Pular para o conteúdo principal

Top 10: As melhores lutas de outubro no Octógono

Confira uma seleção dos melhores combates que acontecerão este mês

Dois eventos em lados opostos do continente, separados por duas semanas; um em um local familiar e outro em uma cidade inédita.
O calendário de outubro tem poucos eventos, mas vários confrontos interessantes no retorno à Vegas neste final de semana com o UFC 229, e a primeira visita a Moncton, no Canadá. Apesar de o primeiro ter mais nomes conhecidos, ambos prometem ação de alta qualidade no Octógono.
Confira os 10 duelos mais intrigantes e empolgantes que acontecerão este mês.
UFC 229 - Sábado, 6 de outubro, Las Vegas, Estados Unidos
Aspen Ladd x Tonya Evinger
O maior duelo “promessa x veterano” do mês acontece no card preliminar do UFC 229 e será bastante relevante para o futuro do peso-galo feminino.
Evinger sofreu uma lesão no joelho no ano passado e somente agora fará sua segunda aparição no Octógono após desafiar Cris Cyborg pelo cinturão peso-pena no UFC 214. A “Tripla Ameaça” sobreviveu até o terceiro round antes de ser nocauteada pela brasileira, mas consolidou seu status como uma das atletas mais duronas do plantel.
Após chegar ao UFC com um cartel de 5-0, Ladd foi bem em sua estreia na organização, fazendo um primeiro round de trocação franca com Lina Lansberg e finalizando a adversária no segundo. Ela estava escalada para voltar à ação em abril, mas sua luta contra Leslie Smith caiu quando ela não conseguiu bater o peso.
Este promete ser um sério teste para Ladd, se apenas 23 anos, mas também uma grande oportunidade. Evinger vinha de uma sequência de 11 vitórias antes de encarar Cyborg, e é uma das atletas mais experientes e respeitadas da divisão, então uma vitória pode catapultar a revelação da MMA Gold a uma conversa sobre title-shot, enquanto uma derrota mostrará que ela apenas precisa de um pouco mais de rodagem antes de se juntar à elite da divisão.
Mais UFC 229Motivos para verTop 6: Pettis | Top 6: Ferguson | Top 5 nocautes de McGregor | Série 'The Notorious' | Card completo
Sergio Pettis x Jussier Formiga
Enquanto o sentimento geral é de que a ascensão de Henry Cejudo ao topo da divisão oferece vida nova à categoria dos pesos-mosca, esse pode não ser exatamente o caso para dois talentos de elite que se enfrentam neste sábado.
Pettis e Formiga duelam na penúltima luta do card preliminar, e apesar de ser um confronto interessante entre dois esperançosos por um title-shot, ambos já dividiram o cage com o novo campeão e foram derrotados.
Nos três anos após o confronto com Cejudo, Formiga somou três vitórias e uma derrota e vem de dois triunfos consecutivos por finalização. Já Pettis se recuperou da derrota no UFC 218 para o novo campeão com a maior vitória de sua carreira, superando Joseph Benavidez por decisão dividida.
Ambos estão próximos de um title-shot e uma vitória pode servir para consolidá-los. Será Pettis capaz de manter as coisas em pé e evitar o chão do talentoso brasileiro, ou será que Formiga vai amassar o norte-americano e finalizá-lo?
Vicente Luque x Jalin Turner
Anunciado há apenas uma semana, esse duelo de pesos-médios é extremamente interessante para mim.
Turner é alguém que os que seguem o esporte intensamente já estão ouvindo falar há alguns anos, seja dos seus tempos de Jackson-Wink MMA ou seu trabalho com o ex-campeão peso-médio Michael Bisping. Há poucos meses, ele apareceu no Contender Sereis, venceu no primeiro round e recebeu um contrato com o Ultimate.
Luque é um daqueles caras que por algum motivo ainda não é tão falado na categoria, apesar das vitórias recentes sobre Chad Laprise e Niko Price, e de ter vencido seis das últimas sete lutas por nocaute ou finalização. O brasileiro de 26 anos tem poder de nocaute e um chão justo, e está chegando o ponto de sua carreira em que ninguém vai ficar chocado caso ele se torne um dos principais nomes da categoria até 77kg. Será um duelo decisivo para ambos.
Derrick Lewis x Alexander Volkov
Este combate é importante em diversos níveis.
Em primeiro lugar, Lewis busca sua terceira vitória seguida, e a nona nas últimas 10 lutas, mas também vem de uma apresentação fraca, mas que venceu Francis Ngannou no UFC 226.
Segundo, Volkov tem um cartel perfeito de 3-0 no Octógono e vem de vitória sobre o ex-campeão Fabricio Werdum, então há uma possibilidade real de que eles estejam se enfrentando pela posição de desafiante número um na divisão dos pesados, ou talvez por um encontro com o recentemente destronado Stipe Miocic, quando ele estiver apto a voltar ao Octógono.
Por último, eles são pesos-pesados, então é justo dizer que, apesar de a última luta de Lewis não ter impressionado, ele e Volkov devem adotar uma postura defensiva e buscar o nocaute dentro dos 15 minutos.
Ovince Saint Preux x Dominick Reyes
Esta atração do card principal tem um pouco de “veterano x promessa”, mas também é um confronto entre meio-pesados rankeados buscando seu espaço na elite da categoria.
“OSP” está fazendo sua 18ª aparição no Octógono e vem de vitória por finalização sobre outra promessa, Tyson Pedro. Nome fixo no Top 10 há alguns anos, ele tem um estilo diferenciado e um vasto arsenal ofensivo, e é um desafio de alto nível para o ascendente Reyes.
Ex-jogador de futebol americano na universidade, Reyes venceu três lutas em seu primeiro ano de UFC e ampliou seu cartel para 9-0. Caso o atleta de 28 anos mantenha o ritmo em sua luta contra Saint Preux, pode ter um ano de 2019 bem especial na organização.
Tony Ferguson x Anthony Pettis
A luta principal não é o único confronto crucial para o peso-leve no UFC 229.
Cinco meses após uma lesão no joelho, Ferguson retorna com esperança de se reestabelecer como o desafiante número um na divisão. Do outro lado do cage, esperando fazer o mesmo, estará o ex-campeão Anthony Pettis.
A lesão de Ferguson não apenas adiou seu embate com Nurmagomedov, mas também abriu portas para lutadores como Dustin Poirier se aproximarem de uma chance de título. Mas graças à sua capacidade de recuperação rápida, “El Cucuy” está de volta à ação, e caso chegue à 11ª vitória seguida, a conversa sobre o próximo desafiante da categoria pode ficar mais complicado.
Pettis retornou à categoria da qual foi campeão após uma rápida passagem pelos pesos-pena e, neste ano, mostrou o mesmo tipo de habilidades que o levaram ao topo no WEC e no UFC quando superou Michael Chiesa com um triângulo no UFC 226.
Não há garantia de que o vencedor desta luta será o próximo a ter um title-shot, mas o potencial está lá e nenhum dos dois quer perder a oportunidade.
Khabib Nurmagomedov x Conor McGregor pelo cinturão peso-leve do UFC
O que há mais para dizer que ainda não foi dito?
Não apenas esta é uma batalha entre o campeão invicto e o ex-campeão, mas também uma rivalidade do mais alto nível e possivelmente uma das mais aguardadas lutas na história.
O que faz dela tão atraente - pelo menos para mim - é que há uma série de caminhos que o combate pode tomar e nenhuma das possibilidades é improvável.
Ambos podem vencer rápido ou levar até o fim quando o outro começar a decair. Pode ser um domínio absoluto de qualquer um, ou uma verdadeira guerra que entrará diretamente para a história como uma das melhores lutas da história do UFC. Pode começar parecendo que vai ser fácil para um lado e acabar indo para o outro.
Não é difícil visualizar nenhum esses desfechos e, diferentemente da maioria das lutas, são todas possibilidades realistas.
A energia na T-Mobile Arena quando esses dois começarem suas caminhadas ao Octógono vai ser incomparável e meu palpite é que a luta em si vai acabar superando as já altíssimas expectativas. Se prepare para um clássico.
UFC Moncton - Sábado, 27 de outubro, Canadá
Te Edwards x Don Madge
Todo mês há pelo menos uma luta nesta lista simplesmente porque estou empolgado para ver um dos lados em ação. Com todo respeito a Madge, eu estou aqui para ver Te Edwards.
O carismático atleta da MMA Lab venceu rápido Austin Tweedy no Contender Series, levando-o ao chão com o primeiro golpe de direita que encaixou e conquistando sua quinta vitória consecutiva na carreira - e um contrato com o UFC.
Apesar de o peso-leve estar repleto de talentos, o atleta de 28 anos mostrou mãos rápidas e potentes, competiu no wrestling universitário e, vindo da equipe capitaneada por John Crouch, você sabe que ele estará em boa forma e pronto para competir.
Madge vem para sua estreia na organização após quatro vitórias seguidas, incluindo um triunfo no segundo round sobre o duro veterano Dave Mazany. Lesões o mantiveram afastado pelos últimos 18 meses, mas ele terá uma boa oportunidade para causar uma boa primeira impressão.
Conhecer as novas adições a uma das categorias mais competitivas do esporte é sempre interessante, e algo me diz que o vencedor desta luta vai ter sucesso em 2019.
Calvin Kattar x Chris Fishgold
Vindo de sete vitórias seguidas, com seis por nocaute ou finalização, o campeão peso-leve do Cage Warriors, Fishgold chega ao UFC descendo de divisão e com chance de impressionar em um duro casamento com Kattar.
Com cartel de 17-1-1, Fishgold defendeu seu título três vezes, só foi à decisão dos jurados quatro vezes em 19 lutas, e tem triunfos sobre os competidores do TUF 22 Marcin Wrzosek e Nic Herron-Webb. Pisando pela primeira vez no Octógono, o inglês terá um teste complicado logo de cara.
Kattar sofreu a primeira derrota no UFC em abril, perdendo para Renato Moicano por decisão após superar nomes como Andre Fili e Shane Burgos. O atleta de 30 anos tem um boxe fluído e técnico e é muito resistente, o que faz dele um adversário duro para qualquer um na categoria.
Esta não é uma luta entre os nomes mais famosos em Moncton, mas não seria uma surpresa se recebesse o bônus de Luta da Noite.
Volkan Oezdemir x Anthony Smith
Se as pessoas ainda não estão vendo Smith como uma verdadeira ameaça na divisão dos meio-pesados, essa luta pode acabar com quaisquer dúvidas porque Oezdemir é para valer e o vencedor deste duelo estará muito perto de uma disputa de cinturão.
Após conquistar três vitórias em seis meses sobre um trio de oponentes Top 10 em suas primeiras aparições no Octógono, Oezdemir desafiou Daniel Cormier pelo cinturão dos meio-pesados no UFC 220 e conheceu a diferença entre um excelente lutador e um talento de nível mundial. Agora, ele quer dar um fim à rápida ascensão de Smith e se manter por perto quando a situação do cinturão da divisão se resolver.
O ex-peso-médio Smith subiu de categoria após perder para Thiago Marreta em fevereiro e conquistou vitórias rápidas sobre os ex-campeões Rashad Evans e Mauricio Shogun, entrando no Top 10 da divisão. Muitos diminuíram seu sucesso dizendo se tratar apenas de um atleta mais jovem e mais rápido passando por veteranos em queda, mas Anthony sempre se mostrou um lutador durável e perigoso nos 84kg e não deveria ser uma surpresa o fato de ele se tornar uma formidável ameaça na categoria de cima.
Ele tem estado disposto para encarar qualquer um, e essa luta principal em Moncton deve mostrar com clareza se Smith pode se tornar um desafiante ou não. Apenas para registrar, estou convencido de que ele pode e acho que vai provar isso aqui, independentemente do resultado.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube