Pular para o conteúdo principal

Treinador de Hendo analisa: "Belfort se entrega quando toma pressão"

 Técnico aposta em "questão mental" para vencer no UFC São Paulo

É fato conhecido que a poderosa mão direita, carinhosamente apelidada de "Bomba H", é uma das maiores armas de Dan Henderson. Porém, para o confronto contra Vitor Belfort, em 7 de novembro, o norte-americano apostará em mais do que seu poder de nocaute para conquistar a vitória.

De acordo com o treinador de jiu-jítsu de Hendo, Ricardo Feliciano, a intenção é esgotar o brasileiro mentalmente para abrir o caminho.

Igressos à venda para o UFC SP 

“A cabeça do Dan Henderson é muito forte. Mesmo que ele fique cansado, jamais vai se entregar. Ao contrário do Vitor, que quando cansa ou toma uma pressão, se entrega. Acredito que a luta se prolongando, teremos mais chances de obter  a vitória, pois mesmo o Hendo cansado, ele não vai se entregar. Já o Vitor… Com certeza pretendemos usar essa parte da luta a nosso favor", disse o técnico ao portal Ag. Fight, mencionando a disputa de título do atleta contra Chris Weidman como exemplo.

"Contra o Weidman, ele partiu com tudo para cima, não conseguiu o que queria e ficou claro que ele ficou quebrado, a mente do Belfort acabou naquele momento. Ele tem jiu-jitsu e não conseguiu usar depois da queda. Com certeza foi uma questão mental e se pudermos explorar isso, por que não?”

Mais sobre o UFC SP: Henderson promete nocautear em trilogia | Belfort: "Nasci para vencer"

O confronto entre veteranos, que lidera o card do UFC São Paulo, servirá para desempatar o placar entre os atletas, que conta com uma vitória para cada. Segundo Feliciano, a derrota sofrida para Belfort em novembro de 2013, no Brasil, serve como motivação para Hendo.

“Estamos dando ênfase a preparação e ele vai chegar bem, está motivado e pediu essa luta. Hendo não precisava de uma luta como essa, mas é uma luta que ele queria com o Vitor, pela frustração da luta anterior. Ele quer mostrar que vai bater no Vitor. O Henderson tem a mão direita como grande arma, mas não podemos esquecer que ele é um wrestler. Se tivermos a oportunidade de aplicar a queda, por que não? Sabemos que o Vitor não gosta de viver o lado reverso da coisa, ele é um cara técnico e duro, mas não atura passar adversidade”, disse. 

Visite a UFC Store

Baixe o aplicativo do UFC

Assine o Canal Combate