Skip to main content

Treinador de muay thai do Time Wanderlei, Andre Dida

O muay thai é uma das armas mais importantes para o lutador de MMA. Através da modalidade tailandesa, são afiados os socos, chutes, joelhadas e cotoveladas. No time de um especialista no quesito, Wanderlei Silva, o treinador tem que ser bom no fundamento. Por conta disso, André Dida foi convocado para o plantel de técnicos.

André Amade, o Dida, é um dos escudeiros de Wanderlei Silva no comando do time azul contra o de cor verde, comandado por Vitor Belfort. Dida pode passar aos pupilos de Wand no TUF Brasil não apenas os seus conhecimentos de muay thai, modalidade que domina com desenvoltura. Dentro dos ringues, o curitibano tem experiência nos eventos japoneses de MMA e no K-1, respeitada organização de kickboxing.
 
Desde os primeiros passos no mundo das artes marciais, Dida teve que mostrar o seu valor com muito suor e luta. Aos 12 anos de idade, teve as primeiras lições em casa, com o irmão, que já treinava na Chute Boxe, umas das academias de luta mais tradicionais em todo o mundo, que ajudou a lançar campeões como Wanderlei Silva, Maurício Shogun e Anderson Silva. Para conquistar uma bolsa e poder treinar de graça na Chute Boxe, Dida teve que provar o seu valor em um treino para valer. A experiência passada pelo irmão em casa serviu de apoio, o professor se empolgou com o que viu e o aspirante pôde se dedicar à luta definitivamente. Nesta época, seu grande ídolo já era Wanderlei Silva, com quem tem o prazer de trabalhar na edição brasileira do TUF.
 
As primeiras vitórias vieram no muay thai, mas logo Dida se testou no MMA. Em 2004 estreou no Storm Samurai, em Curitiba, onde venceu três lutas e empatou uma. Em seguida, teve a chance de combater no Japão, no extinto Hero’s, e por lá venceu três confrontos seguidos. Num deles, em 2007, derrotou Caol Uno, um dos grandes ídolos japoneses.
 
Em 2008, Dida teve a honra que poucos lutadores profissionais de muay thai tiveram na carreira: participou do K-1. No evento, considerado a copa do mundo dos strikers, encarou pedreiras como o tailandês Buakaw Por.Pramuk, um dos maiores campeões. No entanto, o principal foco continua sendo o MMA, onde possui seis vitórias, quatro derrotas e um empate.
 
Atualmente, Dida também atua como treinador na Kings MMA, ajuda a preparar lutadores do UFC como Wanderlei Silva e Fabrício Werdum. Na academia na Califórnia, ele convive diariamente com Rafael Cordeiro e Renato Babalú, outros treinadores do Time Wanderlei no TUF Brasil. No reality show, Dida aposta não apenas nos ‘gladiadores’ do seu time, mas na própria capacidade de Wanderlei Silva em derrotar Vitor Belfort no desafio entre os capitães, que acontece em junho, e vale como revanche para Wand.
 
“O programa está cheio de momentos marcantes, principalmente envolvendo a rivalidade entre Wanderlei e Belfort. É uma grande chance para o público brasileiro que não estava ligado no MMA, não apenas por passar a conhecer a modalidade, mas para conhecer o Wand e ver o campeão que ele é. O Wanderlei é o campeão do povo, não tem com não gostar do estilo dele. Agora todos vão saber quem ele é!”, diz.
 
“Procuramos sempre trabalhar a cabeça do atleta e respeitar a particularidade de cada lutador. Não conhecíamos todos os lutadores, mas percebemos que todos ali tinham muito coração, todos queriam essa chance no UFC, o que torna as lutas emocionantes”, encerra Dida.