Pular para o conteúdo principal
Eventos

UFC Wichita: Motivos para ver

Saiba por que você não pode perder o evento deste sábado (09), com transmissão AO VIVO e exclusiva do Combate, a partir das 19h (horário de Brasília)

O UFC faz a sua estreia em Kansas e leva para a cidade de Wichita um card liderado por um duelo de pesos-pesados, além de combates interessantes que podem alterar o rumo de suas divisões. Separamos abaixo alguns dos motivos para você não perder o evento deste sábado, AO VIVO e exclusivo no Combate, a partir das 19h (horário de Brasília).

Mais UFC Wichita: Os brasileiros no evento | Elizeu Capoeira: em números | Cinco perguntas para Derrick Lewis

Nocauteadores em busca do cinturão

A luta principal do UFC Wichita, dia 9 de março, será entre o ex-campeão Junior Cigano e  Derrick Lewis, que juntos somam 32 nocautes em suas carreiras.

Brasil

Se você é fã de nocautes, a luta principal do UFC Wichita é um prato cheio. Derrick Lewis e Junior Cigano possuem, ao todo, 32 nocautes na carreira. O duelo também pode alçar um novo nome para ser o próximo desafiante na disputa de cinturão do peso-pesado.

O ex-campeão Cigano está atualmente em oitavo colocado no ranking e vem de duas vitórias consecutivas - algo que não acontecia desde 2012. Os triunfos sobre Blagoy Ivanov e Tai Tuivasa  o credenciaram a fazer sua quinta luta principal consecutiva e o colocam em uma posição de importância na divisão dos pesados, já que uma vitória sobre Lewis deixaria o atleta de 35 anos mais uma vez próximo de disputar o cinturão.

Lewis, por outro lado, ocupa a terceira colocação do ranking e vinha em uma sequência de três vitórias até ser finalizado pelo campeão Daniel Cormier, no UFC 230, em novembro de 2018. Uma vitória o colocaria novamente no patamar de desafiante e o duelo contra Cigano é perfeito para isso, já que tanto Lewis quanto o brasileiro preferem a luta em pé - e o norte-americano possui um dos socos mais potentes do UFC.

Dois talentosos meios-médios

A segunda luta mais importante do evento traz um duelo pra lá de interessante. Elizeu Capoeira e Curtis Millender são dois lutadores empolgantes, que costumam dar show quando pisam no octógono. Se juntarmos as sequências de vitórias de ambos, são 15 lutas de invencibilidade. Isso quer dizer que ambos estão no top 10 da categoria, certo?

Errado.

A categoria dos meios-médios é tão talentosa que Elizeu é o 13º no ranking, enquanto Millender sequer está nele. Por isso os dois lutadores sabem que uma vitória neste sábado é fundamental para seguir rumo ao topo de uma das divisões mais disputadas do UFC.

Analisando o duelo, podemos ter 15 minutos de muita movimentação na parte em pé ou um surpreendente nocaute logo cedo, já que ambos são bons em pressionar os adversários e possuem contundência nos golpes.

Batalha de finalizadores

Ainda nos meios-médios, temos um duelo interessante de finalizadores no card preliminar. Anthony Martin e Sergio Moraes já finalizaram, ao todo, 17 oponentes em sua carreira. Além disso, os dois atletas vivem boa fase nos últimos anos, sendo que Martin ganhou seis de suas últimas sete lutas e Serginho possui oito vitórias em seus últimos dez confrontos - sendo sua única derrota nesse período para o campeão Kamaru Usman.

Como dito acima, a divisão dos meios-médios é muito acirrada, então ambos precisam continuar com a boa fase para tentar chegar ao top 15 do ranking. Caso não fujam de suas características, o duelo deve ir para o solo e aí pode aparecer uma finalização a qualquer momento.

A única luta feminina da noite promete fazer barulho

Com a campeã dos galos Amanda Nunes em um período de descanso, Marion Renau e Yana Kunitskaya farão um duelo top 10 nessa categoria. Sem desafiante ao cinturão definida, as duas sabem que ter seu braço levantado no UFC Wichita pode ser uma possibilidade de subir no ranking e ficar entre as possíveis candidatas.

Reneau é uma atleta experiente, mas que ainda tem muito vigor e resistência. Aos 41 anos, "The Belizean Bruiser" é uma atleta completa, que jamais foi finalizada ou nocauteada em sua carreira. Já Kunitskaya é 12 anos mais jovem e uma nocauteadora perigosa, conquistando sete triunfos desta maneira em suas 11 vitórias.

Pode ser o último respiro de Reneau em busca do topo da categoria, enquanto a russa ainda busca se firmar no UFC. Duelo que promete ser movimentado e com muitas reviravoltas.

Assine o combate | Siga o UFC Brasil no Youtube