Pular para o conteúdo principal

The Time Is Now - o que esperar

Os próximos três meses prometem lutas emocionantes para os fãs do UFC

Depois de uma excelente estria no México, com o UFC 180, no sábado, o UFC estende o tapete vermelho nesta segunda-feira (17), em Las Vegas, para as estrelas da organização que vão entrar no octógono ao longo dos próximos três meses. Eles lançarão a campanha “The Time Is Now”.

Apesar de vários eventos extraordinários e de lutas importantíssimas que vão acontecer nas próximas quatro semanas, é difícil não olhar para os combates principais do fim de 2014 e começo de 2015, e não ficar entusiasmado.

Desde o retorno de uma lenda, passando por uma série de lutas históricas por três cinturões, os próximos três meses serão notáveis e com duelos imperdíveis.

Preparem-se - os próximos três meses vão ser eletrizantes.

Lyoto Machida VS. C.B. Dollaway - UFC Barueri: MACHIDA VS. Dollaway (20 de dezembro)

Vindo de uma luta candidata a melhor do ano contra Chris Weidman no UFC 175, em julho, Machida retorna ao octógono buscando manter seu lugar na talentosa e disputada divisão até 84 kg. O ex-campeão dos meio-pesados tem sido excepcional desde que baixou para os médios e estará focado em outro forte desempenho, tenando interromper a escalada de um talentoso grupo de lutadores e se manter na parte de cima do ranking.

Esse grupo inclui Dollaway, o ex-finalista do The Ultimate Fighter que entra na maior luta de sua carreira com uma série de duas vitórias. O membro da Power MMA encontrou seu ritmo dentro do octógono, vencendo quatro das últimas cinco, incluindo uma impressionante vitória por nocaute sobre Cezar Ferreira e uma “Performance da Noite” no triunfo contra Francis Carmont, em maio.

A divisão dos médios nunca foi tão competitiva, o que faz esse duelo ser de suma importância para os dois lutadores. Uma vitória de "The Doberman" vai aproximá-lo do título e de outra grande luta em 2015, já Machida pode retomar sua caminha para uma segunda chance pelo cinturão da categoria.

Jon Jones VS. Daniel Cormier - UFC 182 (03 de janeiro)

Essa luta deveria ocorrer em setembro, mas uma lesão de Jones adiou a disputa para janeiro. Porém, a espera fez com que a rivalidade dos dois aumentasse ainda mais as expectativas para o UFC 182.

Jones e Cormier estão em rota de colisão desde que “DC" chegou ao UFC como peso pesado. O ex-atleta olímpico voltou suas atenções para o campeão meio-pesado desde o início e construiu seu caminho para alcançar a posição de desafiante ao derrotar Frank Mir, Roy Nelson, Patrick Cummins e Dan Henderson. Cormier, e seu cartel perfeito (15-0), rapidamente se tornou um dos lutadores mais perigosos do esporte e tem todas as ferramentas para destronar o campeão no início de janeiro.

Mas derrotar Jones não é tão fácil assim.

"Bones" está em, sem dúvidas, uma das maiores corridas de sucesso na história do UFC - 11 vitórias consecutivas e sete defesas de título bem sucedidas contra os melhores da divisão. Em sua última aparição, Jones anulou Glover Teixeira, superando o nocauteador brasileiro na trocação e faturando a decisão unânime.

Jones e Cormier são dois dos melhores no esporte hoje e quando você leva em conta a rivalidade entre eles, não se surpreenda se tivermos uma Luta do Ano logo no princípio de 2015.

Conor McGregor VS. Dennis Siver - UFC Fight Night Boston: McGregor vs. Siver (18 de janeiro)

"The Notorious" é impressionante. Em menos de dois anos, o impetuoso peso pena irlandês passou de novato à atração principal em uma lotada arena na cidade de Dublin, quando derrotou Dustin Poirier e conseguiu um forte argumento para ser o No. 1 na divisão.

E ele não está apenas curtindo a fama, McGregor aceitou enfrentar Siver na luta principal do UFC Fight Night Boston, em janeiro.

Siver busca emplacar, nos penas, a mesma boa sequência que teve como leve, um sólido 7-2. Tirando sua derrota por interrupção para o top contender Cub Swanson, o kickboxer conseguiu boas vitórias contra Diego Nunes, Nam Phan e Charles Rosa.

Será que o bem-vestido irlandês vai continuar a sua caminhada para o topo da divisão ou o subestimado striker vai atrapalhar suas aspirações pela disputa de título?

Alexander Gustafsson x Anthony Johnson - UFC Fight Night Suécia 2015 (24 de janeiro)

Apenas três semanas após Jones e Cormier se enfrentarem pelo cinturão dos meio-pesados, o próximo desafiante será decidido quando o UFC voltar à Estocolmo para realizar um show, pela segunda vez em um estádio, com "The Mauler" enfrentando "Rumble" na luta principal.

Gustafsson manteve seu lugar no topo da lista da categoria meio-pesado com uma dominante vitória sobre o então invicto nocauteador Jimi Manuwa, em março. A vitória selou uma revanche contra Jones, mas não era para ser, uma vez que o sueco sofreu uma lesão no joelho e foi substituído por Cormier. Recuperado e pronto para reafirmar sua posição como o nº 1, o representante da Allstars Training Center vai dar as boas vindas à Johnson em território sueco.

É simplesmente impressionante imaginar que Johnson competiu como meio-médio observando sua capacidade de destruição nos meio-pesados. Enfrentando problemas com a balança em sua primeira passagem pelo UFC, o nativo da Georgia agora, como meio-pesado, está mostrando por que sempre foi considerado um lutador top, despachando de forma dominante nomes como Phil Davis e Rogerio Nogueira.

O vencedor deste combate será o próximo desafiante meio-pesado, e sabendo da capacidade desses dois, a luta tem tudo para ser mais do que empolgante.

Anderson Silva x Nick Diaz - UFC 183 (31 de janeiro)

Já teve alguma luta, sem título em jogo, tão aguardada como esta?
Os dois lutadores estão retornando de longos hiatos em suas carreiras - Diaz com uma pausa auto-imposta após derrota no UFC 158 para Georges St-Pierre, e Silva após um ano se recuperando da fratura na perna sofrida no UFC 168 - e entram no octógono com incomuns séries de derrotas.

Esses elementos poderiam reduzir as expectativas para a luta, mas a verdade é que este é um combate dos sonhos para os fãs, e parecia, por muitas vezes, que nunca sairia da imaginação. Porém, as estrelas se alinharam, e agora esses dois talentos vão entrar no octógono no Super Bowl de sábado.

"The Spider" pode voltar a velha e conhecida forma e construir seu caminho para outra disputa de título? Diaz está pronto para fazer sua própria corrida, começando com uma vitória sobre o maior de todos os tempos? 31 de janeiro poderia chegar logo!

Ronda Rousey VS. Cat Zingano - UFC 184. (28 de fevereiro)

Rousey não dever receber as considerações que ela merece para ser a Lutadora do Ano, principalmente porque gastou um total de 82 segundos dentro do octógono em 2014, mas foi isso que a campeã galo precisou para bater Sara McMann e Alexis Davis e manter seu título.

Seu calendário em 2015 começa com uma luta que foi originalmente programada para acontecer no UFC 168, a campeã vai defender o título contra a nª 1 Cat Zingano na luta co-principal do UFC 184.

Depois de ganhar uma chance pelo título e uma vaga como treinadora rival de Rousey no The Ultimate Fighter 18, Zingano foi forçada a sair dos dois compromissos por romper os ligamentos do joelho. Após 18 meses se recuperando, "Alpha" voltou ao octógono em setembro, conseguindo uma grande vitória sobre Amanda Nunes, para mais uma vez se posicionar diante da medalhista olímpica.

Este é, sem dúvida, um confronto das duas melhores lutadores do peso galo e tem potencial para explodir o Staples Center, em Los Angeles.

Chris Weidman VS. Vítor Belfort - UFC 184 (28 de fevereiro)

Uma das lutas mais esperadas de 2014, esta disputa de título peso médio pode ter sido adiada para 2015, mas não diminuiu nem um pouquinho a ansiedade dos fãs.

Vitor tem sido fenomenal desde que voltou ao UFC, em setembro de 2009, registrando um recorde de 6-2, liquidando seis vitórias e perdendo apenas para Anderson Silva e Jon Jones, em disputas de títulos. Belfort nocauteou três vezes em 2013, derrubando Michael Bisping, Luke Rockhold e Dan Henderson para voltar ao topo da lista de candidatos na divisão dos médios.

Tudo que Weidman fez até aqui consistiu em oito vitórias consecutivas no octógono, sendo duas delas sobre Anderson Silva e uma outra em sua mais recente defesa de título, contra Lyoto Machida, em uma das melhores lutas de 2014.

Uma contusão de Weidman adiou a disputa contra Belfort do UFC 181 para o UFC 184, em fevereiro, mas a luta continua a ser imperdível, e vai fechar com chave de ouro os três meses de grandes combates no octógono.