Pular para o conteúdo principal

Um argentino 'xente boa' no UFC Brasília

Com seu portunhol refinado, Santiago Ponzinibbio se define como um - argentino 'xente' boa - e esbanja carísma e bom-humor por onde passa

Santiago Ponzinibbio é argentino de sangue, mas brasileiro de coração. Aos 20 anos de idade, o 'hermano' desembarcou sem lenço e sem documento em terras tupiniquins. Trazia na bagagem a vontade de trabalhar e vencer na vida. Para isso, o hoje lutador do UFC, lembra que já foi segurança, porteiro, assistente de cozinheiro, vendedor de livros e boxeador. "Eu fazia de tudo para ganhar um dinheiro e poder pelo menos comer", lembra.
Se o brasileiro considera o argentino um povo petulante, tal teoria cai por água abaixo quando se tem contato com o 'platense'. O sujeito é puro carisma, bom-humor e simplicidade. Por onde passa, atende os fãs, está sempre sorridente para os jornalistas, faz questão de agradecer a maneira como foi recebido e tratado no no país e orgulha-se ao dizer que 'ama o Brasil.'
Veja o bate-papo do lutador com os fãs

Antonio Pezão e Gleison Tibau, companheiros de treinos do argentino, atestam que ele é sempre assim. "Esse ai nem parece argentino. É mais brasileiro que muita gente que conheço", comenta o peso-pesado do UFC. O amigo Tibau também é só elogios para o 'camarada'.  "Com ele não tem tempo ruim. É um batalhador e vencedor."
Foi com o boxe e os bons resultados nas arenas de luta que o credenciaram para entrar no TUF Brasil 2. Na casa, foi destaque pelas atuações repletas de garra e vontade. Chegou na final, mas acabou impossibilitado de lutar em virtude de lesão. Estreou 'pra valer' no Ultimate contra Ryan LaFlare, em 2013, e acabou derrotado.

Nesse sábado, ele tenta uma vitória contra Wendell Oliveira no Fight Night Brasília e diz estar pronto para a batalha. Questionado se estava tudo bem na preparação para o duelo, ele respondeu com a alegria brasileira e a garra argentina.  "Eu vim de algumas lesões que me prejudicaram bastanta, mas nunca me derrotaram. Jamais estremeço. Para quem já morou em uma barraca. isso aqui é o paraíso", brincou.