Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Thales Leites prega calma e versatilidade para encerrar jejum contra Camozzi

Brasileiro entra em ação no UFC Salt Lake City, neste sábado (6)


Quando finalizou Tim Boetsch em janeiro de 2015, Thales Leites estava no paraíso no Ultimate: consolidado no Top 10 entre os pesos-médios, com quase cinco anos de invencibilidade, e premiado com os bônus de “Performance da Noite” e “Luta da Noite” no UFC 185.
Cerca de um ano e meio depois, ele pisa no octógono em uma situação bastante diferente.
Thales foi derrotado nas duas lutas seguintes à vitória sobre Boetsch, perdendo na decisão dos jurados para Michael Bisping e Gegard Mousasi. Fatalidades, que não fizeram o carioca de 34 anos desanimar.
“O que passou, passou. Agora é mirar no futuro, aprender com os erros e seguir em frente”, disse, em conversa com a reportagem do UFC Brasil, “Não tem por que ficar pensando mais nas derrotas, não há pressão nenhuma. Minha cabeça está ótima, estou apenas focado em entrar e dar meu melhor”.
O canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC
Apesar de deixar os reveses para trás, os seis meses que separaram a luta contra Mousasi e o próximo compromisso de Thales, neste sábado (6), contra Chris Camozzi, no UFC Salt Lake City, foram de muita reflexão.
“Na luta contra o Bisping, eu precisava ter sido mais versátil. Entrei buscando apenas o nocaute, foi um erro de estratégia mesmo. Quis definir a luta, quando poderia ter tentado derrubar, pelo menos para pontuar”, analisou o lutador.
“O Mousasi também é duríssimo, mas senti que poderia ter dado um pouco mais. Até tentei derrubar, e não consegui, mas poderia ter andado mais para frente, me movimentado melhor. O mais importante é ser versátil, tentar mesclar um pouco de tudo”, disse.

Lutando mais uma vez contra um atleta oriundo da trocação, o faixa-preta de jiu-jítsu quer provar que aprendeu com os erros, encerrar o jejum e voltar para o Top 10. E está confiante de que conseguirá.
“A preparação para a luta foi ótima. Treinei muita trocação, kickboxing, pois é o ponto forte do meu adversário, e estou bastante tranquilo. Estou bem preparado, na ponta dos cascos”, garantiu Thales.
Mais UFC SLC: Olho neles
O americano Chris Camozzi é velho conhecido dos brasileiros no Ultimate. Já enfrentou cinco, em seis lutas, e perdeu quatro delas. Thales reconhece a qualidade do oponente, mas pretende ser mais um do país a derrotá-lo.
“Não cheguei a conversar com nenhum deles (brasileiros que o enfrentaram), mas assisti as lutas e vi que é um cara que evoluiu muito. Ele é bem duro, aceitou uma luta contra o Jacaré em cima da hora, e agora vem de três vitórias seguidas, ganhou do Vitor Miranda, que é um grande lutador. Mas estou pronto e preparado para todas as armadilhas do Camozzi”, concluiu.
O UFC Salt Lake City acontece neste sábado (6), a partir das 19h15, com transmissao ao vivo e exclusiva do Canal Combate. Assine já e não perca!