Pular para o conteúdo principal

Raphael Assunção quer "bater o pé" por title-shot com vitória no UFC 226

Brasileiro mede forças com Rob Font neste sábado (7) em Las Vegas


Raphael Assunção está resoluto: caso vença Rob Font no UFC 226, que acontece neste sábado (7), em Las Vegas, ele quer ser o próximo desafiante ao cinturão dos pesos-galo.
Seu currículo é invejável: já são 10 vitórias em 11 lutas na categoria - com um triunfo e uma derrota para o atual campeão TJ Dillashaw -, e uma sequência atual de três resultados positivos, todos conquistados em 2017. Para ele, a quarta seguida deve ser suficiente.
“Com uma vitória no sábado quero bater o pé e quero falar para o patrão que eu não tenho mais interesse em lutar contra ninguém, em lugar nenhum, somente pelo cinturão”, disse o pernambucano em conversa com a reportagem do UFC Brasil.
Mais UFC 226: Durinho quer revelar novas "cartas na manga"Motivos para ver | Enquete: Miocic ou Cormier? | Holloway ou Ortega? | Melhores momentos da coletiva | Os brasileiros
A frase surpreende, vindo de um atleta conhecido por seu jeito calmo, que nunca foi de provocar adversários ou escolher lutas. Mas não se engane, ele continua rejeitando a estratégia de se promover com declarações, apenas acha que seus resultados já estão dizendo o bastante.
“Após minha última luta, falei que o que faria mais sentido seria a luta contra o Dominick Cruz, mas ele ficou tentando evitar, tentando uma brecha para disputar o cinturão novamente, então às vezes não adianta”, disse, “Cada pessoa tem uma posição diferente, para cada pessoa, as coisas acontecem diferente. Mesmo se eu fizer o trash talk, pode ser que aconteça ou não. Vou continuar fazendo meu trabalho como sempre fiz”.
Como principal concorrente ao sonhado title-shot, Raphael enxerga atualmente seu compatriota Marlon Moraes, um adversário que, curiosamente, ele venceu há pouco mais de um ano, em junho de 2017.
Marlon se reabilitou do revés com vitórias contundentes sobre John Dodson, Aljamain Sterling e Jimmie Rivera, nocauteando os dois últimos no primeiro round. Entretanto, na fila para disputar o cinturão, Assunção ainda crê que merece estar à frente do carioca.
“Minha vitória sobre ele foi uma vitória bem ganha. Não consegui fazer tudo o que eu quis, mas acho que dominei a luta”, analisou, “Fui bem mais contundente, foi uma vitória limpa e uma vitória contra o Rob Font deve me credenciar para disputar o cinturão”.
Isso não significa, no entanto, que o brasileiro já está cantando vitória neste sábado.
Font é o atual número 11 na divisão, venceu três de suas últimas quatro lutas e, em sua apresentação mais recente, surpreendeu nocauteando o também brasileiro Thominhas Almeida em janeiro deste ano.
“Ele é um cara bom, usa bem o boxe, os chutes, tem um know-how na parte de grappling, é completo”, disse Raphael sobre o oponente, “Acho que o estilo dele combina com o meu, de andar para frente, trabalha bem os golpes em cima. Acho que casa bem o estilo”.
Se tudo correr como o planejado para Raphael, o próximo passo será encarar quem sair vencedor do duelo entre TJ Dillashaw e Cody Garbrandt, dia 4 de agosto no UFC 227.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube