Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Pontos de discussão do UFC 213: Whittaker, Bisping, Romero e Pettis

Confira uma análise sobre o evento do último sábado


Eventos do UFC que sofrem com circunstâncias desapontantes tendem a crescer e entregarem mais do que todos esperam.
O UFC 213 perdeu sua aguardada luta principal apenas algumas horas antes de as portas se abrirem na T-Mobile Arena, quando Amanda Nunes foi obrigada a desistir da disputa de cinturão contra Valentina Shevchenko devido a uma enfermidade.
Apesar da ausência do duelo pelo cinturão peso-galo feminino, o confronto pelo título interino dos médios entre Robert Whittaker e Yoel Romero entregou em grande estilo. O australiano foi impressionante ao superar uma lesão na perna no primeiro round e uma série de tentativas de queda que pareciam estar vindo sem freio.
Mais UFC 213: Whittaker do TUF ao cinturão | Fatos para a história | Qual foi a melhor luta do evento? | Personalidades comentam luta principal | Marreta atinge marca notória
A vitória de Whittaker amplia para sete o número de vitórias da maior sequência invicta na divisão dos médios. O currículo do lutador talvez seja melhor do que o de qualquer outro nome na categoria após vencer Romero em seguida de um triunfo por nocaute técnico sobre Ronaldo Jacaré.
O próximo passo para Whittaker é a unificação do título contra Michael Bisping, ainda este ano, como confirmou o presidente do UFC Dana White neste sábado.
Estão são os Pontos de Discussão do UFC 213
Whittaker continua melhorando
Em sua última luta, Whittaker atropelou Jacaré, conectando um belo chute e finalizando o brasileiro com uma enxurrada de socos. Aquela performance foi precedida por uma vitória explosiva em um round contra Derek Brunson, também por nocaute.
Contra Romero, o novo campeão interino dos médios mostrou mais uma faceta de seu jogo. Ele perdeu dois rounds e teve que cavar fundo para sobreviver e virar o combate. Whittaker teve que lidar com uma lesão para seguir na luta. Ele teve que lidar com adversidade, o que já havia provado ser mais do que capaz após uma campanha dura como meio-médio em seu início no UFC.
“Meu joelho definitivamente estava machucado”, disse Whittaker, “Eu sofri uma lesão nos treinos e o chute do Romero fez tudo voltar. Sei que Romero vai capitalizar em qualquer fraqueza que enxergue, então tive que ir em frente. É disso que são feitos os campeões”.

Romero de volta ao bolo
O cartel de Yoel Romero no UFC estava perfeito até ele encontrar Robert Whitakker. Ele havia superado cada oponente em seu caminho e chegou perto de fazer o mesmo no UFC 213.
Mesmo com o regresso, Romero segue como um dos melhores na divisão. Ele teve uma vitória apertada por decisão dividida contra Jacaré em 2015, e, com Jacaré vindo de derrota para o próprio Whittaker, uma revanche com o brasileiro pode ser o próximo passo.
“Showtime” retorna à velha forma
Anthony Pettis disse antes de sua luta crucial contra Jim Miller que ele queria fazer com que as pessoas gostassem de assisti-lo novamente.
Ele pode considerar que a missão foi cumprida, porque esse pareceu o velho Pettis. Ele usou seus chutes letais para brutalizar o corpo de Miller, que estava vivo no jogo apesar de ter sofrido um corte com um chute no segundo round.

De volta à coluna das vitórias nos pesos-leves, Pettis buscará voltar a se aproximar da corrida pelo cinturão.
“Busquei encerrar a luta o tempo todo. Até conectei alguns chutes altos limpos, mas Jim Miller é um cara duro demais e continuou andando para frente”, disse Pettis, “Estive trabalhando duro na minha defesa de quedas e consegui mostrar isso junto com minha trocação essa noite”.
“Foi uma luta divertida e agora estou ansioso para voltar. Te digo o próximo passo para mim: três vezes campeão mundial”.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC