Pular para o conteúdo principal

Top 6: As melhores lutas de Tony Ferguson

Relembre as maiores apresentações do ex-campeão interino dos leves do Ultimate


No dia 6 de outubro, em Las Vegas, o ex-campeão interino dos pesos-leves Tony Ferguson começa sua caminhada para voltar ao cinturão no duelo contra outro ex-campeão, Anthony Pettis, na T-Mobile Arena. Mas antes da luta co-principal do UFC 229, é hora de relembrar as seis performances mais memoráveis de “El Cucuy” no Octógono.
Mais UFC 229: Série 'The Notorious' | Card completo
2011
Ramsey Nijem
Após uma campanha tumultuosa na 13ª temporada do The Ultimate Fighter, Ferguson teve a oportunidade de fazer a final do programa contra Ramsey Nijem e em menos de quatro minutos aplicou um nocaute violento que deu início à sua jornada no UFC de maneira enfática.
2014
Katsunori Kikuno
Apesar de sua entrada triunfal no UFC, Ferguson ainda voou sob o radar no início de sua carreira no Octógono, e apesar das três vitórias sobre Aaron Riley, Yves Edwards e Mike Rio, uma derrota por decisão para Michael Johnson em 2012 atrasou seus planos. Mas dois anos após o revés, Ferguson finalmente começou a marcar seu nome na divisão, nocauteando Katsunori Kikuno com apenas um golpe no UFC 173.
2015
Josh Thomson
Na época do duelo entre Ferguson e o ex-campeão do Strikeforce Josh Thomson em julho de 2015, “El Cucuy” estava 8-1 no UFC, com seis vitórias por nocaute ou finalização e três bônus pós-luta. Ele deveria ser uma escolha certa para disputar o cinturão, mas isso não aconteceu. Ferguson permaneceu focado, esperando que vitórias resolveriam tudo. Ele estava meio certo. Como ele venceria iria determinar seu futuro, e apesar de ter feito três rounds contra Thomson, o duelo foi um monólogo tão dominante que ele recebeu bônus de Performance da Noite pela vitória por decisão. Esta foi a luta que realmente começou tudo para ele.
Edson Barboza
Se a luta com Thomson anunciou a chegada de Ferguson, seu lugar no topo da divisão até 70kg foi consolidado com essa finalização sobre Edson Barboza. Conquistando dois bônus, de Luta e Performance da Noite, Ferguson seguiu sendo uma atração imperdível, não apenas por seu conjunto de habilidades, mas por sua despreocupação com a defesa. Ferguson estava tratando esses combates como verdadeiras lutas, e sua disposição em se colocar no caminho do perigo ajudou a construir sua base de fãs.
2016
Lando Vannata
Seguindo na linha da luta com Barboza, é importante salientar que enquanto a inconsequência faz grandes lutas, ela pode ser custosa às vezes, e foi isso o que aconteceu quando Ferguson encontrou o substituto de última hora Vannata. Sem nada a perder, Vannata foi com tudo para cima, e com tudo a perder, Ferguson fez o mesmo. Vannata quase venceu a trocação e nocauteou “El Cucuy” no primeiro assalto. Mas o coração de campeão fez Ferguson reagir e finalizar o estreante no segundo. Coloque outro bônus de Luta da Noite no bolso deste homem.
Rafael dos Anjos
Ferguson já havia enfrentado vários matadores durante sua subida nos pesos-leves, mas daí a vencer o ex-campeão Rafael dos Anjos seria outra história. Seria? Não no mundo de Ferguson. Nesse mundo, Ferguson trata todos seus oponentes da mesma forma, e com o mesmo estilo agressivo e diversificado, ele adicionou Rafael à sua lista de vítimas, vencendo o brasileiro por decisão em cinco rounds e coletando mais um bônus de Luta da Noite.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube