Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Top 10: as lutas imperdíveis em março

Serão três eventos e muita ação no octógono neste mês

Com todo respeito aos eventos de janeiro e fevereiro e aos 57 pares de atletas que já subiram ao octógono este ano, será neste mês que ação vai realmente começar a ficar séria.
Março terá três eventos, começando com o UFC 209, seguido por cards em Fortaleza e Londres, que terão muitos nomes familiares e confrontos intrigantes no octógono, muitos dos quais terão impacto direto no calendário do segundo semestre.
Garanta já o seu ingresso para o UFC Fortaleza, em 11 de março
Vamos direto para eles. Este é o Top 10: lutas imperdíveis em março
UFC 209 (Sábado, 4 de março, Las Vegas)
Darren Elkins x Mirsad Bektic
Esta luta não terá os holofotes suficientes devido ao restante do card e a todos os nomes envolvidos no evento, mas não se engane: este é um confronto incrível entre pesos-mosca e servirá para definir se Bektic merece um lugar no Top 10.
Elkins é basicamente um brigador, mas tem aprendido alguns truques novos com a equipe da Team Alpha Male, e Bektic é uma estrela em ascensão da American Top Team com um cartel de 11-0 e quatro vitórias no UFC, uma mais impressionante que a outra.
As pessoas acham que “porteiro” é uma palavra feia, então vamos colocar de forma diferente: Elkins é o cara com a lista VIP em mãos na frente à festa, e, no sábado à noite, ele vai verificar se o nome de Bektic está lá.
Mais UFC 209: Ferguson leva o passado ao octógono | Khabib quer ser 1º campeão muçulmano | Thompson nem cogita novo empate | As prioridades de Woodley | Nurmagomedov conhece Tyson | Cinco motivos para não perder | Thompson sem pressão | Olho Neles! | Woodley e Thomspon discutem revanche | Clima tenso entre Khabib e Ferguson | Confira a playlist do evento no Youtube
Alistair Overeem x Mark Hunt
Se olharmos para a extensão de suas carreiras e ao quanto têm em comum, é surpreendente que esta será a primeira luta entre Overeem e Hunt no UFC (os dois se enfrentaram no DREAM em 2008, com Overeem vencendo por finalização), e os veteranos se encontrarão em um momento interessante para ambos.
Overeem está retornando após ser derrotado em disputa de cinturão em novembro, enquanto Hunt pisa no octógono pela primeira vez desde o UFC 200, quando enfrentou Brock Lesnar.
Ambos precisam da vitória para manter seus lugares na hierarquia da divisão e, possivelmente, buscar pela última vez uma disputa de cinturão; além disso, levando em conta que em 61 das 79 lutas que os dois fizeram somados não chegaram à decisão, existe uma grande probabilidade de alguém acabar com uma séria dor de cabeça após o confronto.
Khabib Nurmagomedov x Tony Ferguson - pelo cinturão interino peso-leve

Esta talvez seja a melhor luta que o UFC poderia marcar neste momento - um atleta com um cartel perfeito de 24-0 enfrentando um concorrente embalado por nove vitórias seguidas e seis bônus recebidos em suas últimas cinco lutas.
Nurmagomedov afastou todos os rumores de que estaria enferrujado e se ainda seria uma ameaça na divisão com a vitória por finalização sobre Michael Johnson em Nova York. Mas, por mais impressionante que tenha sido, talvez a melhor parte tenha sido os comentários de Khabib. Quem é que fala para o oponente no meio da luta que ele deveria desistir logo porque “eu preciso lutar pelo cinturão e você sabe disso”, como se não fosse nada?
Khabib fala.
Por outro lado, Ferguson colocou sua sequência invicta em risco ao enfrentar o ex-campeão Rafael dos Anjos e teve uma performance excelente, vencendo o brasileiro e se consolidando no topo da categoria ao lado do russo.
Agora, eles se enfrentam em um duelo de estilos interessante com o título - e um confronto futuro contra Conor McGregor - em disputa. Não importa como vai acabar, vai ser eletrizante.
Tyron Woodley x Stephen Thompson - pelo cinturão meio-médio

Cinco rounds no UFC 205 não foram suficientes para resolver esta disputa, então o “Escolhido” enfrentará o “Wonderboy” novamente na luta principal do UFC 209.
A batalha em Nova York teve duas lutas distintas, com Woodley vencendo dois rounds demonstrando sua habilidade na luta agarrada (Round 1) e sua força (Round 4), enquanto Thompson permaneceu leve, esquivo e ativo para vencer os outros três assaltos, resultando no resultado oficial de empate majoritário.
Agora chegou a hora de ver qual dos dois fez mais ajustes e conseguirá tomar a vantagem. Quem conseguir será o campeão meio-médio do UFC.
UFC Fortaleza (Sábado, 11 de março)
Jussier Formiga x Ray Borg
Com o campeão dos moscas Demetrious Johnson se aproximando do recorde de defesas consecutivas de cinturão de Anderson Silva, este duelo pode determinar quem enfrentará o “Mighty Mouse” em sua tentativa de igualar a marca do brasileiro.
Formiga é um veterano experiente, visto um dia como o melhor lutador da divisão até que o UFC criou o ranking peso-mosca e reuniu todos os melhores nomes do peso. Apesar de estar apenas 5-3 no octógono, suas únicas derrotas foram para desafiantes ao cinturão. Contra todos os outros, o atleta da Nova União mostrou porque sempre foi um peso-mosca Top 5 durante toda sua carreira.
Borg terá a grande oportunidade de causar barulho aqui, mas, primeiro, ele precisa passar pela pesagem na sexta-feira. O lutador não bateu o peso em duas de suas últimas três lutas e, apesar de ser obviamente talentoso, mais uma escorregada por fazer com que ele seja obrigado a subir para o peso-galo, independentemente do resultado desta luta.
Tendo isso dito, vencer Formiga poderia ser um enorme passo rumo ao topo na lista de jovens promessas que podem brilhar em 2017.
Mais UFC Fortaleza: Belfort quer reescrever história | Minotauro entrevista Belfort | Ingressos à venda | Informações gerais | Card completo
Francisco Trinaldo x Kevin Lee
Diga olá para o duelo “O peso-leve é bom demais!” do mês.
Após um começo inconsistente no UFC, Massaranduba acumulou sete vitórias consecutivas, incluindo sobre nomes como Chad Laprise, Ross Pearson e Paul Felder. Todos estes triunfos o levaram à 11ª posição no ranking.
Sério - sete vitórias e ele nem entrou no Top 10.
Para manter essa invencibilidade, ele terá que passar por Lee, um confiante atleta de 24 anos com três vitórias seguidas e vindo da performance mais impressionante de sua carreira. Rápido, poderoso e confiante, ele tem todas as armas para estar entre os melhores por anos e anos, mesmo se uma vitória aqui não garanti-lo na elite da categoria.
O peso-leve é bom demais.
Edson Barboza x Beneil Dariush
Caso a luta acima não tenha explicado muito bem como o peso-leve é abarrotado de talentos, aqui está um confronto entre Tops 10 que deixará as pessoas salivando.
Sem muita pompa, Barboza elevou seu jogo nos últimos anos, somando três vitórias nas últimas quatro lutas, sendo a única derrota para Tony Ferguson. Em suas duas últimas lutas, venceu Anthony Pettis e Gilbert Melendez por decisão, acabando com qualquer dúvida a respeito de sua posição na categoria, e, com mais uma vitória, deve estar próximo de uma disputa de cinturão.
Dariush é fenomenal na luta agarrada e tem desenvolvido um estilo mais versátil sob a tutela do mestre Rafael Cordeiro. Após perder para Michael Chiesa no início de 2016, ele se recompôs com performances sólidas contra James Vick e Rashid Magomedov, dois atletas melhores do que a maioria pensa, mas que fazem parte de uma divisão fenomenal.
Este é um clássico duelo de estilos e promete ser extremamente interessante.
Vitor Belfort x Kelvin Gastelum

Próxima do aniversário de 40 anos, esta luta pode ser um referendo sobre o futuro de Vitor Belfort no octógono, o que por si só torna ela interessante.
O brasileiro vem de duas derrotas seguidas pela primeira vez em mais de uma década, e está 1-3 em seus últimos combates, com todas as derrotas por nocaute ou finalização. Apesar de sua paixão pelo esporte ainda ser inquestionável, o Tempo pode estar se aproximando do “Fenômeno”, e vai ser preciso um grande esforço para que as pessoas parem de questionar se chegou a hora de Vitor pendurar as luvas.
Gastelum está quase completamente no outro oposto do espectro, aos 25 anos e chegando em seu auge. Após diversos problemas para bater o peso limite dos meio-médios, o vencedor do TUF voltou para os médios causando um alvoroço ao parar Tim Kennedy no que acabou sendo a última luta da carreira do membro do exército norte-americano.
Será que o veterano voltará no tempo e vencer mais uma vez, ou a estrela em ascensão colocará mais um grande nome em seu currículo e se aproximará do topo da categoria?
UFC Londres (Sábado, 18 de março)
Gunnar Nelson x Alan Jouban
As coisas na divisão dos meio-médios parecem um pouco soltas e indefinidas neste momento, e isso faz com que esse duelo seja ainda mais interessante do que já seria em circunstâncias normais.
Nelson se recuperou após ser dominado por Demian Maia com uma apresentação sólida e finalização sobre Albert Tumenov em maio, o que o garantiu como um Top 15 na divisão. Agora, o tático islandês quer escalar a categoria, e com sua natureza fria e vasto arsenal, Nelson tem a chance de fazer algum barulho neste ano.
Jouban venceu três e perdeu três no último ano, que terminou com vitória por decisão unânime sobre Mike Perry no UFC Sacramento. Sempre muito empolgante, o atleta de 35 anos tem uma grande oportunidade de dar um grande salto nos rankings neste confronto com Nelson, e, levando em conta sua recente forma e comprovada força, Jouban pode muito bem continuar de onde parou em 2016.
Jimi Manuwa x Corey Anderson

Esta é uma luta muito mais interessante e importante do que muitas pessoas pensam, e vai ter muito impacto na divisão dos meio-pesados.
Se não fosse por uma derrota por decisão para Mauricio Shogun em 2016, Anderson poderia entrar aqui com cinco vitórias consecutivas. Mas ele já se recuperou com triunfo por nocaute técnico no último mês de dezembro, e tem mostrado grande evolução a cada aparição.
Manuwa está 5-2 no octógono, com as únicas derrotas sendo para Alexander Gustafsson e Anthony Johnson. Em sua última luta, ele tratorizou Ovince Saint Preux, fazendo ele cair duro com um nocaute para delírio da torcida em Manchester. Desta vez, terá uma segunda oportunidade de liderar um card em casa e, com nova vitória, pode se credenciar novamente a um encontro contra um dos melhores da divisão.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC