Pular para o conteúdo principal
Eventos

Top 10: Fechando 2019 em grande estilo

Tem sido um ano incrível, e dezembro será um encerramento fantástico

2019 foi um daqueles anos que parece ter voado e, ao mesmo tempo, parece que não termina nunca - se é que isso faz sentido.

Por um lado, muita coisa aconteceu desde que a campanha do UFC começou no Barclays Center, no Brooklyn, Nova York, com Henry Cejudo defendendo com sucesso o título peso-mosca, mas, ao mesmo tempo, parece que foi ontem que Jorge Masvidal começou seu incrível ano nocauteando Darren Till e servindo os infames “três lanches e um refrigerante” nos bastidores de Londres também.

Independentemente de sua posição sobre a rapidez com que o ano progrediu, chegamos ao último mês de 2019 e a lista de dezembro está absolutamente incrível. Toda essa coluna poderia ser composta apenas pelo card do UFC 245, mas a realidade é que isso significaria ignorar um monte de lutas interessantes que acontecerão antes e depois do evento numerado.

Foi um ano excelente no geral, e dezembro deve produzir um capítulo final fantástico.

Aqui estão algumas lutas que mais despertam meu interesse no próximo mês.

Este é o Top 10.

Brasil

UFC DC: Overeem x Rozenstruik
Sábado, 7 de dezembro (Washington, DC – EUA)

Cody Stamann x Song Yadong

Neste ano tivemos várias lutas que serviram para definir se alguns dos novos nomes do UFC estão prontos para a competição de elite, e este embate está entre um dos melhores dessa lista pois Stamann é o tipo de lutador experiente e talentoso que tem tudo para pressionar o iniciante ultra talentoso Song.

Uma lesão no joelho manteve a promessa chinesa de molho até julho, mas Song não mostrou sinais de ferrugem em seu retorno no UFC 239, precisando de pouco mais de dois minutos para derrotar Alejandro Perez e garantir a maior vitória de sua carreira. Ele faz 22 anos alguns dias antes deste evento, e uma vitória sobre Stamann o consolidaria como uma das principais estrelas jovens da lista, se ainda não o é.

O ex-aluno da Grand Valley State University, Stamann é um dos talentos mais subestimados na categoria até 61 Kg, com um cartel 18-2 com vitórias sobre Perez, Bryan Caraway e Tom Duquesnoy. Ele é um wrestler sólido que usa bem suas habilidades e geralmente encontra uma maneira de manter as coisas na curta distância, por isso será interessante ver se ele pode interromper a ofensa dinâmica e de fluxo livre de Song.

Marina Rodriguez x Cynthia Calvillo

Essa é uma luta incrível que terá um impacto real na corrida pelo título peso-palha.

Rodriguez é um dos segredos mais bem guardados do UFC – uma especialista em Muay Thai invicta que conquistou vitórias consecutivas sobre Tecia Torres e Jessica Aguilar depois de empatar com Randa Markos em sua estreia promocional. A brasileira de 30 anos foi escalada para substituir a lesionada Claudia Gadelha neste evento, e pode se lançar no meio da fila com uma exibição dominante neste combate.

Dois anos atrás, Calvillo estava correndo pelo seu primeiro ano no plantel e subindo no ranking antes de perder por decisão unânime para ex-campeã Carla Esparza. Desde então, a californiana se recuperou com um par de vitórias, mostrando um desenvolvimento contínuo na busca para complementar seu já forte jogo de luta.

Posicionadas em 9 e 10, respectivamente, no ranking, a vencedora desta deve se posicionar para uma batalha no horário nobre ao começar sua campanha de 2020.

Trio brasileiro no UFC DCSaiba como assistir ao UFC DC | Confira o card completo

Alistair Overeem x Jairzinho Rozenstruik

Poderemos ver uma troca de guarda na divisão de pesos-pesados ​quando o striker Rozenstruik entra com pouca antecedência para enfrentar Overeem, um dos lutadores mais condecorados da divisão?

Já foi um ano incrível para o kickboxer de 31 anos do Suriname, pois Rozenstruik conquistou um trio de vitórias para se estabelecer como um dos principais novatos de 2019. Suas últimas duas lutas somaram 38 segundos e se "Bigi Boy" puder aumentar sua invencibilidade para dois dígitos com uma vitória neste sábado, não haverá muitas pessoas ansiosas para compartilhar o Octógono com ele no próximo ano.

Overeem diminuiu sua atividade nos últimos anos, mas claramente ainda é uma ameaça, como comprovado nas vitórias de primeiro round sobre Sergei Pavlovich e Aleksei Oleinik. O astro holandês reside atualmente fora do Top 5, mas interromper a impressionante sequência de sucesso de Rozenstruik pode ser exatamente o que ele precisa para retornar a esse grupo exclusivo e começar mais uma corrida pelo título dos pesos-pesados.

Confira o que disseram as grandes estrelas do UFC 245 e as encaradas dos protagonistas da principais lutas do card, que será realizado em Las Vegas, no dia 14 de dezembro.


UFC 245
Sábado, 14 de dezembro (Las Vegas, Nevada – EUA)

Urijah Faber vs. Petr Yan

Esta é uma luta perfeita para os dois atletas, por isso parabenizo os matchmakers pela proposta e aos lutadores por assinarem na linha pontilhada.

Yan tem sido tão bom quanto o anunciado desde que chegou ao UFC em 2018, vencendo cinco consecutivas e entrando em disputa na divisão peso-galo, rica em talentos. Ele venceu John Dodson em fevereiro e fez o mesmo com Jimmie Rivera no UFC 238 em Chicago, mas ainda não tem o tipo de vitória que o colocará na frente da fila de competidores em uma categoria de peso tão carregada.

Derrotar Faber certamente faria o truque, mas é mais fácil falar do que fazer, já que o “Garoto da Califórnia” de 40 anos terminou sua aposentadoria de 31 meses com uma vitória na primeira rodada sobre Ricky Simon, em julho. O orgulhoso pai de primeira viagem perdeu apenas para a competição de elite e mostrou que ainda está afiado ao nocautear Simon; portanto, apesar de Yan estar em grande momento, ele precisará tomar cuidado com o astuto veterano de Sacramento.

Marlon Moraes x José Aldo

Até alguns meses atrás, essa era uma luta que você só podia fazer no EA Sports UFC 3. Agora, é uma realidade extremamente convincente e uma das várias lutas incríveis previstas para o card principal do UFC 245.

Moraes cimentou seu lugar como o candidato número 1 na divisão peso-galo com uma vitória por finalização no primeiro round sobre Raphael Assunção em fevereiro, mas ficou aquém de sua tentativa de reivindicar o título vago em junho, perdendo para Henry Cejudo. O brasileiro é um lutador explosivo, com chutes fortes e um jogo de finalização oportunista, e depois de chegar ao topo cedo e perder no UFC 238, você pode ter certeza de que Moraes está ansioso para voltar ao trabalho e à coluna da vitória.

Aldo conseguiu sua própria vitória por interrupção no mesmo card em que Moraes bateu em Assunção, mas foi derrotado por Alexander Volkanovski três meses depois. Embora essa mudança para o peso-galo tenha pego muitos de surpresa, ele parecia estar em ótima forma no período que antecedeu a luta e, se a mudança acender o fogo do ex-campeão peso-pena, a categoria até 61 Kg poderia ser ainda mais emocionante e intrigante em 2020.

Amanda Nunes x Germaine de Randamie, pelo cinturão peso-galo feminino

Nunes entra nessa buscando continuar sua histórica trajetória de sucesso, enquanto a subestimada Randamie tentará se juntar a ela como a segunda mulher a conquistar títulos do UFC em duas categorias de peso.

A atual campeã conquistou nove vitórias consecutivas durante sua ascensão a ser reconhecida como a maior lutadora de todos os tempos, uma corrida que inclui nocautes consecutivos em Cris Cyborg e Holly Holm. Nunes trabalhou arduamente para arrumar as brechas em seu jogo e luta com uma ferocidade e poder que são incomparáveis ​​nas categorias femininas.

A desafiante não perdeu desde que as duas se enfrentaram em novembro de 2013. Desde então, "A Dama de Ferro" conquistou cinco vitórias seguidas, culminando com sua vitória sobre Aspen Ladd em julho. Uma kickboxer condecorada, de Randamie tem uma ligeira vantagem de altura e alcance, e pode ser a única competidora na divisão peso-galo ou peso-pena capaz de superar Nunes.

Max Holloway x Alexander Volkanovski, pelo cinturão peso-pena

Não seria dezembro no UFC sem uma aparição de Holloway, que tentará estender sua série de vitórias para 15 com a quarta defesa bem-sucedida ao enfrentar o desafiante australiano Volkanovski no evento co-principal do UFC 245.

"Blessed" conquistou uma vitória em dezembro a cada ano nos últimos quatro anos, incluindo a conquista do título interino dos penas, a segunda vitória sobre José Aldo e o triunfo sobre Brian Ortega no ano passado. Depois de falhar em sua tentativa de reivindicar o título interino peso-leve contra Dustin Poirier em abril, o destaque havaiano voltou à sua categoria de peso e teve outra performance dominante em julho, vencendo Frankie Edgar em Edmonton.

Tudo o que Volkanovski fez desde que chegou ao UFC foi vencer sete consecutivas, sempre aumentando o nível de competição. Depois de fechar o ano passado com uma vitória na segunda rodada sobre Chad Mendes, ele superou Aldo no Rio de Janeiro em maio para consolidar seu lugar como o principal candidato na categoria de 66 Kg, e agora ele tem a oportunidade de tentar parar os seis anos de sucesso de Holloway na divisão.

A “Era Abençoada” continuará ou Volkanovski trará um cinturão para a Austrália?

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube

Kamaru Usman x Colby Covington, pelo cinturão peso meio-médio

Esses dois estão em rota de colisão há alguns anos, e finalmente vão acertar as contas na T-Mobile Arena.

Usman venceu 14 consecutivas no geral e é um perfeito 10-0 dentro do Octógono, elevando sua série de vitórias para dois dígitos com uma performance magistral em sua batalha pelo título sobre Tyron Woodley em março. "O Pesadelo da Nigéria" tem um condicionamento excepcional, controle superior sufocante e poder suficiente nas mãos para manter o oponente atento, embora ele esteja muito mais confortável quebrando seu espírito com o grappling do que jogando as mãos.

Você pode não gostar da abordagem de Covington, mas não pode negar seu talento, pois o representante da American Top Team conquistou sete vitórias seguidas e 10 vitórias em 11 aparições no UFC até hoje, geralmente afogando seus oponentes com seu volume e ritmo. Covington é implacável, avançando o tempo todo, forçando os rivais a lidarem com pressão constante e socos curtos que continuam aumentando, sem nunca dar a chance de se estabelecerem e se defenderem.

Esses caras são bem parecidos em termos do que eles trazem para o Octógono, então, depois de ficarem paralelos por alguns anos, será bom finalmente colocá-los no cage para determinar quem é o melhor homem de uma vez por todas.

UFC Busan: Ortega x Zumbi
Sábado, 21 de dezembro (Busan – Coreia do Sul)

Volkan Oezdemir x Aleksandar Rakic

Vai ser ex-desafiante ao título contra estrela em ascensão no evento co-principal do retorno do UFC à Coreia do Sul este mês, enquanto Oezdemir tenta impedir que Rakic ​​suba na classificação dos meio-pesados.

Depois de perder uma decisão dividida questionável para Dominick Reyes em março, Oezdemir terminou um escorregão de três lutas com uma vitória na segunda rodada sobre Ilir Latifi em agosto. Quando ele está no seu melhor, o destaque suíço é um contra-atacante mortal com o tipo de poder repentino que acaba com as lutas. Enquanto três derrotas consecutivas parecem feias no papel, essas derrotas foram contra Daniel Cormier, Anthony Smith e Reyes, que somam 17-2 com um no-contest na divisão de meio-pesados ​​do UFC.

Rakic ​​teve uma mini-explosão no ano passado, encerrando sua campanha de 2018 com uma vitória no primeiro round sobre Devin Clark no UFC 231, mas ele realmente chamou atenção ao derrubar Jimi Manuwa com um chute na cabeça em apenas 42 segundos em Estocolmo. Agora com 12 vitórias consecutivas, o austríaco de 27 anos se posicionou como o herdeiro potencial do título de “A Grande Promessa de 93 Kg”, agora que Reyes foi oficialmente convocado para disputar o título no próximo ano.

O iniciante vai continuar crescendo no evento ou o veterano mostrará que precisa de um pouco mais de experiência antes de dar o próximo passo em sua busca pelo ouro?

Brian Ortega x Chan Sung Jung

Não há como não ser uma luta excelente, independentemente de como ela se desenrolar ou de quanto tempo durar, já que os dois são alérgicos a brigas chatas.

Esta será a primeira aparição de Ortega desde sua tentativa de arrancar o título de Holloway em dezembro passado, então será interessante ver que tipo de impacto duradouro, se houver, que a luta teve sobre o talentoso californiano. Antes dessa batalha, Ortega estava rolando, apresentando golpes aprimorados e um jogo de finalização hábil misturado com dureza, coração e capacidade de brilhar em situações difíceis.

Jung perdeu em um combate destruidor de corações no final do ano passado contra Yair Rodriguez, sendo literalmente derrotado no último segundo em um duelo equilibrado que justamente foi nomeada a Luta do Ano. Ele se recuperou com uma vitória esmagadora sobre Renato Moicano em junho, nocauteando o brasileiro em 58 segundos para reafirmar sua posição como um dos maiores talentos da classe dos 66 Kg.

Ambos ainda estão muito envolvidos na corrida pelo título, e o vencedor entrará 2020 com uma reivindicação legítima de ser o principal candidato na divisão dos penas.