Skip to main content

Treinador de Karatê do Time Vitor, Francisco Filho

Por que o Time Vitor conseguiu cinco vitórias seguidas nos primeiros episódios do TUF Brasil? A explicação pode se resumir em uma única palavra: versatilidade. O MMA é formado por vários fundamentos e o lutador, para ir bem, necessita dominá-los com desenvoltura. Por conta disso, entre os treinadores da equipe verde, não basta apenas o Jiu-Jitsu, o boxe, o wrestling e o muay thai. O experiente Francisco Filho foi chamado por Vitor Belfort para suprir a equipe em outro quesito fundamental, mas que nem todos se importam: o karatê.  

Nascido em 10 de janeiro de 1971, aos 11 anos de idade Francisco Filho deu início aos treinos de karatê. O amor pelos filmes de artes marciais foi o primeiro estímulo. Chiquinho brincava de luta com o irmão mais velho, que logo percebeu o espírito guerreiro do mano. Francisco foi levado à academia e se especializou num estilo agressivo do karatê, o Kyokushin, diferente, por exemplo, do praticado pelo ex-campeão do UFC Lyoto Machida, especialista no shotokan.   
   
Na modalidade, Francisco conseguiu feitos incríveis. É o único brasileiro a efetuar com êxito, no Japão, o teste das 100 lutas. Depois de quase quatro horas contra 100 lutadores diferentes, em combates de dois minutos, Chiquinho venceu 76 lutas e empatou outras 24. Até hoje, apenas nove pessoas conseguiram completar o desafio. No entanto, o faixa-preta é único que não foi direto para o hospital. "Saí andando depois desse esforço, mas a maioria vai embora de ambulância. Fui o sétimo a conseguir completar o desafio e, depois de mim, apenas mais duas pessoas o fizeram."       

Além disso, Filho estendeu seus feitos ao K-1, a copa do mundo para lutadores dos strikers. Foi o campeão do World Grand Prix Yokohama, em 2000, e finalista do GP de 2001, também no Japão. Antes disso, já havia garantido títulos importantes como o Campeonato Brasileiro absoluto e o Mundial Kyokushin, entre tantos outros, o que o consolidou como um dos maiores strikers do mundo. "Toda arte marcial é importante. Fortalece a pessoa não apenas tecnicamente, mas mentalmente. A luta proporciona o fortalecimento interno do seu praticante", comenta.      

O primeiro contato com Vitor Belfort foi em 1997. Ao acompanhar os treinos do lutador do UFC Maurice Smith, Francisco viu o jovem "Fenômeno" em ação e se impressionou com a velocidade e explosão de Vitor. Nesta época, já fizeram amizade, mas foi uma surpresa o convite para ser um dos treinadores do TUF Brasil. As vitórias em sequência, que fizeram a equipe de Belfort abrir até cinco vitórias de vantagem contra o time comandado por Wanderlei Silva, também são fruto do trabalho de Francisco Filho.   
 
"Todos no time tem méritos, todos têm sua especialidade nas lutas, então procuramos dar muita força e confiança à equipe. Buscamos fortalecer a mente de cada lutador dentro da casa e isso fez diferença", analisa.