Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Top 10: As melhores lutas de título do peso-leve

Relembre grandes batalhas pelo cinturão de uma das divisões mais concorridas do UFC

Quando Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor se enfrentarem no UFC 229, dia 6 de outubro em Las Vegas, não será apenas a maior luta do ano, mas uma disputa pelo cinturão peso-leve.

Apenas 10 homens tiveram o título da divisão até 70kg e houve apenas 24 combates com este prêmio em jogo em quase 25 anos de história no UFC, mas alguns destes foram batalhas históricas.

No aquecimento para o duelo entre Khabib e Conor, vamos relembrar as 10 melhores lutas pelo título peso-leve de todos os tempos.

Veja também: Os sucessos de ConorA trajetória dominante de KhabibQuem vencerá? Vote já!

UFC 35: Jens Pulver vence BJ Penn por decisão majoritária

Esse não apenas era o confronto entre os dois melhores pesos-leves do UFC na época - o campeão, Pulver, e o desafiante em ascensão, Penn - mas também deu início a uma rivalidade que durou por cinco anos e se tornou o conflito central da 5ª temporada do The Ultimate Fighter.

Apesar de Pulver ter entrado com o cinturão, Penn entrou como o favorito, vindo de uma vitória arrasadora em 11 segundos sobre Caol Uno e com um cartel perfeito de 3-0 sem decisões na carreira. Mas o “Lil’ Evil” não tinha intenção de ser atropelado pelo “Prodígio”.

Essa foi uma partida de xadrez de 25 minutos entre dois lutadores espetaculares que segue sendo difícil de pontuar mesmo após 15 anos. Parado no centro do octógono enquanto Bruce Buffer anunciava as pontuações, Pulver parecia pensar que elas estavam indo em favor do desafiante, mas esse não foi o caso, e o campeão manteve o cinturão naquela que acabou sendo a última disputa de título do seu reinado.

UFC 80: BJ Penn vence Joe Stevenson por finalização (mata-leão) aos 4m02s do 2º round

Esta se tornou uma das imagens enraizadas na cabeça dos fãs de luta graças à icônica imagem feita por Martin McNeil de Stevenson ajoelhado com o rosto ensanguentado ao final do combate, mas também é uma das vitórias clássicas de Penn.

Se você se pergunta por que algumas pessoas falam de um jeito quase poético sobre o havaiano e o que ele foi capaz de fazer no Octógono, apesar de seu cartel não ser impressionante, esta é uma das lutas que você precisa ver para entender porque Penn é considerado o maior peso-leve de todos os tempos e um dos melhores lutadores da história do UFC.

Desde o início, ele dominou Stevenson, um lutador talentoso que chegou para o confronto embalado por quatro vitórias consecutivas. Penn mostrou seu jogo de chão de primeira linha e abriu um corte no vencedor do TUF com uma cotovelada no minuto final do primeiro round, antes de repetir o sucesso no chão para vencer a luta no segundo.

UFC 84: BJ Penn vence Sean Sherk por nocaute técnico ao final do 3º round

Para todos aqueles que se perguntam por que muitos consideram BJ Penn o maior peso-leve de todos os tempos, volte e veja esta luta - especialmente o final - e você entenderá melhor. Isso era Penn em seu ápice e o final dessa luta permanece na memória de todos que assistiram.

Penn havia deixado Sherk cortado e sangrando com uma combinação de jabs e diretos a noite inteira e, conforme se aproximaram os segundos finais do terceiro round, ele encurralou Sherk contra a grade. Quando o desafiante bateu na grade e voltou, Penn conectou uma joelhada perfeita em seu queixo, mandando-o ao chão. Uma avalanche de socos se seguiu até que o gongo soou, mas, enquanto Penn se afastou, Sherk teve dificuldades para ficar em pé.

A luta foi interrompida e Penn teve sua primeira defesa de título e uma de suas performances mais icônicas.

UFC 107: BJ Penn vence Diego Sanchez por nocaute técnico no 5º round

Sanchez foi espetacular em suas vitórias sobre Joe Stevenson e Clay Guida antes desta disputa pelo cinturão de Penn, que estava lutando pela primeira vez desde a derrota no UFC 94 para Georges St-Pierre. Muitos se perguntaram se Penn estava prestes a ser destronado, mas o campeão respondeu a pergunta logo de cara.

Em 30 segundos no primeiro round, Penn derrubou Sanchez com a primeira direita que jogou e, a partir daí, foi uma surra. Apesar de o desafiante demonstrar o coração e a resiliência que definiram sua carreira, Penn estava em outro nível.

O que ninguém sabia naquela noite é que esta seria a última vez que Penn defenderia o título dos leves, e a penúltima que ele teria sua mão erguida no octógono.

UFC 118: Frankie Edgar vence BJ Penn por decisão unânime

Após surpreender o Prodígio e conquistar o título no UFC 112 em Abu Dhabi, Edgar e Penn fizeram uma revanche quatro meses depois em Boston e, desta vez, o campeão garantiu que não houvesse dúvidas sobre quem era o melhor lutador.

Edgar replicou a estratégia que o levou ao sucesso no primeiro encontro, entrando para conectar golpes e evitando os contra ataques com quedas no tempo certo. Enquanto a primeira luta foi equilibrada, a diferença entre os dois só cresceu a cada round na revanche.

Essa não foi a passagem da tocha, já que Edgar havia conquistado o título quatro meses antes, mas o UFC 118 foi quando Edgar realmente provou que era o melhor peso-leve do UFC.

UFC 125: Frankie Edgar e Gray Maynard empatam

Já se passaram quase sete anos e não sei se alguma luta superou essa.

Maynard havia vencido Edgar três anos antes e chegou embalado por vitórias sobre Nate Diaz e Kenny Florian. No início do primeiro round, ele derrubou o campeão e o manteve “de patins” pelo restante do primeiro round. Edgar parecia estar a um ou dois socos de ser liquidado, mas o fim nunca chegou e, no segundo, ele voltou como se os cinco minutos anteriores não tivessem acontecido.

Até hoje, o resultado desta luta segue sendo debatido, mas o que não está para discussão é que esta foi uma das mais incríveis e empolgantes disputas de título da história do UFC.

UFC 136: Frankie Edgar vence Gray Maynard por nocaute no 4º round

Dez meses depois, Edgar e Maynard dividiram o octógono pela terceira vez e, contra todas as previsões, o desempate foi tão bom quanto a luta anterior.

Mais uma vez, Maynard parecia determinado a liquidar o campeão, machucando Edgar no início e perseguindo-o em busca do golpe final por cerca de metade do primeiro round. Mas assim como havia feito antes, Edgar sobreviveu e se recuperou, mas, desta vez, Maynard pareceu ter se desgastado um pouco mais.

Edgar começou a frustrá-lo, defendendo todos os ataques proferidos pelo desafiante e, na metade do quarto assalto, o campeão consolidou sua virada e fechou o livro na rivalidade.

Um gancho curto após uma defesa de queda balançou Maynard e Edgar não lhe deu espaço para se recuperar. Golpes precisos se seguiram e conectaram, e Maynard caiu no tablado forçando o árbitro a encerrar o combate, e fazendo Edgar explodir em uma alegria compreensível.

UFC 164: Anthony Pettis vence Benson Henderson por finalização no 1º round

Parte do porquê esta luta está na lista é pela maneira como ela foi marcada.

Pettis estava escalado para lutar pelo título dos penas e Henderson iria enfrentar o desafiante canadense TJ Grant, mas uma lesão de joelho tirou Pettis de sua luta contra José Aldo, e, algumas semanas depois, Grant foi retirado da disputa pelo título dos leves devido a uma concussão. Felizmente para o UFC, Pettis se recuperou suficientemente bem para aceitar a luta e se reencontrou com seu antigo adversário pelo título do WEC em sua cidade natal de Milwaukee.

Enquanto a primeira luta entre os dois foi marcada pelo “Chute Showtime”, o final desta foi um tanto quanto obstruído, já que Pettis atacou o braço de Henderson e encaixou uma chave de braço que ninguém realmente conseguiu ver direito. Em um segundo eles estavam se embolando e, no seguinte, Henderson tinha um olhar desapontado depois de bater.

UFC 185: Rafael dos Anjos vence Anthony Pettis por decisão unânime

Na época, parecia que o UFC 185 seria o momento em que Pettis chegaria a outro nível de estrelato e se tornaria uma força dominante no UFC. Ao invés disso, Joanna Jedrzejczyk se tornou a grande estrela campeã, e Dos Anjos atropelou Pettis e tomou o cinturão dos leves.

Esta foi uma performance magistral do brasileiro, que sufocou Pettis com pressão desde o início e nunca permitiu que o criativo striker ficasse confortável. Do começo ao fim, Dos Anjos acuou Pettis e o castigou com socos, forçando-o a jogar na defensiva e suportar uma tempestade incansável, dando a outros lutadores um mapa de como vencer o “Showtime”.

Rafael entregou uma performance irretocável e conquistou o topo da divisão peso-leve, provando mais uma vez por que todos consideram, de forma correta, que a categoria é a mais competitiva e empolgante do UFC.

UFC 205: Conor McGregor vence Eddie Alvarez por nocaute no 2º round

Fazendo história no icônico Madison Square Garden, McGregor dançou no octógono e teve uma performance igualmente icônica contra Alvarez, conquistando seu segundo cinturão do UFC.

Após prestar homenagem a Joe Frazier na coletiva de imprensa antes da luta, McGregor pareceu Roy Jones Jr. em seu auge quando a luta começou, baixando a guarda e escondendo as mãos nas costas antes de conectar golpes tão rápidos que Alvarez não conseguia evitar e acabou não conseguindo resistir. Ficou claro logo de cara que o “Notório” conseguiria seu segundo título e, com apenas alguns minutos no segundo round, se tornou oficial.

Este foi o melhor de McGregor em ação, e um bom lembrete do que ele pode fazer no UFC 229, em seu aguardado retorno ao Octógono.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube