já 28. Posso lutar de todas as formas, e é por isso que continuo crescendo”.
Mais quebra-cabeças aguardam o campeão Woodley
A história da primeira defesa de título de Woodley após nocautear Robbie Lawler era sobre como ele poderia resolver o mistério que é Stephen Thompson.
Thompson surgiu como desafiante após vencer sete lutas consecutivas em uma das divisões mais duras do esporte. Woodley teria que lidar com o estilo atípico e com o poder de nocaute do “Wonderboy”, e ele passou no teste.
No quarto round, Woodley conectou um gancho de direita que abalou o desafiante, que mostrou coração para sobreviver a chuva de golpes e a tentativa de finalização do campeão. Woodley saiu vitorioso após um empate majoritário, e o próximo quebra-cabeça pode ser ainda mais difícil.
Demian Maia é inquestionavelmente o desafiante número um. Ele venceu seis lutas consecutivas e o absoluto atropelo sobre Carlos Condit na mais recente foi inacreditável. Maia x Woodley pode vir a seguir, ou talvez Wonderboy tenha uma revanche imediata.
De qualquer maneira, Woodley terá mais um desafio à frente. Mas, por enquanto, ele está feliz por ter conseguido sua primeira defesa de título.
“Quem mais conseguiu atingir o Wonderboy? Quem acertou ele como eu fiz e quase o nocauteou?”, perguntou Woodley após a vitória, “Eu estava mais do que preparado e mergulhei na arte marcial dele (o caratê). Senti que precisava ser paciente”.
Jedrzejczyk continua seguindo os passos do Mighty Mouse
A campeã peso-palha Joanna Jedrzejczyk adicionou ao seu ilustre legado sua quarta defesa de título, superando a compatriota polonesa Karolina Kowalkiewicz.
Fora o campeão peso-mosca Demetrious Johnson, Jedrzejczyk é a campeã mais dominante do UFC estatisticamente. É claro, McGregor tem dois cinturões, mas estamos falando em relação ao domínio na divisão.
Jedrzejczyk conectou três vezes mais golpes significativos que Kowalkiewicz e se recuperou de uma pressão da desafiante no quarto round com facilidade. Jedrzejczyk é a melhor lutadora do planeta e vai continuar a elevar seu legado a cada performance dominante.
Kowalkiewicz mostrou sua resistência e habilidade, apesar de perder quase todos os rounds. O presidente do UFC, Dana White, ficou impressionando com o coração das duas estrelas polonesas.
“A luta foi incrível e as duas meninas queriam muito lutar”, disse Dana, “As duas saíram com hematomas esta noite, e foi uma briga de cães com muita técnica”.
Assine o Canal Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC