Pular para o conteúdo principal

Holly Holm quer voltar aos trilhos no UFC 225

Ex-campeã peso-galo enfrenta Megan Anderson pelo peso-pena neste sábado


Holly Holm tem apenas um foco.
Tendo transitado entre duas divisões, disputado cinturões e feito lutas principais pelos últimos dois anos, a norte-americana está concentrada apenas em seu próximo combate pelo peso-pena contra Megan Anderson neste final de semana, no UFC 225.
Mais UFC 225: Os brasileiros do eventoAs promessas do evento | Penn prevê título de RDA | Confira o card completo
“Estou empolgada para lutar com Megan”, disse Holm, que continua vagando entre os pesos pena e galo, aceitando as lutas mais interessantes disponíveis, independente de onde elas apareçam, “Ainda quero voltar se tiver a oportunidade de lutar pelo cinturão do peso-galo, mas quero passar por esta luta primeiro”.
“Não quero olhar muito lá na frente porque não quero que essa oportunidade escape e eu tenha que dizer ‘Faria, deveria, poderia’. Estou empolgada por esse confronto e tenho treinado duro para ele. Não quero apenas mostrar coisas novas, mas estive realmente focando em tentar mudar alguns dos meus hábitos ruins também”.
Agora com 15 lutas em sua carreira no MMA, e prestes a entrar no octógono pela 9ª vez, continua a achar pequenas partes de cada duelo que são frescas e desafiadoras para ela a cada luta, incluindo o duelo deste final de semana com Megan.
“Existem algumas coisas nessa luta que são interessantes para mim”, disse sobre o combate contra a ex-campeã peso-pena do Invicta FC, que fará sua estreia no Ultimate neste sábado, “Ela é uma lutadora alta. Acho que apenas uma outra oponente que enfrentei era tão alta - lutei com ela duas vezes - então é empolgante encarar uma lutadora de estilo diferente; uma lutadora alta e comprida”.
“E ela está vindo tendo experiência fora do UFC. Sei que ela é uma oponente muito dura e está chegando com grandes planos. Ela vai precisar tentar dar seu melhor. Sei que ela vai trazer seu melhor jogo, então preciso estar preparada para isso. Ela está vindo para surpreender e sei que é muito talentosa, então preciso frear isso”.
Olhando apenas para os resultados recentes, alguns se perguntam por que Holm continua a se ver em duelos chave a cada luta, dado que a ex-campeã peso-galo foi derrotada em quatro de seus últimos cinco combates.
Mas nem todas as derrotas são iguais, e apesar de ela ter tido dificuldades para encontrar sucesso no octógono ao longo dos últimos dois anos, a “Filha do Pastor” esteve muito perto de vencer em alguns desses reveses, e todos foram contra adversárias do mais alto nível.
“Sei que o retrospecto de quatro derrotas em cinco lutas não é bom, mas sei que essas derrotas não foram como se eu tivesse sido atropelada”, disse Holm corretamente.
Ela estava a dois minutos da vitória e de defender seu cinturão contra Miesha Tate no UFC 196 antes de Tate levá-la ao chão e encaixar um mata-leão, e sua luta com Germaine de Randamie 11 meses depois no UFC 209 foi ainda mais apertada que o placar de 48-47 deixa parecer. O mesmo vale para seu revés contra a rainha do peso-pena Cris Cyborg no UFC 214, onde novamente perdeu em apertada decisão.
Algumas mudanças ou um round melhor aqui ou ali e a marca de 1-4 de Holm poderia facilmente estar ao contrário, o que produziria narrativas completamente diferentes a redor da norte-americana.
“Sou muito honesta comigo sobre ter essas derrotas, mas também sei que se você olhar para cada luta, as derrotas que tenho não são porque fui dominada; são lutas realmente apertadas em que as pessoas ficam na beira de suas cadeiras, sem saber para quem vai o resultado”.
“É frustrante saber que as coisas estão tão perto”, admitiu Holm, “Se você olhar para minha luta com Cyborg, alguns acharam que a Cyborg venceu e alguns não sabiam para quem dariam o resultado”.
“É muito frustrante trabalhar tanto em um longo camp e não fazer valer quando importa, mas assim é o mundo das lutas. É mais fácil falar do que fazer e essa é a diversão de olhar para trás, então apenas tento olhar para o que aprendi e continuar a melhorar”.
Tendo passado boa parte dos últimos seis meses na academia afiando suas armas e trabalhando para corrigir aqueles hábitos ruins, e as últimas seis semanas se preparando para o duelo de sábado com Megan, a visão de Holm sobre como será sua volta à ação é bem simples.
“Vejo uma vitória”, disse ela, rindo, “Penso em tudo o que tenho feito nos treinos e imagino uma vitória; é assim que quero que aconteça”.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube