Pular para o conteúdo principal

UFC anuncia parceria de seis anos com gigante Reebok

A linha Reebok / UFC terá vestuários exclusivos para a "Fight Week", "Fight Night", e equipamentos para os fãs do UFC
 
Perguntas frequentes sobre a parceira Reebok / UFC



A Reebok e o UFC estão unindo forças. Uma parceria inovadora de seis anos vai transformar a líder mundial em material esportivo na fornecedora exclusiva de roupas e acessórios da maior organização de artes marciais mistas do planeta.

A linha Reebok / UFC, que irá incluir vestuários exclusivos para a "Fight Week", "Kit Fight Night", bem como equipamentos para os fãs do UFC, será desenvolvida em conjunto com o UFC e seus atletas, incluindo os atuais lutadores patrocinados pela Reebok, Johny Hendricks, campeão meio-médio, e o campeão dos leves, Anthony Pettis.

"Esta será a maior parceria, não relacionada com transmissão de eventos, que a nossa empresa já assinou", disse Lorenzo Fertitta, UFC Chairman e Chief Executive Officer.

A aliança entre as duas marcas esportivas mundiais é semelhante à exclusividade que NFL, NBA, Major League Baseball e outras ligas esportivas e equipes, de todo o mundo, assinam com empresas líderes em fornecimento de material esportivo.

Porém, a parceria Reebok / UFC tem uma diferença em relação as outras. “O UFC distribuirá grande parte da receita recebida deste acordo para os atletas”, comentou Fertitta. A empresa está investindo nesta plataforma para criar valor, a longo prazo, na marca e em seus atletas. Além disso, a Reebok está investindo em pesquisa e desenvolvimento de equipamentos e acessórios projetados especificamente para atletas de MMA.

Uma porcentagem de todas as vendas de produtos Reebok / UFC será doada à “Luta pela Paz”, uma organização sem fins lucrativos que reúne boxe e artes marciais com educação e desenvolvimento pessoal em comunidades afetadas pelo crime e violência. A “Luta pela Paz” foi fundada em 2000 para dar uma alternativa ao impacto que a violência armada e o tráfico de drogas causa em jovens residentes nas favelas do Rio de Janeiro, Brasil.

 

 
 

Os atletas serão compensados de acordo com a Política de vestuário e equipamento para atletas do UFC 2015, por meio de um sistema hierárquico baseado no ranking de cada lutador no momento da pesagem, independente do tipo de transmissão de sua luta e colocação no card. Os rankings das categorias de peso e do peso-por-peso do UFC são determinados por votação de membros da imprensa, considerando apenas os lutadores em situação ativa na organização.

Entre os benefícios da política:

- Associar os atletas do UFC com uma conceituadíssima marca de calçados e roupas esportivas, com vestuário de alto desempenho e qualidade especificamente desenvolvido, testado e produzido para atletas de MMA.

- Renda garantida para cada luta, eliminando o ônus de buscar patrocinadores por evento.

- Oportunidade de gerar receitas de royalties dos novos produtos específicos para atletas criados através do programa.

- Os lutadores podem escolher entre uma variedade de cores e tamanhos de roupas e kits, permitindo algum tipo de personalização.

O que vai mudar?

Os atletas não terão mais permissão de usar logotipos de patrocinadores externos no vestuário esportivo durante a semana de eventos oficiais do UFC, incluindo: a luta em si, o conteúdo produzido pelo UFC ou outros eventos oficiais do UFC.

Banners de patrocinadores individuais não serão mais permitidos durante a entrada para a luta ou dentro do octógono, começando com o evento do UFC em 11 de julho de 2015, que coincide com a “International Fight Week”, em Las Vegas, Nevada. A nova política vai começar na semana de 6 de julho de 2015.

Os atletas podem utilizar seus equipamentos individuais ou de patrocinadores fora dos eventos do UFC, e os patrocinadores atuais ou em potenciais podem usar nome e imagem de um atleta. Eles não podem usar as marcas registradas do UFC, a menos que tenham uma relação comercial direta com o UFC.

O presidente do UFC, Dana White, entrou em contato com os atletas diretamente para explicar a nova política, e disse que a resposta tem sido positiva.

"Praticamente todos atletas com quem conversei estão muito animados com isso", disse White. "Eu realmente não tive nenhum feedback negativo, de ninguém."

FAQ Reebok / UFC

O fluxo de receita adicional deverá reduzir a tarefa que muitos atletas novatos enfrentam em lutar para garantir patrocínio e financiamento.

"Estamos trazendo o nosso crescimento comercial para a marca UFC e nossos atletas. Então é uma vitória para todos nós", disse Fertitta. "Tudo isso vai ajudar os lutadores, porque vai permitir que eles se concentrem mais nos treinos e não em correr para conseguir alguns desses patrocinadores, que não são tão valiosos."

Segundo Fertitta, outros patrocínios podem, eventualmente, aparecer no kit do UFC. "Mas será uma grande marca global como a que você vê em alguns desses outros esportes, como as ligas do futebol europeu”, comentou o CEO da marca.

"Vai mudar a percepção do esporte, a percepção do atleta, o nível que estamos. Este é um verdadeiro divisor de águas", disse Feritta, colocando a parceria com a Reebok no mesmo patamar de outros momentos de definição na história do UFC, entre eles o lançamento do reality show "The Ultimate Fighter", na Spike TV; a parceria com a FOX Sports e os acordos com as mundialmente conhecidas Budweiser e Electronic Arts.

Os níveis de compensação por posição, baseados no sistema de ranking selecionado pela imprensa, irá recompensar os campeões das respectivas divisões com a maior parte. Outros níveis irão premiar lutadores rankeados de 1 a 5 (Nível 2); 05/10 (Nível 3); 10-15 (Nível 4). Lutadores fora do ranking serão recompensados em um nível 5 e aqueles lutadores ainda não rankeados receberão a mesma remuneração.

As preocupações em adquirir patrocinadores de última hora chega ao fim para muitos atletas do UFC, sem limitar suas capacidades em possuir patrocinadores alternativos fora de eventos e aparições oficiais sancionadas pelo UFC.

"Não importa se você está no topo ou embaixo. Você sabe que cada vez que você pisa lá, você será pago. Você tem um patrocínio. É mais incentivo para ficar maior e melhor”, disse White.

"Nós nos sentimos como se tivéssemos criado um programa (de patrocínio) que será, em alguns casos, mais do que (alguns lutadores) têm conseguido atualmente. Eles ainda vão ser capazes de manter seus outros patrocinadores, então olhamos como se fosse um “aditivo”. Além disso, eles ficam com um royalty para qualquer coisa que for vendida com seu nome.", comentou Fertitta.