Pular para o conteúdo principal

Edson Barboza explica mudança de equipe e se diz "mais animado do que nunca"

Brasileiro recentemente passou integrar a American Top Team


Após cerca de seis anos integrando a equipe liderada pelos treinadores Ricardo Almeida e Mark Henry, no estado norte-americano de Nova Jersey, Edson Barboza está de casa nova: a American Top Team, na Flórida.
Em conversa com a reportagem do UFC Brasil, o peso-leve brasileiro falou sobre a mudança e explicou que foi motivado por razões estritamente pessoais.
"O principal motivo foi a qualidade de vida que eu estava tendo lá”, disse, “Eu fiquei muitos anos indo e voltando (da Flórida a Jersey), só indo para lá quando tinha luta. Depois que meu filho nasceu, não dava mais para ir e voltar, e a gente resolveu parar lá em cima. A gente conseguiu ficar lá por dois anos e meio, mas só de pensar em passar mais um inverno lá em cima, eu e a Bruna, minha esposa, decidimos voltar para a Flórida".
"Foi 100% por motivos pessoais”, continuou, “Minha cabeça lá ficava muito preocupada com coisas exteriores. Os treinos lá são ótimos, os treinadores são ótimos, mas o lado de fora dos treinos estava muito complicado, eu estava quase surtando".
Leia também: RDA projeta retorno no fim do anoPonzinibbio desafia RDA | Edgar fala de motivação e legadoMarlon reivindica title-shot | Cara de Sapato prevê finalização no UFC SP
Demonstrando grande gratidão aos ex-treinadores e parceiros de equipe, como Frankie Edgar, Eddie Alvarez e Marlon Moraes, Edson comentou ainda que, mesmo no pouco tempo na nova academia, já percebeu uma diferença importante.
"Aqui na American Top Team você tem muito material humano”, explicou, “Se você precisa de um alto, de um baixo, de um magro, de qualquer jeito que você precisar de um parceiro de treino, aqui tem alguém, essa é a principal diferença".
Vindo de duas derrotas consecutivas pela primeira vez na carreira, para Khabib Nurmagomedov e Kevin Lee, o peso-leve de 32 anos afirmou que está ansioso para voltar ao Octógono e encerrar a sequência negativa, contra quem quer que seja.
"Tive duas semanas de adaptação aqui e me senti muito bem, fiquei muito feliz com os treinos, então estou muito animado, mais do que nunca. Então estamos começando a falar com meu empresário sobre o próximo desafio”, disse, “Pode ser contra qualquer um do Top 15, eu só quero lutar".
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube