Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Top 14: Melhores nocautes de brasileiros em 2016

Os mais bonitos, importantes e significativos nocautes dos brasileiros no ano

Nada é capaz de mexer com os ânimos da plateia de um segundo para o outro como um bom nocaute.
Em 2016, os lutadores brasileiros conquistaram importantes vitórias através da trocação, venceram lutas principais e aplicaram alguns dos golpes mais bonitos do ano.
Outras retrospectivas: Melhores finalizações dos brasileiros | Os números do UFC em 2016 | As 10 maiores surpresas | Melhores estreantes
Confira uma seleção dos principais nocautes aplicados por atletas brasileiros em 2016, em ordem cronológica:
Glover Teixeira x Rashad Evans
Em uma carreira de mais de 12 anos, Rashad Evans havia sido nocauteado uma vez, por Lyoto Machida, quando perdeu o cinturão dos meio-pesados do UFC, em 2009. Na luta principal do UFC Tampa, em abril, Glover destruiu o ex-campeão em menos de dois minutos de combate.

Antonio Rogerio Nogueira x Patrick Cummins
Retornando ao octógono após nove meses, Rogério Minotouro, aos 39 anos, enfrentaria um wrestler, estilo de lutador que já havia lhe causado problemas no passado, e vinha de duas derrotas consecutivas. Mas o calor da torcida em um estádio lotado em Curitiba empurrou o brasileiro, que mostrou o melhor de seu boxe e afastou o mau momento com nocaute no primeiro round.
Cris Cyborg x Leslie Smith
A tão aguardada estreia de uma das maiores lutadoras de todos os tempos aconteceu em Brasília, em maio, e foi do jeito que todos esperavam. Um absoluto atropelo de Cris Cyborg.

Henrique da Silva x Jonathan Wilson
A pressão da estreia no octógono não afetou em nada o brasileiro Henrique Frankenstein, que ampliou para 10 o número de vitórias em seu cartel após uma guerra de resistência contra Jonathan Wilson. Em seu pior momento no combate, o brasileiro tirou uma raspagem da cartola, montou no adversário e encerrou o duelo no ground and pound.
Jessica Andrade x Jessica Penne
Apesar de ranqueada no peso-galo, a baixinha Jessica Bate-Estaca decidiu descer para o peso-palha, onde teria um tipo físico mais parecido com o das adversárias, e, de cara, foi colocada diante de uma prova de fogo: a ex-desafiante ao cinturão e Top 10, Jessica Penne. Performance irretocável da brasileira, que chegou na categoria mostrando a que veio.
Alberto Mina x Mike Pyle
Alberto Mina é uma definição de versatilidade, e mostrou isso contra o veterano e resistente Mike Pyle, quem nocauteou após uma bela joelhada voadora seguida de uma avalanche de socos, ampliando para 13 o número de vitórias consecutivas em sua invicta carreira.
Joaquim Silva x Andrew Holbrook
Participante do TUF Brasil 4, Joaquim Silva não saiu com o título da temporada, mas sim com o status de uma das boas promessas reveladas pelo reality, principalmente após a vitória sobre o experiente Nazareno Malegarie em sua estreia no octógono. A segunda performance foi ainda mais importante, derrubando Andrew Holbrook com socos pesadíssimos em apenas 34 segundos.
John Lineker x Michael McDonald
John Lineker já era um dos melhores pesos-mosca do UFC, mas parece ter ficado ainda melhor com a mudança para os galos. Em sua primeira luta principal no Ultimate, contra um dos adversários mais duros da divisão, o “Mãos de Pedra” mostrou mais uma vez que não existe outro apelido possível, vencendo no primeiro round.

Felipe Silva x Shane Campbell
O professor de muay thai Felipe Silva deu uma aula ao público canadense em Vancouver, em sua primeira aparição no octógono. Clinch, chutes, cotoveladas, socos e joelhadas demoliram Shane Campbell com pouco mais de um minuto de combate.
Vicente Luque x Hector Urbina
Após conquistar suas duas primeiras vitórias por finalização, Vicente Luque estava sedento para mostrar sua trocação no octógono, e o fez justamente em sua cidade, Brasília, quando aplicou um nocaute cinematográfico em Hector Urbina.
Cris Cyborg x Lina Lansberg
Depois da estreia fulminante, Cris Cyborg já era uma estrela do UFC, e fez sua primeira luta principal no retorno do Ultimate ao Brasil, em Brasília, em setembro. Lina Lansberg resistiu bravamente, mas foi atropelada pela brasileira, que voltou a nocautear de forma violenta, desta vez no segundo assalto.

Douglas Silva x Henry Briones
Em um dos nocautes mais plásticos do ano, Douglas Silva deixou a torcida mexicana perplexa quando nocauteou o atleta da casa, Henry Briones, com um soco rodado no terceiro assalto.
Vicente Luque x Belal Muhammad
Vicente já havia conquistado duas vitórias contundentes em 2016 e não precisava mais provar nada para ninguém, mas aceitou enfrentar Belal Muhammad com pouco mais de duas semanas de antecedência, apenas para aplicar um novo nocaute em pouco mais de um minuto e se consolidar como um dos principais atletas do Ultimate no ano.
Thomas Almeida x Albert Morales
Após sofrer a primeira derrota na carreira, Thominhas queria uma performance contundente para se reafirmar dentro da divisão dos galos. Ele teve a oportunidade na luta co-principal do UFC São Paulo, em sua cidade natal, e aproveitou ao melhor estilo Thominhas, agressivo e incansável.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC