Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Seis motivos para não perder o UFC 206

Evento acontece neste sábado (10) e define o próximo adversário de José Aldo pelo cinturão


Anthony Pettis x Max Holloway já era um duelo intrigante quando foi anunciado. Era uma luta de três rounds, sem cinturão em jogo, destinada a ter 15 minutos de trocação furiosa.
Mas quando Daniel Cormier foi forçado a deixar a luta principal do UFC 206, quando defenderia o cinturão dos meio-pesados contra Anthony Johnson, Pettis e Holloway foram movidos para a nova luta principal. Isso significa 25 minutos pelo cinturão interino dos pesos-pena, e a garantia de desafiar o campeão José Aldo no início de 2017.
É difícil não ficar empolgado com estas novas circunstâncias.
Mais UFC 206: Olho Neles!
O presidente do UFC Dana White revelou que o ex-campeão dos penas Conor McGregor estará fora de ação por cerca de 10 meses. A última coisa que todos querem é uma divisão parada por mais de um ano quando há tantos desafiantes incríveis no topo.
Pettis, ex-campeão dos leves do UFC, e Max Holloway - que atravessa uma incrível sequência de nove vitórias consecutivas - gostam de trocação. Não deve haver muita luta agarrada. Quando a luta começar, estes dois vão para resolver, e vai ser a velocidade e técnica de Holloway contra a experiência e os potentes chutes de Pettis.
Os 841 golpes significativos aplicados por Holloway o colocam como o número um neste quesito na história dos penas no WEC/ UFC. Isso é mais que José Aldo, Frankie Edgar e que o próprio Conor McGregor.
Quanto a Pettis, ele já venceu quatro lutas com chutes, cinco das seis vitórias foram por nocaute ou finalização, e ele nunca foi nocauteado ou finalizado no octógono.
Holloway x Pettis é o motivo número um para não perder o UFC 206, neste sábado, 10 de dezembro, ao vivo e exclusivo no Canal Combate.
2 - Cowboy leva sequência invicta nos meio-médios ao Canadá
Quando Robbie Lawler estava escalado para enfrentar Donald Cerrone no UFC 205, a chance de uma completa destruição no octógono era enorme. Contra o 14º colocado no ranking, Matt Brown, esta chance se mantém.

Brown gosta de ir para a guerra dentro do octógono, e isso encaixa perfeitamente, visto que Cerrone é um dos trocadores mais perigosos de todo o MMA.
Desde que mudou para os meio-médios, Cerrone está mais impressionante do que nunca. Ele não tem mais cortado tanto peso e está em forma na noite da luta. Ele já subiu à 5ª posição na divisão, e pode ganhar ainda mais em caso de uma boa vitória sobre Brown.
3 - Choi tem a chance de se mostrar em um grande palco
Quando falamos de promessas do UFC, talvez não exista nenhuma maior do que o peso-pena Dooho Choi.
O coreano de mãos pesadas construiu seu nome nocauteando no primeiro round em suas três primeiras lutas no Ultimate. Choi está à beira do Top 10 na categoria e terá um teste para subir mais um degrau contra Cub Swanson, o número 4.
Swanson vem de duas vitórias consecutivas e tem sido um dos principais nomes da divisão há quase uma década, desde os dias de WEC. Ele está renovado após um tropeço no início de 2015, e vai testar a potência e a resistência de Choi na noite da luta.
4 - O futuro dos meio-pesados no card preliminar
Em um excelente casamento, o oitavo colocado no ranking, Nikita Krylov, enfrenta o 13º, Misha Cirkunov, na última luta do card preliminar.

Krylov talvez seja o lutador mais embalado do esporte que as pessoas ainda não notam. Ele venceu suas últimas cinco lutas, todas por nocaute ou finalização.
Quanto a Cirkunov, ele bate pesado e é um lutador versátil, com um cartel de 12-2 no MMA. Cirkunov venceu suas três lutas no UFC, finalizando seus últimos dois oponentes.
O vencedor começa imediatamente a pensar em desafio de cinturão na divisão dos meio-pesados.
5 - Vannata volta para provar a que veio
Se você perdeu o duelo entre Tony Ferguson e Lando Vannata em julho, você precisa assisti-lo. Vannata aceitou a luta em cima da hora e quase colocou um fim à sequência do “El Cucuy” de sete vitórias consecutivas (na época), que agora já são nove.
Vannata tem um enorme volume de golpes, e com um cartel de 8-1 - e agora contra um oponente mais nivelado e com tempo hábil para se preparar - pode esperar que ele faça barulho em Toronto contra John Makdessi, que vai estar completamente disposto à trocação franca.
Assine o Canal Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC