Pular para o conteúdo principal

Prévia: Fight Night San Antonio

Cinco brasileiros em ação no evento que acontece sábado, no Texas

Acesse o Bolão UFC e faça previsões completas de todas as lutas do card

San Antonio, no Texas, é uma das paradas do UFC neste sábado (28). A edição da vez do Fight Night em solo norte-americano traz cinco brasileiros em ação, além de main event importante para o futuro da categoria dos galos. Análises dos principais destaques da noite abaixo.

Cub Swanson x Jeremy Stephens

O próximo contender ao título dos penas, em posse do brasileiro José Aldo, pode sair deste desafio. Swanson vem de cinco vitórias consecutivas e terá pela frente um veterano do UFC, com 18 participações. 

Ainda como peso leve, Stephens criou fama de ‘bater na trave’ contra adversários de maior estirpe. Desde que desceu para os penas, tem sido preciso ao extremo: nocauteou Rony Jason em pouco mais de 40 segundos e brecou o forte padrão de wrestling de Darren Elkins durante três assaltos até faturar a vitória nos pontos. 

Com dois golpeadores da pesada dentro do octógono, cada detalhe pode fazer a diferença. POr ser cinco assaltos, dá para vislumbrar um começo mais estudado, até que ambos encontrem a distância mais confortável para soltar o jogo com mais contundência. 

Swanson é um grande contragolpeador e tem resposta para praticamente qualquer tentativa em pé vinda do adversário. Stephens tem potência para terminar combates com um soco ou um chute, mas o que tem chamado atenção são os set ups e combinações mais dinâmicas que executa para abrir espaço aos golpes mais potentes que visam o nocaute.

Kelvin Gastelum x Nicholas Mosuke

Vencedor do TUF 17 e peso médio de origem, Gastelum optou em descer para meio-médio e venceu duas em seguida. As principais características de Musoke residem no jogo confiável de solo e finalizações, além de contar com vantagem de 3 cm de envergadura sobre o adversário da vez.
 
Gastelum tem obediência tática acima da média, com a capacidade de moldar o estilo e tirar vantagens de acordo as fraquezas de cada oponente.  A expectativa então é para um combate mais focado nos momentos de infight, com intenso trabalho de clinch e 'amassa', que devem definir quem terá o braço levantado no fim.

Andrew Craig x Cezar 'Mutante' Ferreira

Vencedor dos médios no TUF Brasil 1, 'Mutante' desponta como grande esperança para a categoria, mas acabou nocauteado em poucos segundos contra CB Dollaway e teve planos a curto prazo prejudicados. 

Versátil em todos os fundamentos do combate e com grande poder de atleticismo, o brasileiro terá pela frente um lutador da nova geração. Mais limitado e sem tanta variedade de técnicas polidas, Craig desconta na raça e no jeitão brigador para complicar a vida dos oponentes.

A grande expectativa é saber se 'Mutante' soltará o jogo ou adotará um padrão de luta mais contido e seguro em virtude das sequelas do último desafio. Tomara que a primeira possibilidade seja a vigente.

Ricardo Lamas x Hacran Dias

Último desafiante a ser dominado e derrotado pelo campeão José Aldo, a expectativa é que Lamas venha com novidades e repagine aspectos importantes do forte estilo de wrestling que desenvolve, mixado com guilhotinas perigosas e grandes lampejos de striking, sobretudo nas combinações e chutes.

Cria da Nova União, Hacran é especialista em finalizações. O grande problema do brasileiro foi a última luta, contra Nik Lentz. Com a mão lesionada, o brasileiro não conseguiu se desvencilhar do norte-americano e acabou neutralizado por três rounds até ser derrotado nos pontos. 

Lamas tem muito mais recursos do que Lentz, e provavelmente deve capitalizar a performance  em cima de detalhes da última atuação de Hacran.

Clint Hester x Antonio Braga Neto

Neto é mais um ás brasileiro do jiu-jitsu que aposta pesado na carreira no MMA. Ele deixou boa impressão na estréia pela organização, quando finalizou Anthony Smith com uma chave de joelho, em junho de 2013. Depois disso, teve de lidar com diversas lesões e só retorna agora. 

Com base forte no boxe, Hester tem média satisfatória nas defesas de queda, com 64% de aproveitamento no quesito, que pode ser o primeiro passo para a sobrevivência neste desafio. Neto não costuma perdoar qualquer vacilo para grudar como uma ventosa no adversário e levar ao solo. 

Carlos Diego Ferreira x Colton Smith

O brasileiro radicado no Texas estréia pelo UFC após carreira sólida em outras organizações. Invicto há nove lutas e bicampeão mundial de jiu-jitsu, encara Smith, que vem de duas derrotas e luta pela sobrevivência.

Andy Enz x Marcelo Guimarães

Após descida conturbada para os meio-médios, o brasileiro retorna para a divisão até 84kg, a de origem. Guimarães não atua há mais de um ano, e terá pela frente um adversário que estava invicto há sete lutas e acabou derrotado justamente na estreia pela organização.