Pular para o conteúdo principal
Entrevistas

Valentina Shevchenko: uma mentalidade à prova de balas

A mentalidade de Valentina Shevchenko é o motivo real de seu sucesso. Veja o que ela está pensando antes da luta do UFC 261

Valentina Shevchenko carrega consigo a sensação de inevitabilidade. Seu domínio total como campeã do peso-mosca veio com pouca resistência nos últimos dois anos, quando ela emendou cinco defesas de título, perdendo apenas dois rounds no processo. Ao longo do caminho, ela carregou o peso do cinturão tão bem quanto qualquer pessoa na promoção, contestando a noção de Shakespeare sobre a inquietação com que uma cabeça usa uma coroa.

“Eu realmente amo trabalhar”, disse Shevchenko ao UFC.com. “Por exemplo, nunca ouvi as pessoas dizendo: 'É muita pressão ser o campeão', e que ficam aliviados quando perdem o cinturão. Está errado. Isso está totalmente errado. Você não ficará mais feliz sem o título, porque este é o nosso espírito de luta. Isso é o que somos. Queremos ser o número um. Queremos ser os melhores, e qual versão melhor do que segurar o cinturão? Este é o número um. É por isso que sou uma pessoa assim”.

Inscreva-se para receber a Newsletter do UFC

Seu domínio absoluto é o motivo pelo qual o controle de Jennifer Maia no segundo assalto pareceu tão monumental. A luta terminou como a maioria que envolvem Shevchenko - com a "Bullet" impondo sua estratégia a caminho da vitória. Shevchenko, depois, disse que esperava um duro desafio de Maia, dizendo que a única coisa que ela mudaria em seu desempenho é evitar aquela queda malsucedida no segundo round.

Com a divisão peso mosca ainda em seus estágios iniciais, Shevchenko se tornou uma espécie de triturador de madeira, acabando com as desafiantes mais rápido do que a divisão consegue produzi-las, embora um influxo de jovens talentos torne o futuro empolgante. Essa lacuna de experiência em nível de campeonato, no entanto, encontrou seu preenchimento quando a ex-campeã peso-palha Jessica Andrade fez sua enfática estreia no peso-mosca, ganhando uma vitória por TKO no primeiro round sobre Katlyn Chookagian em outubro de 2020.

Brasil

Esse desempenho rendeu a Andrade a chance de conquistar o cinturão na segunda categoria de peso, e talvez ela seja a defesa mais esperada de Shevchenko desde que conquistou o cinturão contra Joanna Jedrzejczyk no UFC 231. Shevchenko, porém, não se impressiona tanto com as credenciais da adversária, ao mesmo tempo em que dá o respeito adequado às suas habilidades.

“Você precisa olhar para cada um de seus oponentes como algo especial”, disse Shevchenko. “É isso que estamos fazendo. Estamos assistindo suas lutas, estamos analisando o que ela está fazendo e definitivamente ela tem poder - poder de arremessar, poder de fazer coisas diferentes. Ela está dando socos violentos por toda parte, e sim, definitivamente, de acordo com tudo o que vemos, estamos fazendo nosso treinamento. A cada sessão trabalhamos em diferentes técnicas, mas o objetivo principal é me colocar 100 por cento em forma. Este é o número um, porque sem isso, você não estará pronto física e mentalmente. Não importa o que você faça se não estiver 200 por cento na luta. Este é o número um”.

Mais UFC 261: Conheça os brasileiros que entram em ação no evento

Embora Andrade seja talvez vista como a candidata mais ameaçadora de Shevchenko estritamente por causa de seu poder de nocaute com apenas um golpe, bem como sua própria experiência como campeã, Shevchenko não dá muito tempo ou crédito para como essa experiência poderia ajudar a brasileira.

“Ser humano é o que faz toda a diferença”, disse ela. “Você está pensando que vai ter a melhor luta da vida, mas na hora algo dá errado e você não está se sentindo como deveria. Essa é a maior diferença, e com certeza não posso dizer o que ela está pensando, o que ela está sentindo, mas com certeza posso dizer o que sinto e o que penso da luta”, disse.

“Minha mentalidade é: não importa o que aconteça, vou vencer essa luta”.

Social Post

Mesmo que a natureza de capturar um cinturão do UFC seja difícil, manter o cinturão é notoriamente trabalhoso. Usar um alvo nas costas parece cansativo não apenas para o torcedor diário, mas até mesmo nas palavras de outros lutadores que viram e experimentaram os holofotes mais brilhantes.

É o que torna o reinado de Shevchenko ainda mais impressionante. Todo mundo espera excelência quando ela entra no Octógono, talvez até expectativas irracionais. E, no entanto, ela continua dando às pessoas todos os motivos para esperar algo espetacular quando seus pés tocam a lona.

“Eu entendo perfeitamente qual é o melhor lado de ser uma campeã e qual é a responsabilidade nisso, o que você deve fazer para manter o título”, disse. “Se você viver em um momento, pode perder o cinto muito facilmente. Mas não sou assim. Eu não estou vivendo apenas por um momento. Eu vivo para uma constante. Eu trabalho da mesma maneira. Eu treino da mesma forma. Esta é a diferença em comparação com outras meninas”.

Valentina se solta um pouco mais quando se trata de lutar para uma multidão novamente, que é o que acontecerá no UFC 261. A lutadora admitiu que a energia do UFC APEX foi um pouco estranha, especialmente quando ela caminhou para o Octógono. Lá dentro, ela foi totalmente profissional (é claro), apenas notando a capacidade de ouvir a equipe da oponente com muito mais clareza.

Valentina Shevchenko of Kyrgyzstan poses for a portrait backstage during the UFC 255 event at UFC APEX on November 21, 2020 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Mike Roach/Zuffa LLC)
Valentina Shevchenko of Kyrgyzstan poses for a portrait backstage during the UFC 255 event at UFC APEX on November 21, 2020 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Mike Roach/Zuffa LLC)

Em termos de dar as boas-vindas à multidão em Jacksonville, Shevchenko disse que não pensou muito nisso, optando por apenas "sentir o momento". É um aspecto do esporte que muitos estão antecipando e talvez inspire alguns momentos mais espetaculares para o deleite dos espectadores.

O que é certo, no entanto, é que Shevchenko priorizará os negócios acima de tudo. É o que a torna uma grande lutadora e igualmente uma grande campeã. Tecnicamente, ela está em um nível que poucos outros artistas do MMA alcançam, e sua habilidade de fluir e derrubar quando a ocasião exige é algo para admirar e apreciar. Tudo faz parte de suas intenções sempre que ela pisa no Octógono: vencer, defender seu cinturão e colocar todas as suas habilidades de elite em exibição. No dia 24 de abril contra Andrade, como sempre, não será diferente.

“Eu só quero mostrar minhas artes marciais”, disse Shevchenko. “Só quero mostrar minhas técnicas e a beleza das artes marciais. Apenas o poder, o poder teimoso quando se tenta provar quem tem canelas mais fortes, quem vai cair primeiro. Eu realmente quero mostrar as artes marciais como se fosse a ideia de Bruce Lee, a beleza das artes marciais. ”

O UFC 261 terá transmissão ao vivo e exclusiva do Combate neste sábado (24) a partir das 19h (horário de Brasília).

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube