Skip to main content

Um Vinny Pezão mais completo tem sua 2ª chance no UFC

Com seu apuradíssimo jogo de chão, fica a pergunta para a atuação de Vinny Pezão no UFC... 
Será que vem mais uma finalização por aí?   

Aos 28 anos de idade, Vinny Magalhães, também conhecido como Pezão, terá sua segunda chance no Ultimate Fighting Championship. Neste sábado, contra o croata Igor Pokrajac, o brasileiro tentará emplacar definitivamente na organização. O público deve ver um lutador mais maduro que o de 2008, quando Vinny surgiu para o mundo através do reality show The Ultimate Fighter. No programa, acumulou fama e polêmicas, mas também mostrou que tem potencial para brilhar no Octógono. No UFC 152, no Canadá, o lutador tentará deixar isso evidente.      

A história de Pezão no UFC começou na oitava edição do TUF. Mas, antes disso, o faixa-preta de jiu-jitsu conquistou muitos títulos na arte suave, o que lhe rendeu um estilo agressivo na luta de solo. No seu cartel, finalizou sete das dez vitórias, com cinco derrotas e um no contest. Formado por Vinicius Aieta, professor da Gracie Tijuca, no Rio de Janeiro, bateu no jiu-jitsu alguns dos grandes nomes da modalidade e também teve atuações exemplares no ADCC, considerado o maior torneio de grappling do mundo. Em 2011, se sagrou campeão da renomada competição, tendo derrotado na final da competição o lutador peso pesado do UFC Fabrício Werdum, que era o campeão.      

Em outra edição do evento, em 2009, quando terminou na terceira colocação, Vinny finalizou mais uma fera que hoje se apresenta no Ultimate. Um justo armlock fez Glover Teixeira, que estará em ação no UFC Rio 3 contra Fabio Maldonado, dar os três tapinhas.                        

"Mentalmente, o ADCC é brincadeira de criança se comparado a uma luta de MMA, onde seu oponente está querendo arrancar a sua cabeça fora, seja com um soco ou um chute", comentou, lembrando que foi campeão do torneio sem um treinamento específico, já que vinha se focando no MMA.      

Sua estreia nos cages foi 2006, no Gracie Proving Ground. A luta, contra Chris Larkin, acabou em no contest. Alguns anos depois veio a chance no TUF 8 e, apesar de ter o compatriota Minotauro Nogueira entre os treinadores da edição, Pezão acabou no time de Frank Mir. O lutador foi um dos personagens marcantes do programa, tanto pelas boas atuações quando pela polêmica em torno de supostas declarações sobre Minotauro.    

"Acho que foi um assunto que rendeu muito mais do que devia. Comentei com o Frank Mir que o Rodrigo tinha um jogo de jiu-jitsu básico. Quis dizer que é um cara que não faz firulas, tem um jiu-jitsu tradicional, o que não quer dizer que não é eficiente. Não quis ofendê-lo", contou. "Mas fizeram fofoca, disseram um monte de coisas, que eu me achava melhor que ele. Eu entendo ele ter ficado chateado. Estávamos nos dando bem e ele deve ter se sentido traído. Mas garanti que não era nada daquilo", completou.    

Polêmicas a parte, Vinny foi finalista do reality show, mas acabou nocauteado por Ryan Bader na grande decisão do TUF 8, em dezembro de 2008. Ainda teve mais uma oportunidade no Octógono, entretanto, foi batido por Eliot Marshall em decisão unânime dos jurados, no UFC 97.      

Fora da organização, Pezão fez por merecer uma nova chance. Acumulou sete triunfos em oito lutas, além de mostrar evolução no jogo de trocação, com nocautes contra Jake Doerr e Mikhail Zayats em apresentações pelo evento M-1 Challenge, organização aonde detinha o cinturão da categoria meio-pesado. Soma-se a isso a experiência como treinador, tendo ajudado na preparação de Chael Sonnen para a luta contra Anderson Silva, no UFC 148.    

Neste sábado, no UFC 152, na mesma noite que entram no cercado seus compatriotas Vitor Belfort e Charles do Bronx, Pezão terá pela frente o duro Igor Pokrajac (25-8), que vem numa série de três triunfos. Contra um oponente que já acumulou 13 nocautes e oito finalizações, o brazuca não terá vida fácil. Mas ai de Pokrajac se bobear com os braços. Apesar de ter finalizado até com o atípico estrangulamento gogoplata em suas lutas, Vinny já viu cinco oponentes sucumbirem diante da sua chave de braço.    

Será que vem mais uma finalização por aí?