Pular para o conteúdo principal

Prévia: UFC Fight Night Albuquerque

Evento do fim de semana traz Henderson x Khabilov e a volta de Rafael Dos Anjos 

Acesse o Bolão UFC e faça previsões para todas as lutas do card!

Próximo evento da agenda: UFC Fight Night, em Albuquerque, Novo México, Estados Unidos. O evento na terra do treinador Greg Jackson e da famosa série ‘Breaking Bad’ trará como atração principal o ex-campeão dos leves Ben Henderson contra o russo Rustam Khabilov, além de Diego Sanchez x Ross Pearson e o brasileiro Rafael dos Anjos em busca da recuperação contra Jason High. Análises dos destaques da noite a seguir.

Ben Henderson x Rustam Khabilov

A força russa se faz cada vez mais presente nos cards do UFC. Khabilov é mais um representante do sambo  - arte marcial originária do país - que adaptou habilidades ao MMA, treina sob a tutela estratégica do renomado Greg Jackson e cava espaço na organização com jogo sólido, que lhe garantiu três vitórias em três atuações pela organização.

Ex-campeão da categoria, Henderson sempre merece respeito quando coloca os pés no octógono. Seu estilo compacto é uma mescla entre elegância e agressividade, geralmente complexa de ser superada.

Teremos dois experts em ditar ritmos. Henderson é um jabeador funcional, letal com low kicks e chutes médios, que usa para debilitar gradativamente a mobilidade do oponente. Se quiser jogar mais seguro, o melhor caminho para Bendo é evitar as pedradas de direita do russo, meter pressão nos clinches, colocar para baixo e trabalhar golpes na meia-guarda, outro fator intenso em seu estilo.

Mas a versatilidade do cabeludo pode ser mais exigida, já que todo controle de solo é difícil de ser mantido durante muito tempo contra atletas da escola russa.

Khabilov é eficiente em responder golpes com quedas. Seu wrestling é solto, com suplex vistosos. Com boa desenvoltura na média distância, o russo deve apostar nas trocas francas mais extensas, sobretudo nos primeiros assaltos. 

Aí a demanda física pode entrar pesado como handicap. Khabilov tem demonstrado cansaço em combates recentes de três rounds. Henderson tem 'calo' de sobra em lutar cinco assaltos (já o fez por 11 vezes na carreira). Com isso, se tornou uma ‘pedra de gelo’ capaz de executar estratégias longas e desenhar decisões favoráveis nos pontos. 

Diego Sanchez x Ross Pearson

Com o experiente Sanchez no octógono, pelo menos uma coisa é certeza. Vai ter cara amassada, sangue e pancada para todos os lados. Campeão peso médio do TUF 1, o lutador raramente recua, não importa o tipo de castigo que venha do outro lado. 

O britânico Pearson é um striker mais clássico, com boxe técnico repleto de contragolpes e capacidade de aceitar o estilo brigador do oponente ao melhor jeitão ‘risca-faca’. O choque de estilos será interessante. Não creio muito em luta travada, mas dá para vislumbrar que o desafio ficará com algum bônus da noite. Veremos. 

John Dodson x John Moraga

Dodson é um dos melhores prospectos até 56kg. O atleta da Jackson MMA faz jus aos denominadores comuns dos moscas ao articular transições e ataques com muita variedade de combinações. 

Moraga joga mais seguro.Tem wrestling mais apurado e aposta pesado no infight. Assim, é chegado na força dos clinches com cotoveladas e golpes de carga, o que deve tornar a contenda um jogo de ‘gato e rato’ de 15 minutos. Vence que impor melhor a obviedade técnica. Ou algo parecido.

Rafael dos Anjos x Jason High

O brasileiro vinha de cinco vitórias consecutivas, mas acabou dominado pelo russo Khabib Nurmagomedov, no UFC Orlando, em abril.

Oriundo do jiu-jitsu, o lutador carioca vem se destacando há anos pelas adaptações coesas no jogo de striking, atualmente sob a batuta de Rafael Cordeiro, na Kings MMA. 

Canhoto, Dos Anjos sabe bem como angular para confundir adversários destros e aplicar suas técnicas, com destaques para diversas fintas de mãos e pés ou chutes pesados de esquerda. 

Meio-médio de origem, High tentará a sorte na categoria de baixo. Mais limitado tecnicamente, o norte-americano confia na receita do preparo físico e do wrestling como base ofensiva para garantir vantagens. O problema é que 'apenas isso' contra Dos Anjos pode não bastar. 

MAIS! 

Luta da noite?
A tendência para Henderson x Khabilov é óbvia. Mas dá pra apostar na contundência explícita de Sanchez x Pearson como outro grande candidato.

Expectativas, de fato
Ben Henderson e Rafael dos Anjos. Vencendo bem, o primeiro fatalmente volta a se credenciar como contender mais direto ao campeão dos leves, e com isso embola o topo da divisão. O brasileiro caça recuperação após o 'pesadelo russo', e pode dar o primeiro passo para retomar a consistência no octógono e pleitear a tão esperada chance de título.

Nas preliminares
Sergio Pettis. O irmão do campeão peso leve Anthony Pettis tem apenas 20 anos e vinha de dez vitórias consecutivas até ser finalizado por Alex Caceres, na última atuação, em janeiro. Com estilo versátil e cheio de golpes de habilidade, o 'Fenômeno' encara Yaotzin Meza, confiante em mostrar lições aprendidas com o primeiro revés e retomar o caminho das vitórias.