Pular para o conteúdo principal
Atletas

Relembre todos os campeões do peso-médio na história do UFC

Divisão até 83,9 Kg teve 11 detentores do título desde 2001

Confira uma lista com todos os campeões do peso-médio (até 83,9 Kg) do UFC desde a criação da categoria em 2001.

Dave Menne

O primeiro detentor do cinturão da categoria até 84 Kg no Ultimate foi o norte-americano Dave Menne. Em setembro de 2001, no UFC 33, ele foi escalado para disputar o título inaugural da divisão com Gil Castillo, triunfando por decisão unânime em duelo de cinco rounds. Seu reinado, no entanto, durou apenas quatro meses.

Confira os rankings oficiais de todas as divisões do UFC

Murilo Bustamante

Murilo Bustamante

Murilo Bustamante


O faixa-preta de jiu-jítsu Murilo Bustamante se tornou o primeiro brasileiro* a conquistar um cinturão do Ultimate em janeiro de 2002, quando venceu Dave Menne por nocaute técnico no UFC 35. O brasileiro fez sua primeira e única defesa de título em maio do mesmo ano, em uma famosa luta na qual precisou finalizar Matt Lindland duas vezes para ser decretado vencedor. Murilo acabou deixando a coroa vaga para competir pelo PRIDE meses depois.

* Nota: Royce Gracie, Marco Ruas e Vitor Belfort foram campeões de torneios do UFC, antes da criação das categorias de peso.

Evan Tanner

Evan Tanner caminha ao Octógono para luta com Yushin Okami no UFC 82 (Josh Hedges/Zuffa LLC)

Após a saída de Murilo do UFC, o cinturão dos médios voltou a ser colocado em disputa apenas em 2005 no UFC 51 no embate entre o ex-desafiante ao título dos meio-pesados Evan Tanner e David Terrell. Tanner conquistou a coroa com vitória dominante por nocaute técnico no 1º round, mas seu reinado, assim como o de Dave Menne, chegou ao fim apenas quatro meses depois.

Rich Franklin

Rich Franklin comemora com o cinturão no ombro após vencer Evan Tanner e conquistar cinturão dos pesos-médios no UFC 53 (Josh Hedges/Zuffa LLC)

O professor de matemática Rich Franklin fez sua estreia no UFC em 2003, justamente com vitória sobre Evan Tanner, e dois anos depois foi escalado para uma revanche valendo o título até 84 Kg da organização. Com mais um triunfo sobre o rival, "Ace" se tornou campeão dos médios e defendeu seu posto em duas ocasiões, até que um dos maiores nomes da história do esporte cruzou seu caminho. Em 2019, Franklin foi eleito ao Hall da Fama do UFC.

Anderson Silva

Anderson Silva comemora após vencer Vitor Belfort no UFC 126 (Jed Jacobsohn/Zuffa LLC)

Após se sagrar campeão do Shooto, no Japão, e do Cage Rage, na Inglaterra, além de competir no PRIDE, Anderson Silva chegou ao UFC em 2006 e após uma vitória sobre Chris Leben em 49 segundos já se transformou no desafiante número um ao cinturão dos médios.

O "Spider" conquistou o título ao nocautear Franklin de forma avassaladora ainda no 1º round e deu início assim a uma das grandes hegemonias do esporte. Nos seis anos seguintes, Anderson fez 10 defesas de título, incluindo embates históricos contra Chael Sonnen, Vitor Belfort, entre outros, além de vencer três lutas na divisão dos meio-pesados.

Chris Weidman

Weidman chegou ao UFC em 2011 com apenas quatro lutas como profissional e fez sua estreia no Octógono contra Alessio Sakara, vencendo por decisão unânime. O norte americano então acumulou quatro vitórias até enfrentar a lenda Anderson Silva em 2013, no UFC 162, pelo cinturão da categoria.

Em uma das maiores surpresas na história do esporte, Weidman nocauteou o brasileiro e conquistou o título. O norte-americano ainda fez três defesas, contra Anderson Silva, Lyoto Machida e Vitor Belfort, até perder o reinado para Luke Rockhold no UFC 194, em 2015, quando foi nocauteado no 4º round.

Luke Rockhold

Luke Rockhold comemora após a vitória sobre Chris Weidman no UFC 194 (Josh Hedges/Zuffa LLC)

O norte-americano Luke Rockhold chegou ao UFC depois da fusão do evento com o Strikeforce, onde era campeão. Na estreia, acabou nocauteado por Vitor Belfort no UFC Jaraguá, em 2013. Ele então emplacou quatro vitórias seguidas até ter uma chance de lutar pelo cinturão contra Chris Weidman, no UFC 194.

Rockhold teve uma grande performance, nocauteou o rival e saiu como o novo campeão. Seu reinado, porém, foi curto. Em uma revanche contra Michael Bisping, Rockhold acabou nocauteado no 1º round da luta principal do UFC 199, em 2016, perdendo o título da categoria.

Michael Bisping

INGLEWOOD, CA - JUNE 04:  Michael Bisping of England celebrates after his first round knockout win against Luke Rockhold in their UFC middleweight championship bout during the UFC 199 event at The Forum on June 4, 2016 in Inglewood, California.  (Photo by

INGLEWOOD, CA - JUNE 04: Michael Bisping of England celebrates after his first round knockout win against Luke Rockhold in their UFC middleweight championship bout during the UFC 199 event at The Forum on June 4, 2016 in Inglewood, California. (Photo by Harry How/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)


Membro do "Hall da Fama do UFC", Michael Bisping foi o vencedor do TUF 3 no peso meio-pesado, em 2006. O inglês demorou dez anos entre altos e baixos até ter a oportunidade de lutar pelo cinturão dos médios em 2016, quando substituiu Chris Weidman de última hora no UFC 199 e enfrentou Luke Rockhold em uma revanche.

Contrariando todas as expectativas, Bisping nocauteou o norte-americano e se tornou campeão dos médios. Ele fez uma defesa de título contra Dan Henderson no UFC 204, vencendo por decisão unânime, mas acabou perdendo a coroa para a lenda Georges St-Pierre no UFC 217, após ser finalizado com um mata-leão.

Georges St-Pierre

Georges St-Pierre of Canada celebrates with his championship belt after defeating Michael Bisping of England in their UFC middleweight championship bout during the UFC 217 event at Madison Square Garden on November 4, 2017 in New York City. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC)
Georges St-Pierre of Canada celebrates with his championship belt after defeating Michael Bisping of England in their UFC middleweight championship bout during the UFC 217 event at Madison Square Garden on November 4, 2017 in New York City. (Photo by Josh

Um dos maiores expoentes do MMA no mundo, o canadense Georges St-Pierre foi duas vezes campeão no peso meio-médio no UFC, até que resolveu se aposentar em 2013. Quatro anos depois, ele anunciou seu retorno para encarar o inglês Michael Bisping no UFC 217, em um combate válido pelo cinturão dos médios.

St-Pierre mostrou que ainda estava em grande forma e finalizou Bisping no 3º round com um mata-leão, ficando com o título. Além de ter sido sua estreia na categoria, ele se tornou o único lutador a ser campeão no peso meio-médio e peso-médio. Pouco tempo depois, vagou o título e se aposentou novamente.

Robert Whittaker

CHICAGO, ILLINOIS - JUNE 09:  Robert Whittaker of New Zealand celebrates after defeating Yoel Romero of Cuba by split decision in their middleweight fight during the UFC 225 event at the United Center on June 9, 2018 in Chicago, Illinois. (Photo by Josh H

CHICAGO, ILLINOIS - JUNE 09: Robert Whittaker of New Zealand celebrates after defeating Yoel Romero of Cuba by split decision in their middleweight fight during the UFC 225 event at the United Center on June 9, 2018 in Chicago, Illinois. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)


Outro campeão vindo do TUF, Robert Whittaker ganhou a temporada do "TUF Smashes" no peso meio-médio, em 2012. O lutador teve um início irregular no UFC e resolveu subir para os médios em 2014. Na nova categoria, conquistou diversas vitórias até lutar pelo cinturão interino da divisão contra Yoel Romero, em 2017, quando venceu por decisão unânime.

Com a aposentadoria de Georges St-Pierre, Whittaker foi declarado o campeão linear dos médios no mesmo ano. Ele então enfrentou Romero em uma revanche que não valeu o título, pois o cubano não bateu o peso, e acabou perdendo o cinturão para Israel Adesanya no UFC 243, em 2019, quando foi nocauteado pelo nigeriano.

Israel Adesanya

Israel Adesanya comemora no Octógono após a vitória sobre Paulo Borrachinha (Josh Hedges/Zuffa LLC)

Um dos principais nomes do kickboxing em sua geração, Israel Adesanya chegou ao Ultimate em 2018 cercado de expectativa e com um cartel invicto no MMA. Em seu primeiro ano na organização, somou cinco triunfos, incluindo uma vitória histórica sobre seu ídolo no esporte e maior campeão da divisão, Anderson Silva, que o credenciou a disputar o título interino dos 84 Kg com Kelvin Gastelum.

Após superar o norte-americano na Luta da Noite do UFC 236, ele unificou os cinturões com uma vitória expressiva por nocaute sobre o então campeão linear Robert Whittaker, conquistando a coroa que ostenta até hoje e que já defendeu em três ocasiões, superando Yoel Romero, Paulo Borrachinha e, mais recentemente, Marvin Vettori.