Pular para o conteúdo principal
Eventos

Top 10: julho será insano no UFC

Saiba quais os combates que você não pode perder este mês

Se você lê esse artigo rotineiramente, certamente já me ouviu dizer várias vezes que eu gostaria de expandir para um Top 15 ou Top 20 de tempos em tempos, porque o nível das lutas programadas para o mês é grande demais para reduzir a lista.

Este é um daqueles meses.

Quando começo a montar a lista a cada mês, avalio cada card e anoto qualquer luta que desperte meu interesse e possa acabar sendo incluída, porque é mais fácil descartar opções do que voltar atrás e procurar por mais dois confrontos para arredondar o número. Na maioria dos meses com três ou quatro eventos, faço uma lista preliminar com 12 a 15 lutas, talvez um pouco mais, dependendo da importância dos combates nesses eventos.

A lista inicial deste mês apresentou 22 lutas.

Diminuir essa lista tem sido uma tarefa difícil, que me forçou a deixar de fora lutas que estou ansioso para ver, como Arnold Allen enfrentando Gilbert Melendez, Song Yadong dando um passo à frente na competição contra Alejandro Perez e Mirsad Bektic voltando para encarar Josh Emmett em Sacramento, mas tinha que ser feito.

Afinal, esta série é chamada de 10.

Aqui estão as lutas que você não pode perder no mês de julho.

UFC 239 – Jones x Marreta
Sábado, 6 de julho (Las Vegas, Nevada - EUA)
Jan Blachowicz x Luke Rockhold

Depois de mais de um ano fora e tendo lutado apenas duas vezes nos últimos três anos, Rockhold está finalmente pronto para retornar ao Octógono, e ele fará isso em uma nova categoria de peso. O ex-campeão dos médios faz sua estreia na categoria meio-pesado contra o veterano polonês Jan Blachowicz, um defensor da divisão que servirá termômetro para saber onde Rockhold, de 34 anos, se encaixa na divisão até 93kg.

Do ponto de vista de talento, Rockhold é tão talentoso quanto é possível - ele é um atleta fenomenal que é excelente no chão e perigoso na trocação, mas lesões e cortes de peso desagradáveis limitaram sua eficácia e capacidade de competir nos últimos anos, tornando-o um ponto de interrogação gigante em sua primeira luta na nova divisão. Chegando sempre cheio de confiança, esta é a sua oportunidade de provar que merece entrar imediatamente na conversa título no meio-pesado.

Blachowicz é tão forte quanto é possível - um veterano de 31 lutas que conseguiu quatro vitórias seguidas antes de enfrentar Thiago Santos no início deste ano e é mais do que capaz de estragar a estreia de Rockhold na divisão.

Independentemente de quem vencer, este duelo terá um impacto na fila até o título na divisão dos meio-pesados, ​​e se Rockhold ganhar, pode acabar se tornando o próximo desafiante.

Jorge Masvidal x Ben Askren

Três meses depois de ser “negociado” pelo UFC, Askren fez sua estreia promocional no UFC 235, sobrevivendo a um assustador ataque inicial do ex-campeão Robbie Lawler antes de agarrar um estrangulamento e garantir a vitória na primeira rodada.

O fato de que Askren não só resistiu aos golpes de Lawler, como também encontrou o caminho para o estrangulamento, deveria lhe dizer tudo o que você precisa saber sobre o coração e a tenacidade do invicto meio-médio.

Duas semanas depois dessa luta, Masvidal encerrou seu próprio hiato de 16 meses ao derrotar o ex-desafiante Darren Till em combate duplamente premiado em Londres, entrando novamente na conversa pelo título.

Espere que o trash-talk entre estes dois seja divertido durante toda a semana da luta, e que a ação dentro do cage seja ainda melhor como os veteranos disputando uma posição em busca do título.

Social Post
Amanda Nunes x Holly Holm, pelo título peso-galo

Lutando pela primeira vez desde que se tornou uma “Dupla Campeã”, Nunes tentará fazer história no UFC 239, enquanto defende seu cinturão contra a ex-campeã Holm.

A “Filha do Pastor" é a único ex-campeã peso-galo que a brasileira ainda não venceu, e se ela conseguir superar Holm de maneira comparável às suas vitórias sobre Ronda Rousey e Miesha Tate, teremos pouco espaço para debater se Nunes é a maior lutadora de todos os tempos.

Claro, Holm não tem intenção de se entregar. Na verdade, ela planeja fazer história se tornando a primeira mulher duas vezes campeã na divisão, e depois de uma nocaute na sua última aparição no peso-galo e uma vitória dominante no peso-pena, poucos ficariam chocados se a veterana de esportes de combate tiver uma performance impressionante e garantir o título.

Social Post
Jon Jones x Thiago Santos, pelo título meio-pesado

Antes da luta contra Alexander Gustafsson em dezembro passado, Jones disse que queria retribuir seus fãs lhe apoiaram enquanto lidava com seus problemas fora do cage competindo o mais frequentemente possível e apresentando performances impressionantes a cada vez.

Depois de despachar Gustafsson no terceiro round, ele rapidamente voltou ao trabalho contra Anthony Smith e defendeu com sucesso o título dos meio-pesados ​​que ele nunca perdeu em competição nove semanas depois. Agora, 18 semanas depois da luta, “Bones” está de volta para defender seu título novamente, entrando em ação contra o potente Santos para sua terceira aparição em pouco mais de seis meses.

Até mesmo Donald Cerrone acha que é uma agenda lotada.

O desafiante tem se mantido ocupado ultimamente também, já que Marreta fez cinco aparições em 2018, incluindo vitórias por interrupção sobre Eryk Anders e Jimi Manuwa em suas duas primeiras lutas no meio-pesado, e então manteve seu ritmo tórrido com um nocaute sobre Blachowicz em fevereiro.

Desde o início de 2017, Marreta está com um cartel 8-1 com sete interrupções e, enquanto Jones carrega um recorde quase perfeito no Octógono sem nunca ter perdido uma disputa de título, você pode contar com o veterano brasileiro para marchar pelo cage e impor a luta para o campeão desde o primeiro segundo.

Será que Jones ganhará sua décima defesa de título ou haverá um novo homem sentado no topo da divisão de meio-pesados ​​quando a fumaça se dissipar e a poeira se estabilizar após o UFC 239?

UFC Sacramento: De Randamie x Ladd
Sábado, 13 de julho (Sacramento, Califórnia - EUA)
DENVER, COLORADO - JANUARY 27:  Julianna Pena walks onto the stage during the UFC Fight Night weigh-in at the Pepsi Center on January 27, 2017 in Denver, Colorado. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Nicco Montano x Julianna Peña

Pela primeira vez nesta série, temos uma luta em que nenhuma das participantes competiu em mais de um ano, mas ainda assim entrou para a lista porque simplesmente é intrigante.

A última vez que vimos Montano dentro do Octógono foi a primeira vez que a vimos oficialmente dentro do Octógono - 1 de dezembro de 2017, quando ela ganhou uma decisão unânime sobre Roxanne Modafferi para se tornar a campeã inaugural do peso-mosca feminino. Ela tem lidado com lesões, doenças e uma suspensão desde então, junto com a mudança para a divisão peso-galo, onde procura recomeçar sua carreira com uma segunda vitória consecutiva.

Quanto a Peña, a ex-vencedora do Ultimate Fighter não luta desde janeiro de 2017, quando perdeu para a atual campeã peso-mosca, Valentina Shevchenko. Vários meses após a luta, Peña anunciou que estava grávida e em janeiro de 2018, ela deu à luz uma menina. Agora pronta para retornar, “The Venezuelan Vixen” aproveitou a chance para substituir a lesionada Sara McMann, e pode instantaneamente se inserir na busca pelo title shot com um retorno dominante em Sacramento.

Não há como saber o que esperar dessas duas mulheres quando a porta da gaiola se fechar, e é isso que torna esse confronto tão intrigante.

Livinha Souza x Brianna van Buren

As ex-campeãs do peso-palha do Invicta FC colidem nesta disputa na parte preliminar do card que acontece no Golden 1 Center.

Souza tem 2-0 desde que chegou ao UFC, superando Alex Chambers e Sarah Frota para aumentar sua sequência de vitórias para quatro. A atleta de 28 anos mostrou melhoras na força e no QI de luta em suas duas primeiras aparições no Octógono, e vai tentar manter seu lugar na categoria com uma terceira vitória consecutiva.

Escalada para substituir a contundida Cynthia Calvillo, van Buren recebe o convite para o maior palco do esporte apenas 10 semanas depois de vencer três lutas em uma noite e conquistar o título vago do Invicta FC.

A atleta de 25 anos foi inegavelmente a estrela principal do primeiro Phoenix Rising promovido por Shannon Knapp em maio, derrotando as veteranas do UFC Juliana Lima e Kailin Curran nas semifinais e finais para dar a ela cinco vitórias consecutivas desde que voltou de um hiato de três anos e meio.

O peso-palha está em um estado de fluxo há quase dois anos, com as desafiantes disputando posições e o título mudando de mãos duas vezes nas últimas três disputas, criando uma oportunidade para a vencedora desta luta dar um potencial salto para o Top 15 nesse começo de semestre.

Germaine de Randamie x Aspen Ladd

Esta luta principal recebeu muitas críticas online quando foi anunciada, mas imediatamente fez sentido para mim.

Independentemente do que pensam sobre como de Randamie lidou com as coisas depois de ganhar o título peso-pena em fevereiro de 2018, o fato é que "The Iron Lady" ganhou quatro consecutivas e cinco de seis no UFC, incluindo uma vitória sobre Holly Holm e outra sobre a ex-desafiante Raquel Pennington, com sua única derrota sendo para a atual dupla campeã Amanda Nunes.

Quanto a Ladd, tudo o que ela fez desde que chegou ao UFC é justificar todo o burburinho que conquistou sob a bandeira Invicta FC com três vitórias consecutivas, incluindo um brutal ataque em Tonya Evinger e uma vigorosa Luta da Noite contra Sijara Eubanks em Maio. Agora, a invicta atleta de 24 anos do norte da Califórnia enfrenta uma ex-campeã do UFC tão perto de casa quanto possível em combate que deve produzir a próxima desafiante ao título.

Quando a multidão partidária explodir o teto do Golden 1 Center enquanto Ladd marchar para a jaula, fique à vontade para me procurar no Twitter e me dizer mais uma vez como esse não deveria ser o evento principal.

UFC San Antonio: Dos Anjos x Edwards
Sábado, 20 de julho (San Antonio, Texas - EUA)
Rafael dos Anjos x Leon Edwards

Quando você tem um card pesado como o do UFC 239, eventos como este acabam sendo representados por apenas um único confronto, o que é uma pena, porque a luta leve entre Dan Hooker e James Vick deve ser incrível e eu estou realmente curioso para ver como as coisas se desenrolam entre Greg Hardy e Juan Adams.

Mas com sete lutas já na lista e mais duas a serem discutidas no segundo pay-per-view do mês, apenas os protagonistas do meio-médio são mencionados aqui.

Depois de sofrer duas derrotas consecutivas para Colby Covington e Kamaru Usman, Dos Anjos se recuperou com uma vitória no fim do quarto round contra Kevin Lee em maio para consolidar seu lugar na hierarquia dos meio-médios. O ex-campeão dos leves continua a ser um excelente lutador de pressão e tem mostrado uma capacidade melhorada de reagir e deixar a luta chegar a ele também, o que será útil aqui.

Edwards é o lutador mais subestimado no elenco agora. O jovem de 27 anos venceu sete seguidas, incluindo vitórias sobre Albert Tumenov, Vicente Luque, Bryan Barberena, Donald Cerrone e Gunnar Nelson, e todos querem falar sobre sua briga de bastidores com Jorge Masvidal. "Rocky" vem esperando por um grande momento como este, e cimentaria sua posição como um desafiante com uma oitava vitória consecutiva.

Serão alguns meses interessantes na categoria até 77kg, e o modo como esta luta acabar definitivamente contribuirá para o alinhamento das coisas na divisão.

UFC 240: Holloway x Edgar
Sábado, 27 de julho (Edmonton, Alberta - Canadá)
Social Post
Cris Cyborg x Felicia Spencer

Ei, Felicia Spencer - você venceu sua estreia no UFC em menos de quatro minutos e elevou seu cartel para 7-0 no geral. O que você vai fazer agora?

A resposta é lutar com um dos talentos femininos mais assustadores que já adentraram o Octógono e eu tenho que admitir que estou muito impressionado com a coragem da novata em aceitar a luta tão rapidamente.

Apenas alguns dias depois de despachar Megan Anderson, Spencer se inscreveu para enfrentar Cyborg no co-main event do UFC 240, que provavelmente servirá como uma eliminatória pelo título no peso-pena. A atleta de 28 anos é claramente uma excelente grappler e uma fenomenal nova adição ao elenco, mas estaria ela mordendo mais do que pode mastigar fazendo a rápida reviravolta para enfrentar a ex-campeã em Edmonton?

Competindo pela primeira vez desde que perdeu o título dos penas no final de 2018, esta será apenas a segunda vez em que Cyborg entra no cage depois de uma derrota em sua carreira. Depois de perder em sua estreia no MMA, a brasileira ficou invicta nas próximas 21 aparições e agora procura garantir uma revanche contra Amanda Nunes, interrompendo a invencibilidade de Spencer.

Há muitos combates realmente convincentes na marcados para julho, mas este é o mais imprevisível para mim simplesmente porque não vimos Spencer contra alguém do calibre de Cyborg ainda, e há não há maneira de saber onde seu teto fica até que isso aconteça.

Social Post
Max Holloway x Frankie Edgar, pelo título peso-pena

Depois de falhar na tentativa de conquistar o título dos leves, Holloway retorna ao peso-pena - e à 10ª ilha - para defender seu cinturão contra Edgar. A dupla foi escalada para lutar duas vezes antes, com cada homem saindo devido a uma lesão, então, com sorte, a terceira vez é o charme e finalmente conseguiremos ver esses dois juntos no Octógono para fechar o mês.

Embora Holloway esteja vindo de uma derrota, ele ainda chega em uma série de 13 vitórias nos 66kg. Na última vez em que a coroa dos penas esteve em jogo, o havaiano bateu Brian Ortega ao ponto que o médico parou a luta antes do início da quinta rodada.

Quanto a Edgar, ele se recuperou da derrota para Ortega no UFC 222 com uma vitória dominante sobre Cub Swanson sete semanas depois em Atlantic City, provando que segue uma ameaça formidável na divisão. Ele estava escalado para enfrentar Chan Sung Jung em novembro, mas foi forçado a sair com uma lesão, o que abriu o caminho para "The Korean Zombie" e Yair Rodriguez fazerem um encontro épico.

O peso-pena está cheio de talento e em meio a uma troca de guarda, com novos candidatos e novas ameaças surgindo para desafiar os veteranos estabelecidos no ranking. De muitas maneiras, isso parece a última luta de uma era nos 66kg antes do próximo capítulo na história da divisão começar a ser escrito.