Pular para o conteúdo principal

Sarafian retorna aos médios e aposta em treinos nos Estados Unidos para voltar a vencer

 Brasileiro enfrenta Dan Miller no UFC Barueri, em 20 dezembro

 Faltando praticamente um mês para retornar ao octógono, quando enfrenta Dan Miller no UFC Barueri, em 20 de dezembro, Daniel Sarafian não esconde a ansiedade em voltar a lutar no Brasil. Em entrevista ao UFC.com.br, o lutador garantiu está adaptado aos treinamentos nos Estados Unidos e que não sente pressão para voltar a vencer, apesar dos atuais maus resultados.

Em sua última apresentação, Sarafian lutou na categoria dos meio-médios e acabou finalizado pelo japonês Kiichi Kunimoto ainda no primeiro round. “Eu fui muito infeliz. O processo de perda de peso foi péssimo para meu corpo e para o meu psicológico. Prefiro parar de lutar de lutar do que vivenciar aquilo novamente. Eu já entrei no octógono derrotado”, comentou.

Ele então resolveu que era a hora de fazer algumas mudanças. A primeira foi retornar aos médios, onde chegou à final da primeira edição do The Ultimate Fighter Brasil. Depois, Sarafian foi treinar nos Estados Unidos, na academia Power MMA, com C.B. Dollaway, com quem fez sua primeira luta na organização, no UFC on FX: Belfort vs. Bisping, em 2013, saindo derrotado por decisão dividida.

“O lugar é excelente. O principal motivo pelo qual eu vim para os Estados Unidos foi para aprender mais sobre o jogo dos wrestlers, algo que faltava em mim. Eu e o Dollaway nos tornamos bons amigos e temos aprendido muito um com o outro. Como já nos enfrentamos, fazemos um treino bem pesado e competitivo, onde ninguém quer dar o braço a torcer”.

Quando o assunto é a luta principal do evento, entre o norte-americano e o ex-campeão dos meio-pesados, Lyoto Machida, Sarafian acredita em uma pequena vantagem do brasileiro. “Quem acha que será uma luta fácil, está enganado. Qualquer lutador sabe que o Lyoto é um dos caras mais difíceis de enfrentar, pois ele é muito imprevisível. Ele é o favorito pela sua história, mas eu sei que o C.B. não tem nada a perder e vai lutar com unhas e dentes”.

Quando soube que iria enfrentar Dan Miller, o brasileiro não conseguiu esconder a felicidade. “Ele luta da maneira que eu gosto. É um cara que parte pra cima, que não tenta ganhar por pontos. Não vou falar qual é minha estratégia, mas tenho certeza que vamos dar muitos socos um na cara do outro”, disse.

Agora, Sarafian espera que essas mudanças apareçam no octógono, para ter seu braço levantado ao final do combate. “Adoro lutar em casa, lutar para o meu público. Quero colocar em prática tudo o que aprendi. Nunca estive tão tranquilo e sei que não irei perder para mim mesmo de novo”.