Pular para o conteúdo principal

Robbie Lawler: em suas próprias palavras

Lutador comenta sobre os momentos de sua carreira, até chegar na disputa do cinturão. Confira o UFC 181, AO VIVO e exslusivo, neste sábado, no Canal Combate

 
Robbie Lawler conduz suas entrevistas da mesma forma que luta. Não existem palavras (socos) desperdiçadas e toda sentença (golpe) conta. Com a aproximação de sua luta no evento principal do UFC 181, contra o campeão dos meio-médios Johny Hendricks, em 6 de dezembro, vamos reviver a carreira de “Ruthless Robbie” em suas próprias palavras.
 
- Confira o card do UFC 181
- AO VIVO e exclusivo, no Canal Combate

O NASCIMENTO DO PODER
“Eu cresci lutando, eu cresci socando o saco de areia, e uma coisa que as pessoas não imaginam é que eu comecei a levantar peso na terceira série. E quando eu dou um soco ou um chute no saco, eu faço com força. Eu faço tudo com força e com a intenção de machucar a pessoa e nocauteá-la, e acho que isso me ajudou. Eu acredito que construí minha força nos punhos; eu não acho que isso nasceu comigo. Acho que seria ridículo dizer que, depois de todo o trabalho duro e anos de treinamento, meu poder de nocaute foi me dado como um presente ou coisa parecida.”

A LEI DE LAWLER
“Se eu jogo baseball, vou atrás de homeruns; se jogo na linha defensiva, eu irei conseguir tirar meu oponente, e farei isso de maneira empolgante. É dessa forma que eu faço as coisas. Não é que eu esteja tentando fazer dessa forma. É natural. Se a torcida gostar, gostou. Se não gostar, não gostou, mas normalmente eles gostam.”

A LEI DE LAWLER – PARTE II
“Eu gosto de deixar as coisas simples”, ele disse. “Eu continuo indo para frente, seguindo meu caminho, e não fico me debruçando sobre qualquer coisa do meu passado.”

INÍCIO
“Eu sempre gostei de lutar. Meu irmão me batia, e quando nós íamos para a escola, as crianças iriam ver quem era a mais durona entre elas no pátio do colégio. Era um instinto natural lutar por aí. Meu pai me colocou para treinar artes-marciais quando eu era pequeno, mas então eu me mudei para Iowa e comecei a treinar wrestling, que eu não tinha feito antes. Então Pat (Miletich) veio para o colégio para dar treinos. Ele viu que eu era uma criança durona e me convidou para treinar com ele.”

VIDA COM O SISTEMA DE TREINOS DE MILETICH
“Era apenas um monte de caras que trabalham duro, que faziam isso antes do esporte ser visto como algo bacana e trabalhavam duro todos os dias para chegar nesse nível. Todos eram cascas-grossas. Se você durasse uma semana em nossa academia, pode acreditar que não era pouca coisa.”

SACRIFÍCIO
“Eu adorava treinar e amo competir, e ir para a academia era estar cercado de caras que gostavam de fazer as mesmas coisas. E eles estavam sedentos por isso e iriam fazer com que eu ficasse ainda melhor. Eu tinha amigos fora do esporte, mas todos os meus parceiros eram mais velhos: Jens, Horn, Hughes. Todo mundo era mais velho e eu realmente não me olhava como se tivesse 20 anos. Eu me via na idade deles, mesmo sendo mais novo.”

VIDA FORA DO UFC
Eu era muito feliz. Muitas pessoas não sabiam que eu ainda lutava. No passado, ou era o UFC ou não era nada. Mesmo quando eu estava lutando no CBS e no Showtime, algumas pessoas achavam que eu estava fora do jogo, o que eu até gostava de certa maneira.”

OS ANOS DE AFASTAMENTO
“Eu pude crescer como pessoa, ser um lutador, e sair dos holofotes. Eu apenas saia para trabalhar e para me divertir todos os dias. Eu sou e sempre serei um desses caras que não ligam de não estar na TV e fazer as mesmas coisas, ganhando a mesma quantidade de dinheiro, e se ninguém souber o que eu estou fazendo, por mim tudo bem. Eu apenas amo competir e foi isso que escolhi.”

LEGADO?
“Eu era jovem. Eu estava lá por apenas queria treinar duro, derrotar os outros e me divertir. Não me preocupo muito com essas coisas. Mas é definitivamente algo que você pensa quando fica mais velho.”

UMA INSPIRAÇÃO
“Eu percebo que eu inspirei muitas pessoas pela maneira com que eu rejuvenesci minha carreira e por sempre acreditar em mim mesmo. E é fantástico ser uma inspiração para os outros, mas eu realmente quero apenas me concentrar em mim e tentar melhorar todos os dias, e é só isso que posso fazer. Mas é legal você servir de exemplo e não inspirar apenas lutadores, mas pessoas normais, do cotidiano.”

VENCENDO O TÍTULO?
“Provavelmente terá um enorme sorriso em meu rosto, mas acho que o sorriso será mais por conta de toda a jornada que percorri, não necessariamente apenas por este dia. Será a jornada de tudo e de todos que participaram dela ao longo do caminho.”
 
- Confira o perfil de Robbie Lawler