Pular para o conteúdo principal

Um mês após lesão, Charles 'do Bronx' relembra susto e mira retorno em 2015

Peso-pena quer vaga no card de 19 de dezembro


Um susto. É assim que Charles 'do Bronx' define a lesão que sofreu na luta contra Max Holloway em agosto, no UFC Saskatoon, no Canadá. Ainda no primeiro round de combate, o brasileiro teve uma ruptura no esôfago e não teve mais condições de competir, dando a vitória por nocaute técnico ao havaiano.

Pouco mais de um mês depois do evento, do Bronx está recuperado e, aos poucos, retorna aos treinos. Em entrevista ao portal Combate, o peso-pena relatou os momentos de preocupação depois do duelo, mas se mostrou otimista quanto ao futuro, mirando um combate ainda em 2015.

Assine o Canal Combate e não perca nenhum detalhe do UFC

"Foram quatro horas sem movimentar o lado esquerdo. Passou de tudo pela minha cabeça. Tive medo de ficar aleijado. Fiquei triste, chorei para caramba. Não por perder, mas pela forma como aconteceu. A gente acaba pensando no pior. Foi um choque para todo mundo da família, tanto que minha mãe chorou ao me ver na volta dos Estados Unidos. Foi ruim, um susto, mas a situação está superada. Estou feliz por ter voltado aos treinamentos de jiu-jítsu com a molecada, venho batendo manopla, não sinto dor. Espero lutar até o fim do ano, quero uma vaga no card do dia 19 de dezembro. Daqui a pouco estarei de volta", afirmou.

O evento de 19 de dezembro terá como luta principal a disputa do cinturão peso-leve, entre Rafael dos Anjos e Donald Cerrone. Se pudesse escolher um oponente, Charles pediria uma revanche contra Holloway, mas o havaiano enfrenta Jeremy Stephens no card do UFC 194. Sabendo disso, o paulista garante que se contenta com qualquer outro oponente.

"Não coloco minha última luta como derrota, porque não houve luta. Não foi um soco dele ou um chute que definiu o resultado. Eu me machuquei sozinho. Preferia ter sido nocauteado ou até finalizado. Quero muito essa revanche, mas como o Holloway tem luta marcada, assim como todos na minha frente no ranking, o importante é não ficar parado. Quero mostrar que estou na briga pela disputa de cinturão. Se eu vencer meu próximo combate, acho justo enfrentar o Holloway de novo", disse. 

Ingressos à venda para o UFC São Paulo 
Visite a UFC Store
Baixe o aplicativo do UFC