Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Top 10: os momentos memoráveis de BJ Penn

Relembre grandes duelos da carreira do ex-campeão, que luta no UFC Oklahoma

No dia 25 de junho, o ex-campeão meio-médio e leve do UFC, BJ Penn volta ao octógono para enfrentar Dennis Siver em Oklahoma City. Será mais uma grande luta para o “Prodígio”, e uma que ele espera que possa se juntar à lista abaixo como um dos momentos que definiram a carreira do membro do Hall da Fama.
Mais UFC Oklahoma City: Quem vence a luta principal? | Lee ignora críticas | Brasil tem um representante no card | Chiesa espera teste duro em retorno | As promessas do evento | Card completo

Caol Uno - 2 de novembro de 2001
Resultado: Penn por nocaute no 1º round
Penn explodiu na cena do UFC em maio de 2001 quando fez sua estreia profissional com vitória no primeiro round sobre Joey Gilbert no UFC 31. Após mais uma vitória no primeiro assalto sobre Din Thomas no UFC 32, ele foi escalado para encarar a estrela japonesa Caol Uno no que era visto como mais um teste. Penn - que admitiu passar noites em claro por nervosismo na espera pelo combate - foi para cima de seu oponente assim que o gongo soou e, 11 segundos depois, ele saía vitorioso após uma demonstração feroz de sua trocação. O que muitos devem se lembrar da luta, no entanto, é de Penn correndo para fora do octógono e voltando ao seu vestiário após a luta, mostrando que não há ninguém como ele no mundo da luta.
Jens Pulver - 11 de janeiro de 2002
Resultado: Pulver por decisão dos jurados
Para muitos espectadores, esta luta deveria ter terminado antes de começar. Ninguém dava ao campeão peso-leve Pulver a mínima chance de vencer Penn, mas, mesmo assim, após uma das performances mais duras da história do UFC, o “Pequeno Demônio” conseguiu defender seu cinturão vencendo Penn por decisão. A vitória arrasou o havaiano. “Eu não sabia o que faria da minha vida e da minha carreira”, lembra BJ, “Tudo estava confuso. Eu não sabia o que pensar, não sabia onde ir. A única coisa que eu tinha certeza era que foi um grande aprendizado. Mas eu não sabia onde ir. Não sabia o que estava em cima, embaixo, à esquerda, à direita, nem o que estava acontecendo”.

Matt Hughes I - 31 de janeiro de 2004
Resultado: Penn por finalização no 1º round
Penn voltou quatro meses após a derrota para Pulver e venceu Paul Creighton em dois rounds. Em seguida, venceu um duelo equilibrado contra Matt Serra, uma luta que alguns acreditam ter sido do nova-iorquino, antes de enfrentar Uno novamente pelo cinturão que Pulver havia vagado, e desta vez ambos terminaram com um insatisfatório empate em cinco rounds. Uma vitória sobre Takanori Gomi fora do UFC foi um resultado mais positivo, mas não foi até seu retorno no UFC 46 que as pessoas puderam ver o “verdadeiro” BJ Penn de volta, quando ele subiu de divisão e chocou o mundo ao finalizar o então invencível Matt Hughes. Finalmente, BJ Penn era campeão.
Lyoto Machida - 26 de março de 2005 - K-1
Resultado: Machida por decisão dos jurados
O novo campeão meio-médio não ficou por muito tempo, e após uma indefinição de contrato, Penn saiu do UFC. Mas ele não demorou a voltar à ação, e finalizou Duane Ludwig apenas quatro meses após vencer Hughes. Em seguida, ele teve uma sequência bizarra de lutas em que ganhou ainda mais peso para enfrentar Rodrigo e Renzo Gracie, e o atual meio-pesado do UFC, Lyoto Machida. Incrivelmente, Penn venceu duas destas três lutas, perdendo apenas para Lyoto por decisão em um duelo pelo peso-pesado. Penn ouviu críticas por sua decisão de se testar em vários pesos, mas, para ele, era apenas mais uma maneira de por à prova a filosofia de seu primeiro amor, o jiu-jítsu. “Jiu-jítsu foi criado para homens pequenos vencerem grandes homens, e eu tenho lutado jiu-jítsu desde os 17 anos, e isso sempre ficou na minha cabeça durante todo esse tempo”, disse Penn, “Está dentro de mim acreditar que tenho uma chance. Sei que às vezes vai acontecer, o cara vai cometer um erro e eu vou conseguir uma chave de braço ou um estrangulamento”.

Georges St-Pierre I - 4 de março de 2006
Resultado: St-Pierre por decisão dos jurados
Enquanto Penn ficou de fora do UFC, o canadense Georges St-Pierre construiu sua marca na divisão meio-médio e estava perto de um title-shot. Mas BJ rapidamente reconquistou seu território em sua primeira luta de volta ao octógono em mais de dois anos, dominou o primeiro round contra St-Pierre, deixou seu oponente sangrando e muitos acreditando que a luta terminaria em breve. Mas ninguém avisou GSP, que se recuperou, venceu os dois rounds seguintes na opinião de dois jurados e venceu por decisão dividida.
Jens Pulver II - 23 de junho de 2007
Resultado: Penn por finalização no 2º round
Penn estava em uma encruzilhada em sua carreira após as derrotas para GSP e a revanche em setembro de 2006 com Matt Hughes - se reinventar ou se tornar um oponente. Ele decidiu voltar ao peso-leve e voltou sua atenção a um antigo rival - Jens Pulver. “Eu estava descobrindo quem eu era no mundo da luta e então voltei e assisti minha primeira luta contra Joey Gilbert e me lembrei quem eu era”, disse Penn, “Eu era aquele cara, e então comecei a fazer tudo para voltar ao topo. Foi querer enfrentar Jens Pulver novamente que me recolocou nos trilhos”. Após seis semanas como treinadores rivais na quinta temporada do The Ultimate Fighter, a rivalidade atingiu seu ápice quando Penn empatou o placar ao finalizar Pulver e revitalizar sua carreira.

Joe Stevenson - 19 de janeiro de 2008
Resultado: Penn por finalização no 2º round
Demorou seis anos, mas BJ Penn finalmente conquistou o título dos leves do UFC quando finalizou Joe Stevenson no segundo round. Foi uma vitória satisfatória para ele, e uma que o deixou ainda mais empolgado para lutar nos anos seguintes. “Algo despertou dentro de mim e me fez pensar, ‘O que você está fazendo? Você pode vencer qualquer um desses caras. Você tem feito tudo pela metade esse tempo todo e é hora de se levantar. Se você não conseguir, não conseguiu, mas pelo menos saberá que tentou’. Palavras não podem explicar o quão empolgado estou para lutar agora. É o que eu sou, é quem eu sou e é o que quero ser”.
Georges St-Pierre II - 31 de janeiro de 2009
Resultado: St-Pierre por nocaute técnico no 4º round
Após conquistar o título sobre Stevenson, o campeão peso-leve era um novo homem. Ele atropelou Sean Sherk em sua primeira defesa e, para Penn, e única próxima luta que fazia sentido era uma revanche com St-Pierre pelo cinturão dos meio-médios. Foi a maior super-luta que o UFC havia tido em anos, e a expectativa estava nas alturas. O único problema era que St-Pierre era muito grande e muito forte para Penn na segunda vez, e, após quatro rounds dominantes, os corners do havaiano haviam visto o suficiente.

Diego Sanchez - 12 de dezembro de 2009
Resultado: Penn por nocaute técnico no 5º round
A derrota para GSP foi avassaladora para Penn, então todos começaram a pensar como ele responderia em sua próxima luta como peso-leve, especialmente considerando a promessa de Sanchez de levar Penn aos rounds finais e tomar o cinturão. BJ, que estava mais quieto do que o costume antes da luta, absorveu tudo aquilo e liberou na noite do duelo com uma de suas melhores performances ao dominar Sanchez antes de liquidá-lo no último round. Fôlego? O Prodígio tinha muito.
Matt Hughes III - 20 de novembro de 2010
Resultado: Penn por nocaute no 1º round
A vitória sobre Sanchez seria a última de Penn como campeão peso-leve, já que ele acabou perdendo em uma apertadíssima decisão para Frankie Edgar no UFC 112 em abril de 2010, e, em seguida, em um resultado mais claro na revanche, em agosto daquele ano. Penn surpreendeu a muitos quando revelou que estava voltando aos meio-médios e seu primeiro oponente no UFC 123 seria ninguém menos do que seu velho rival, Hughes. No terceiro duelo, no entanto, Penn resolveu rapidamente, nocauteando o membro do Hall da Fama em apenas 21 segundos. Quando acabou, veio a lembrança do primeiro duelo com Caol Uno, com Penn correndo para fora do octógono antes do anúncio oficial. Como ele disse após a luta, “Tenho tentado fazer uma luta como a primeira com Caol Uno pelos últimos nove anos e acabou nunca acontecendo daquela forma. Então, quando essa luta (com Hughes) terminou rapidamente com um nocaute, eu estava extasiado, comecei a gritar no ringue por um momento e pensei, ‘Aqui está minha chance. Vou fazer, vou sair - Elvis deixou o recinto”.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC