Pular para o conteúdo principal

UFC 182: Jones derruba Cormier e segue no topo

Evento inicia o ano da organização com grandes confrontos 

O Ultimate Fighting Championship deu o pontapé inicial aos grandes eventos de 2015 na primeira edição do ano, com o UFC 182, neste sábado, em Las Vegas. Na principal luta da noite, Jon Jones teve êxito em sua oitava defesa de título, bateu Daniel Cormier e segue como número 1 entre os meio-pesados. Vale destacar também o desempenho de Donald Cerrone, que venceu a sexta seguida contra o invicto Myles Jury. Único brasileiro no card, Rodrigo Damm acabou derrotado nas preliminares.

JONES SEGUE CAMPEÃO
Na principal luta da noite, muita rivalidade entre Jon Jones e Daniel Cormier. Além das ofensas, ambos chegaram às vias de fato durante uma das ações promocionais para o combate. Era grande a expectativa, uma vez que Cormier, que foi campeão no Strikeforce entre os pesos pesados, parecia ser o principal candidato para derrubar o atual rei dos meio-pesados do UFC. Além disso, a torcida estava a favor do desafiante. Jones foi muito vaiado pelo público durante a pesagem.

Dentro do Octógono o esperado, um confronto disputado, definido nos detalhes. Jones logo foi pra cima com chutes altos e conseguiu, ainda no primeiro assalto, o que muitos duvidavam: quedou Cormier. Depois, controlou bem a distância aproveitando a envergadura e variou bem chutes, socos e joelhadas. Na segunda parcial, Jones começou com a mesma estratégia, mas ficou preso num clinch perigoso e passou a receber muitos golpes.

Após ver o risco de perto, o campeão conseguiu controlar a distância novamente, variou chutes altos e baixos e desta vez aproveitou o clinch com boas cotoveladas e joelhadas. No quarto round, Jones voltou a surpreender e quedou duas vezes. Com vantagem nos números, Jon voltou para a etapa final com uma tática mais defensiva e conseguiu evitar qualquer reação de Daniel. Nas papeletas, decisão unânime a favor de Jon Jones, em sua oitava defesa de título bem sucedida.

"Todo mundo que vaiou agora vai ter que engolir. Falem o que quiser, estou invicto e venham aqui me bater. Coloquei ele cinco vezes para baixo e por isso sou o campeão", desabafou.

CERRONE VENCE A SEXTA SEGUIDA E BATE INVICTO
Em sua escalada entre os pesos leves, Donald Cerrone encarou o invicto Myles Jury no coevento da noite. E, mais uma vez, o Cowboy mostrou que está definitivamente entre os melhores da categoria. Nos primeiros instantes, caiu na principal arma de Jury, acabou derrubado. Mas respondeu rapidamente, mostrou que também está afiado no chão. Encaixou uma chave omoplata, reverteu a posição, pegou as costas e chegou perto da finalização com um estrangulamento e depois com um armlock.

No seguimento, o Cowboy manteve o controle, mas agora na sua área predileta: a trocação. Sempre para frente, conduziu o segundo round e mostrou sobras no terceiro, após um forte chute no rosto do adversário. Apesar da série de 15 vitórias, Jury deu impressão de que ainda tem que evoluir para encarar oponentes do quilate de Cerrone. Já o Cowboy, com a decisão unânime a favor, prova que merece a chance pelo título em seis vitórias seguidas, mas para isso terá de esperar Rafael dos Anjos, que encara o atual campeão Anthony Pettis no dia 14 de março.

TAVARES DESPACHA FAVORITO MARQUARDT
Nate Marquardt teve pela frente um desesperado Brad Tavares, que acumulava duas derrotas. Ex-desafiante ao cinturão do UFC, quando foi derrotado por Anderson Silva, e ex-campeão do Strikeforce, Marquardt era favorito, mas não foi o que demonstrou dentro do Octógono. O americano não encontrou a distância, enquanto Tavares conseguiu evitar bem as quedas de Nate. Na trocação, o havaiano também conectou os melhores golpes. Em momentos de troca franca de socos, ambos se acertaram, mas Brad pareceu absorver melhor os golpes, enquanto Marquardt aparentava exatamente o contrário. Após três rounds mornos, melhor para Brad Tavares em decisão unânime. Já Nate perdeu a quarta em três apresentações pelo Ultimate.

JAPONÊS TRIUNFA NOVAMENTE ENTRE OS MOSCAS
Talvez o melhor representante japonês no UFC, atualmente, o peso mosca Kyoji Horiguchi conseguiu controlar bem Louis Gaudinot para chegar à quarta vitória seguida na organização. Com bom repertório de socos, chutes e quedas, Horiguchi esbanjou boa movimentação e saiu com vantagem nas três parciais. Não foi uma das lutas mais empolgantes da noite, mas serviu para provar que o japonês já está entre os merecedores de uma chance pelo cinturão, atualmente nas mãos de Demetrious Johnson. Por outro lado, Louis Gaudinot chega á terceira apresentação sem vitória, com duas derrotas e um no contest.

HECTOR MUDA ESTILO E BATE BURKMAN
Sem lutar desde março, Josh Burkman parecia que seria uma presa fácil diante de Hector Lombard, entre os meio-médios. Mas não foi o que ocorreu na primeira luta do card principal. Justiça seja feita, Lombard não sofreu muitos riscos e faturou sua terceira vitória seguida em decisão unânime, mas pareceu que faltou um pouco de ímpeto ao cubano para definir por nocaute, justamente ele, conhecido, principalmente, por ser explosivo. Lombard aplicou uma boa sequência no segundo assalto, conectou diversos golpes. Burkman acusou os ataques e, a partir daí, preferiu se movimentar no intuído de se defender. Hector mudou a estratégia e derrubou na terceira parcial, tentou mais algumas combinações na trocação, foi efetivo, mas Burkman resistiu até o toque final.

CARD PRINCIPAL
Jon Jones venceu Daniel Cormier por decisão unânime
Donald Cerrone venceu Myles Jury por decisão unânime
Brad Tavares venceu Nate Marquardt por decisão unânime
Kyoji Horiguchi venceu Louis Gaudinot por decisão unânime
Hector Lombard venceu Josh Burkman por decisão unânime
CARD PRELIMINAR
Paul Felder venceu Danny Castillo por KO aos 2min9s do R2
Cody Garbrandt venceu Marcus Brimage por TKO aos 4min50s do R3
Shawn Jordan venceu Jared Cannonier por TKO aos 2min57s do R1
Evan Dunham venceu Rodrigo Damm por decisão unânime
Omari Akhmedov venceu Mats Nilsson por decisão unânime
Marion Reneau venceu Alexis Dufresne por decisão unânime