Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Seis motivos para não perder o UFC 210

Evento terá disputa pelo cinturão dos meio-pesados na luta principal


A luta principal do UFC 210 é a definição de uma disputa de título com muita coisa em jogo.
Todas as disputas de título são muito importantes, mas para o campeão dos meio-pesados Daniel Cormier e para Anthony Johnson, esta é uma luta ainda maior.
Pairando sobre a divisão está Jon Jones, que voltará ao octógono em poucos meses. O antigo rei dos meio-pesados provavelmente enfrentará o vencedor de Cormier x Johnson, e para o atual campeão, é uma luta que ele precisa desesperadamente.
Mais UFC 210: Olho Neles! | Rumble não quer bater na trave | Mousasi confiante contra Weidman | Weidman tem nova inspiração para lutar | Como é receber um golpe de Anthony Johnson? | Cormier revela estratégia contra Johnson | Top 10: as lutas imperdíveis de abril
O único defeito no que seria um cartel perfeito tanto como peso-pesado quanto como meio-pesado de Cormier é uma derrota para Jones no UFC 182. Uma derrota para Johnson neste momento pode ser devastadora para a carreira de Cormier, de 38 anos. Uma vitória de DC garante virtualmente a revanche com Jones e a chance de sacramentar seu legado.
“Rumble” vai para sua segunda oportunidade de levar o cinturão após perder para DC em 2015. Se Anthony cair novamente, não há garantias de que ele terá outra chance.
O UFC 210 acontece no KeyBank Center em Buffalo, Nova York, no sábado, 8 de abril, e o combate entre Cormier e Johnson pelo cinturão dos meio-pesados é o motivo número 1 para não perder.

2 - Conseguirá Rumble lidar com o jogo de DC?
Nos meses que anteciparam a revanche entre Cormier e Johnson, o campeão foi bem claro sobre seus planos de trocar com Johnson. Ele disse que vai se arriscar contra um dos mais perigosos strikers na história do MMA.
O conhecimento geral diz que DC está apenas tentando entrar na cabeça de Johnson, e que, quando a luta começar, ele vai eventualmente colocar Rumble para baixo.
Na primeira luta, Cormier aplicou três quedas em Johnson e acabou conquistando a finalização no terceiro round. O campeão está 7-0 em lutas nas quais ele aplica pelo menos duas quedas.
Enquanto Johnson e Cormier estiverem em pé, DC estará em perigo constante graças ao arsenal de golpes de Johnson. Rumble tem 11 nocautes na carreira, a segunda maior marca na história do UFC. Ele também é o quarto na história com 13 knockdowns e seus cinco nocautes em menos de um minuto são o maior número da história do UFC.

3 - Jogo de xadrez na luta co-principal
Chris Weidman sempre foi reconhecido por sua versatilidade. O wrestling é sua base, mas o ex-campeão fez seu nome nocauteando Anderson Silva, o que mexeu com a estrutura de todo o MMA.
Agora, Weidman encara Gegard Mousasi, um lutador experiente que talvez seja ainda mais versátil que o “All-American”.
Que tal essas estatísticas: Mousasi tem a quinta maior diferença entre golpes desferidos e sofridos por minuto (+2.07) na história dos médios, a terceira melhor porcentagem de golpes defendidos entre atletas em atividade na categoria (64,3%) e a segunda melhor porcentagem de defesa de quedas entre atletas em atividade na categoria (82,8%).
O que tudo isso significa? Mousasi bate mais em seus oponentes do que apanha, é o terceiro peso-médio no mundo mais difícil de se acertar e, quando a trocação não funciona, os adversários aplicam quedas no ex-campeão do Strikeforce em apenas 17,2% das tentativas.
Este é o quebra-cabeça que Weidman precisará resolver no UFC 210.
A boa notícia para Weidman é que ele tem o terceiro melhor aproveitamento em quedas entre pesos-médios em atividade (49%) e que suas seis vitórias por nocaute ou finalização desde 2011 são o maior número na categoria nesse período.
4 - Ex-campeão quer causar impacto
Will Brooks chegou ao UFC após comandar a divisão dos leves em sua organização anterior. Desde sua entrada no octógono, Brooks tem uma vitória e uma derrota e ainda não achou sua zona de conforto.
Mas Brooks tem sido considerado um peso-leve Top 10 há alguns anos, e poderá se reafirmar caso impressione contra Charles Oliveira na primeira luta do card principal.
Oliveira está voltando aos pesos-leves após sofrer duas derrotas seguidas nos penas. O brasileiro tem oito bônus de Performance da Noite na carreira e pode se reestabelecer na nova divisão com uma vitória sobre Brooks.
5 - Promessas do peso-palha colidem
Os últimos meses tem sido uma loucura para Cynthia Calvillo. A lutadora fez sua estreia no UFC 209 finalizando Amanda Cooper após ser chamada de última hora como substituta.
Agora, apenas um mês depois, Calvillo retorna para mais um card principal de um grande evento.
Do outro lado do octógono estará a estreante no UFC Pearl Gonzalez, uma jovem lutadora que tem chamando atenção com cinco de suas seis vitórias na carreira vindo por nocaute ou finalização.
6 - Campeão do TUF 21 pronto para deixar sua marca
Kamaru Usman parece ser um legítimo futuro desafiante a título. O condecorado wrestler treina com a equipe Blackzilians na Flórida e tem mostrado evolução na trocação a cada vez que compete.
Usman enfrenta o também promissor Sean Strickland, que será um perfeito teste para Usman neste momento. Strickland está 5-1 e vem de três vitórias consecutivas.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC